<
>

Brasil vence Rússia e avança à fase final da Liga das Nações

Fivb/Divulgação

A seleção brasileira assumiu a liderança da Liga das Nações 2019 na noite deste domingo. Em clássico do vôlei mundial disputado em Cuiabá, o time dirigido por Renan Dal Zotto melhorou em relação ao duelo com a Alemanha e venceu a atual campeã Rússia por 3 sets a 0, com parciais de 25/17, 25/21 e 28/26.

O resultado leva o Brasil à liderança da competição, com 30 pontos, superando o Irã pelo número de vitórias (11 a 10). A Rússia, por sua vez, permanece com 26 pontos e cai para a quarta colocação, sendo ultrapassada pela França, que mais cedo derrotou os iranianos em três sets.

De quebra, a seleção conquistou a classificação à fase final da Liga das Nações com uma etapa de antecedência. O Brasil volta à quadra na próxima sexta-feira, às 20 horas (de Brasília), para enfrentar a França, em Brasília – Itália e Canadá completam a chave. O hexagonal final será realizado entre os dias 10 e 14 de julho, em Chicago, nos Estados Unidos.

O maior pontuador da partida foi o oposto Wallace, com 12 acertos, um a mais que o ponteiro Lucarelli – o cubano naturalizado brasileiro Yoandy Leal foi poupado por Dal Zotto. Pelo lado russo, os centrais Iakovlev e Kurkaev foram os melhores, com dez pontos cada.

A Rússia começou bem no saque e abriu 4/1 de vantagem com facilidade. Uma parada técnica de Renan Dal Zotto, porém, acordou seus comandados. O Brasil chegou ao 5/5 com bloqueio de Lucão e depois virou em 8/7 com Wallace explorando o bloqueio.

Douglas Souza, em uma boa série no saque, dificultou a recepção russa, e a seleção abriu três pontos de diferença: 14/11. Ligado defensiva e ofensivamente, o time da casa disparou no placar e fechou a primeira parcial com bloqueio de Lucarelli: 25/17.

O segundo set foi mais equilibrado. Diferentemente da primeira parcial, a Rússia foi mais eficiente no ataque e acompanhou o Brasil no placar até o 15/15. A partir de então, os mandantes melhoraram defensivamente e deslancharam no fim, fechando o set em 25/21.

Mas a boa vantagem pareceu ter feito o ímpeto brasileiro cair na terceira parcial. Mais ligada em quadra, a equipe europeia melhorou em todos os fundamentos, abrindo quatro pontos de diferença no placar: 19/15. Na parte decisiva do set, contudo, o Brasil reagiu forçando o saque e ajustando o bloqueio, vencendo a partida com um ace de Alan Souza (28/26).