<
>

Wimbledon: Nadal revela por que 'desobedeceu' pai em recomendação para abandonar duelo nas quartas

Espanhol sofreu com dores na região do abdômen e teve que pedir atendimento durante a partida


Rafael Nadal segue imbatível em Grand Slams em 2022. Nesta quarta-feira, o espanhol precisou de mais de 4 horas em quadra para superar o norte-americano Taylor Fritz nas quartas de final de Wimbledon.

Após uma verdadeira batalha, Nadal levou a melhor por 3 sets a 2, com parciais de 3-6, 7-5, 3-6, 7-5, 7-6 (4). O espanhol teve que pedir atendimento médico duas vezes durante a partida após sentir dores no abdômen.

Na entrevista coletiva, Nadal confirmou que seu pai e sua irmã, vendo a agonia dele e quadra, pediram para que ele abandonasse a partida contra Fritz. E o tenista explicou por que não o fez.

"Eles me falaram que eu precisava desistir da partida. Mas eu tentei, pra mim é difícil desistir no meio da partida, não é fácil, fiz algumas vezes na minha carreira, é algo que eu odeio fazer, era continuar tentado e foi isso".

Nadal se mostrou preocupado com a sua lesão e que irá fazer exames para saber a gravidade. "O corpo em geral está bem, o abdômen é algo que não está indo bem, pra falar a verdade. Eu tinha que encontrar uma maneira de sacar um pouco diferente e por muitos momentos eu estava pensando que, talvez, eu não fosse capaz de terminar a partida, mas a quadra e energia foi algo a mais".

Amanhã farei mais exames, mas é difícil saber. Não sou o jogador típico que quase não teve lesões em sua carreira. Estou acostumado a suportar a dor e brincar com os problemas. Quando sinto algo parecido com o que senti, é porque algo não está indo bem na região abdominal. Não é tão claro que hoje é algo novo. Estou com essa sensação há alguns dias. Houve um aumento significativo da dor e da limitação. Acabei ganhando o jogo, vamos ver o que acontece amanhã", completou.

"Estou obviamente preocupado porque sei a dor que passei na quadra. No final do jogo eu estava um pouco melhor, porque encontrei uma forma de sacar que me incomodou um pouco menos. Estou arrastando esses desconfortos há uma semana. Há dias que venho evitando sacar nos treinos para tentar preservar. Comecei o jogo no meu melhor nível por muito tempo, mas infelizmente, desde o 3 a 1, algo deu errado no abdominal. A partir de então, foi um exercício aceitar o problema e também se eu realmente queria sofrer no restante do jogo, se valeu a pena. Embora a decisão de me retirar estivesse na minha cabeça há muito tempo, não é fácil sair de Wimbledon, nas quartas de final. Há muitas coisas positivas: meu nível de tênis, meu pé não dói, não me limita, mas infelizmente isso acontece. Sinto-me com sorte, mas tenho pouco descanso ao nível do corpo. Quando não é uma coisa, é outra. Passei duas horas muito ruins na quadra. Mesmo se eu me soltasse, doía. Toda vez que ele fazia o gesto, ele me dava uma chicotada. Eu saquei e fiquei com muita dor", finalizou.