<
>

Mãe de Djokovic relembra final de Wimbledon e cutuca Federer: 'É um pouco arrogante'

play
Djokovic diz que assiste a vídeos de Federer, Nadal e Wawrinka para melhorar seu jogo: 'Sempre há algo' (0:48)

Tenista é o número 1 do mundo, mas mantém a humildade para aprender com os rivais (0:48)

Em longa entrevista ao jornal suíço Blick, Dijana Djokovic, mãe do tenista Novak Djokovic, falou sobre a carreira vitoriosa do filho.

Além de ressaltar a infância difícil do atual nº1 do ranking da ATP, como já tinha feito em outras entrevistas, Dijana falou sobre a final de Wimbledon em 2019, quando o sérvio derrotou Roger Federer.

"O jogo contra Roger (Federer) em Wimbledon foi o mais difícil do ano passado. No estádio, todos o aplaudiram e nós éramos apenas um punhado de fãs de Novak. Isso me incomodou, porque Roger é um pouco arrogante. Quando ele teve esses dois break points com o saque, agarrei minha cruz, um amuleto que uso e que me salva em tempos difíceis", disse, relembrando o momento em que Djokovic desperdiçou dois match points.

A decisão de Wimbledon de 2019 foi a mais longa da história do torneio, com 4h57min de duração.

Após um nível técnico invejável e muita emoção, Djokovic conquistou seu 5º título de Wimbledon e o 16º troféu de Grand Slam na carreira.

A mãe do tenista sérvio revelou que em nenhum momento deixou de acreditar na vitória do filho.

"Eu disse a mim mesmo: 'Nole (apelido de Djokovic), você pode fazer isso. Você já fez isso muitas vezes, pode fazê-lo novamente', e ele conseguiu. Deus o salvou. Novak também acredita nele. Ele se sente escolhido por Deus. Isso traz paz e felicidade", afirmou.

Dijana também relatou qual derrota de Djokovic foi a mais dolorosa. Segundo ela, a eliminação para Juan Martín del Potro, na primeira rodada das Olimpíadas do Rio, foi a que causou maior tristeza.

"Essa derrota ainda parte meu coração. As lágrimas que vi naquela ocasião são as maiores que já vi. Ele tinha tudo para ganhar o ouro, mas o desejo não foi atendido. Ele tinha esse problema no cotovelo e não podia suportar a pressão. Ele sentiu que havia decepcionado o povo da Sérvia", confessou.