<
>

Djokovic tem visto cancelado mais uma vez e pode ficar fora do Australian Open

play
Djokovic é incluído em sorteio do Australian Open, mas aguarda decisão sobre visto (0:29)

Djoko vai enfrentar Miomir Kecmanović se realmente conseguir participar da competição (0:29)

Em decisão nesta sexta-feira (14), o Governo da Austrália revogou o visto do sérvio Novak Djokovic pela segunda vez através de Alex Hawke, Ministro da Imigração


O tenista Novak Djokovic enfrenta novamente o risco de deportação. O Governo da Austrália revogou o visto do sérvio pela segunda vez. Ministro da Imigração, Alex Hawke afirmou na sexta-feira (14) que cassou a autorização do atual n°1 da ATP 'por motivos de interesse público'.

A decisão acontece três dias antes do início do Australian Open. Alex Hawke disse que cancelou o visto por 'razões de saúde e boa ordem, com base no interesse público'.

“O governo de [Scott] Morrison está firmemente comprometido em proteger as fronteiras da Austrália, particularmente em relação à pandemia de COVID-19”, disse Hawke em comunicado, referindo-se ao primeiro-ministro australiano.

“Tomo nota da decisão do Ministro da Imigração em relação ao visto de Novak Djokovic”, disse Scott Morrison em comunicado. “Entendo que, após uma análise cuidadosa, o Ministro tomou medidas para cancelar o visto de Djokovic por motivos de saúde e ordem, com base no interesse público”.

Advogados de Novak Djokovic irão até o Tribunal do Circuito Federal, onde atua o Anthony Kelly. O magistrado decidirás sobre os próximos passos no caso de apelação do jogador. Há rumores ainda não confirmados de que o tenista possa comparecer a uma audiência de imigração no sábado.

Esta é a segunda vez que o visto de Djokovic é cancelado desde que o sérvio desembarcou em Melbourne, na semana passada, para defender o título do Australian Open.

A isenção do líder do ranking da ATP para a apresentar um comprovante de vacinação COVID-19 para competir foi aprovada pelo Governo do Estado de Victoria e pela Tennis Australia, organizadora do torneio. Isso permitiu que o tenista recebesse um visto para viajar.

Mas a Força de Fronteira Australiana rejeitou a alegação e cancelou a entrada de Djokovic a Melbourne. O sérvio passou quatro noites em um hotel de detenção de imigrantes antes de um juiz revogar essa decisão na segunda-feira (10).

O advogado de imigração de Melbourne, Kian Bone, disse que os representantes de Djokovic enfrentaram uma tarefa 'extremamente difícil' para conseguir ordens judiciais durante o fim de semana para permitir que seu cliente jogue o Aberto da Austrália. Para ele, a demora de Alex Hawke em chegar a uma decisão beirava o punitivo.

“Se você deixou mais tarde do que ele fez agora, acho que do ponto de vista estratégico ele está realmente prejudicando a equipe jurídica de Djokovic, em termos de que tipo de opções poderia obter”, disse Bone horas antes da decisão desta sexta-feira.

Os advogados precisariam se apresentar a um juiz de plantão da Vara de Família e Vara Federal ou a um juiz superior da Justiça Federal para obter dois despachos de urgência.

A prioridade é uma liminar impedindo sua deportação, como a que Djokovic obteve na semana passada. A segunda ordenaria que Hawke concedesse ao sérvio uma autorização para jogar.

“Essa segunda ordem quase não tem precedentes”, disse Bone. “Muito raramente os tribunais ordenam que um membro do governo executivo conceda um visto”.