<
>

Djokovic vence Berrettini e vai enfrentar Nadal nas semifinais de Roland Garros

O tenista sérvio Novak Djokovic, número 1 do mundo, derrotou o italiano Matteo Berrettini (9º) por 6-3, 6-2, 6-7 (7/5) e 7-5, nesta quarta-feira pelas quartas de final de Roland Garros, e vai enfrentar o espanhol Rafael Nadal (3º) valendo uma vaga na final de domingo.

Será o 58º duelo entre os dois astros do tênis, um clássico que por enquanto é dominado pelo sérvio por 29-28, embora o espanhol tenha números melhores em Paris, onde busca seu 14º título e o 21º Grand Slam de sua carreira.

A última partida entre os dois na capital francesa foi a final de Roland Garros em 2020, na qual Nadal derrotou Djokovic (6-0, 6-2 e 7-5).

O único confronto em 2021 foi há poucas semanas, na final do Masters 1000 em Roma, também no saibro, e a vitória ficou novamente com o espanhol: 7-5, 1-6 e 6-3.

“Era o jogo que todo mundo esperava e aqui estamos novamente os dois”, disse Djokovic em entrevista coletiva. “Ele é o maior rival na minha carreira”.

“No ano passado ele dominou a final, mas as condições vão ser diferentes às do ano passado” porque o torneio foi disputado em Outubro devido à pandemia, com mais frio e umidade.

“Poucos jogadores conseguiram vencê-lo aqui, mas o nível de tênis que joguei nas últimas semanas em Roma, Belgrado e aqui me dá confiança para pensar que posso vencer”, acrescentou o sérvio.

Ao contrário da fase anterior, em que Djokovic perdeu os dois primeiros sets para o italiano Lorenzo Musetti, desta vez o número 1 do mundo começou dominando e aproveitou uma única quebra de serviço para vencer o primeiro set por 6-3.

Berrettini não reagiu no segundo, incapaz de rebater as bolas enviadas pelo sérvio, muito à vontade no serviço, colocando o italiano em dificuldades a cada saque, e fechando o segundo set com um maiúsculo 6-2.

Público evacuado

No terceiro set, Berrettini melhorou seu serviço, especialmente o segundo, o que lhe permitiu estender o set, embora em nenhum momento ele tenha tido a possibilidade de conseguir um ‘break’ contra Djokovic que superava os 90% dos primeiros serviços.

No ‘tie break’, os dois tenistas alternavam grandes golpes com erros clamorosos, o indicava que o set seria decidido nos pequenos detalhes e assim foi que aconteceu.

Com dois saques para vencer, Djokovic mandou duas bolas na rede, dando a Berrettini a oportunidade de levar a partida para o quarto set. E o italiano não vacilou.

E quando Berrettini estava jogando melhor, a partida foi interrompida por 20 minutos para permitir aos organizadores evacuar os 5.000 espectadores da quadra Philippe Chatrier, com o objetivo de que pudessem cumprir o toque imposto pela crise sanitária, e que a partir desta quarta-feira passa das 21h00 às 23h00 locais (das 16h00 às 18h00 pelo horário de Brasília).

O quarto set foi uma cópia do anterior até que no 12º game, Berretini cometeu vários erros não forçados, dando a Djokovic a chance de fechar a partida e o sérvio acertou na terceira tentativa.

Nadal vence Schwartzman

Mais cedo, o espanhol Rafael Nadal, número 3 do mundo, avançou ao derrotar o argentino Diego Schwartzman (10º) por 6-3, 4-6, 6-4 e 6-0.

O confronto foi equilibrado até o terceiro set, quando com 3-4 no placar, Schwartzman estava colocando Nadal em sérios apuros, mas o espanhol se recuperou e venceu nove games consecutivos (abrindo mão de um único ponto no serviço) diante do tenista argentino.

Aos 35 anos, Nadal parece mais perto do que nunca de conquistar seu 21º torneio Grand Slam, superando a marca do suíço Roger Federer (ambos têm 20 conquistas), o que o tornaria o maior tenista da história.

O jogo desta quarta foi disputado diante de cerca de 5.000 espectadores, o maior público presente até então na quadra Philippe Chatrier, graças à flexibilização adotada nesta quarta-feira nas medidas de restrição na França devido à crise provocada pela pandemia.