<
>

Wimbledon decide futuro em meio à pandemia de coronavírus na próxima semana

Wimbledon, um dos quatro Grand Slams da temporada, pode ser cancelado. Em um comunicado oficial, o All England Club, que recebe o torneio anualmente, disse que o adiamento e o cancelamento são possibilidades que estão sendo consideradas. Jogar com portões fechados foi oficialmente descartado.

Encontrar uma nova data para Wimbledon seria um grande desafio. Roland Garros, que aconteceria em Maio, já foi empurrado para começar em 20 de setembro e terminar em 4 de outubro. O US Open por enquanto está mantido, e acontece entre 31 de agosto e 13 de setembro, com um intervalo de apenas uma semana entre competições. Após o adiamento dos Jogos Olímpicos, o calendário permitiria encaixar Wimbledon entre o fim de julho e agosto, mas alguns se mantém céticos de que o cenário referente a pandemia de coronavírus possa mudar tão drasticamente em poucas semanas.

Além disso, o clima é um fator importante. Como único torneio de Grand Slam realizado na grama, a superfície é diretamente impactada pelas condições climáticas, o que restringe a mobilidade de datas do evento, previsto para ser disputado entre 29 de junho e 12 de julho.

Duas vezes campeão de duplas em Wimbledon, Jamie Murray, irmão de Andy Murray, se mostrou reticente quanto a realização do torneio em entrevista a BBC:

“Não sei o quanto eles poderiam empurrar. Existem muitos fatores a serem considerados, até mesmo quanto tempo teríamos de luz do dia. Quanto mais pra frente se empurra o torneio, mais curtos ficam os dias. Normalmente em Wimbledon jogamos até as 10 da noite.”

Os torneios da ATP e da WTA já foram suspensos até 27 de abril e 2 de maio, respectivamente. Na semana passada, o prazo foi estendido até 7 de junho.