<
>

Nadal atropela Djokovic, é campeão em Roland Garros pela 13ª vez e iguala Federer

Rafael Nadal é mais uma vez o campeão de Roland Garros. Neste domingo, o espanhol não deu qualquer chance a Novak Djokovic e atropelou, vencendo por 3 sets a 0, com parciais de 6-0, 6-2 e 7-5. Foi sua 13ª conquista no torneio no saibro da França e seu 20º Grand Slam.

A marca faz com que Nadal iguale os títulos de Roger Federer em Majors, com a vantagem de estar com 34 anos, enquanto o suíço já fez 39. Djokovic, por sua vez, ainda número 1 do mundo apesar do vice-campeonato, tem 17 taças nas quatro principais disputas do circuito.

A vitória deste domingo, em 2h41 de partida, também fez Nadal desempatar o retrospecto contra Djokovic em finais de Grand Slam, para 5 a 4 em nove duelos – no geral, contudo, o sérvio ainda tem leve vantagem, com 29 vitórias contra 27 do espanhol em 56 jogos.

No saibro, Nadal segue fazendo jus ao apelido de “rei” no piso. São 100 vitórias em Roland Garros, em 102 jogos, tendo perdido apenas para Robin Soderling em 2009 e para o próprio Djokovic em 2015 – nessa superfície, seu recorde é de 18 a 7 contra o sérvio.

Na carreira, Nadal fica agora à beira de chegar à marca de mil triunfos, com 999 vitórias após a final deste domingo.

Djokovic, por sua vez, poderá ao menos seguir buscando o recorde de 310 semanas de Federer no topo do ranking da ATP. Ele tem 288 como número 1 do mundo, posto que manterá apesar da derrota, já que, em 2019, ele parou nas semifinais – portanto, melhorou o desempenho.

Se o desfecho de Roland Garros foi o esperado com o título de Nadal, a final também teve uma novidade importante: pela primeira vez na história, a decisão foi disputada em uma quadra coberta, com o teto retrátil, inaugurado em 2020, fechado na Philippe Chartrier neste domingo.