<
>

Seleção brasileira abriu 2 a 0 contra os EUA na final da Liga das Nações e após levar o empate, viu o Desafio da arbitragem decidir a partida

Os Estados Unidos derrotaram o Brasil e se consagraram bicampeãs da Liga das Nações de vôlei feminino.

Campeãs no ano passado, primeira edição do torneio, as americanas venceram de virada a final por 3 a 2 após as brasileiras abrirem 2 a 0.

O primeiro set durou 32 minutos e não foi de grandes dificuldades para as brasileiras que conseguiram vencer por 25 a 20.

Já o segundo set foi bem mais apertado e movimentado, com trocas de liderança a todo tempo, placar apertado e as norte americanas dificultando dentro de quadra. No entanto, no momento decisivo do set, as brasileiras tomaram a frente do placar, abriram vantagem e jogaram a pressão de correr atrás para o lado americano, que não conseguiram. Então, fecharam em 25 a 22 e abriram 2 a 0 no placar.

O terceiro começou tranquilo para o Brasil, com as norte americanas parecendo perdidas dentro de quadra e as brasileiras abrindo uma pequena vantagem.

Porém, durou pouco e rapidamente a vantagem foi revertida pelo time americano, que não largou mais. Com 25 a 15 no placar, as americanas venceram seu primeiro set se aproveitando muito dos erros brasileiros, deixando o placar 2 a 1 e colocando fogo no jogo.

No quarto, o mais apertado de todos, a partida ficou disputada ponto a ponto durante os 32 minutos. Os EUA abriram a vantagem suficiente para não perderem mais o set e empatarem a partida. Mesmo com uma reação brasileira durante o 'match point' americano, o jogo fechou em 25 a 21 para as norte-americanas e foi para o desempate.

No quinto e decisivo set, o famoso 'tie breaker', as brasileiras ficaram atrás no começo, viram as adversárias chegarem ao 'ponto do jogo' muito rápido, conseguiram encostar em 14 a 13, porém o ponto decisivio veio quando a arbitragem desafiou a jogada que seria o empate do Brasil. Na jogada, Carol tentou bloquear o ataque e bateu na rede, o que ocasionou o último e decisivo ponto norte-americano.

As bicampeãs, e únicas do torneio até o momento, comemoraram o placar fical de 3 a 2.

O Brasil havia terminado em quarto lugar da edição passada, após perder para a Turquia na semifinal e para a China na disputa de terceiro lugar, e nesta já consegue sua melhor classificação, com o segundo lugar.