<
>

WSL Finals: Tatiana Weston-Webb quase consegue 'milagre', mas perde na final do mundial de surfe

O Brasil ficou muito perto de uma dobradinha no mundial de surfe! Na WSL Finals desta terça-feira, Tatiana Weston-Webb conseguiu chegar até a final, venceu a primeira bateria da melhor de 3 contra Carissa Moore, mas não conseguiu o "milagre" e acabou derrotada por 2 a 1.

TODA a temporada do surfe mundial você acompanha pela ESPN no Star+.

Carissa, dos Estados Unidos, era a grande favorita para o título. Líder do ranking mundial durante praticamente toda a temporada regular, a americana fecha um ano perfeito no surfe - ela também conquistou a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Tóquio.

Tati chegou à WSL Finals como a 2ª colocada do ranking, mas a chance de ser campeã era pequena justamente pelo ano espetacular vivido por sua adversária.

No masculino, Gabriel Medina ficou com o título após vencer Filipe Toledo na final.

As baterias

Na primeira bateria do dia no feminino, Johanne Defay, da França e quinta colocada no ranking mundial, venceu Stephanie Gilmore, da Austrália, por 12.17 a 6.70 na soma das ondas. Com isso, a francesa se classificou para enfrentar a número 3 Sally Fitzgibbons, da Austrália.

Na bateria de quartas de final, a australiana venceu por 11.33 a 6.66 e se classificou para enfrentar Tati Weston-Webb na disputa por uma vaga na grande decisão. Na semifinal, muita emoção. Fitzgibbons começou melhor e conseguir surfar duas boas ondas, somando o seu 11.73 e colocando bastante pressão na brasileira.

Tati, porém, respondeu muito bem. Primeiro com uma nota 5.17 na primeira onda que conseguiu surfar direito na bateria e, na sequência, com um show. Com uma onda espetacular, a brasileira cravou um 8, somou 13.17 e garantiu sua vaga na melhor de 3 contra Carissa Moore, a havaiana líder do ranking.

A primeira bateria da melhor de 3 da grande decisão foi pura emoção. Tati começou melhor e abriu uma boa vantagem.

Na sequência, porém, Carissa Moore mostrou por que estava em um ano "perfeito" e foi campeã olímpica e líder do ranking durante todo ano. Na primeira onda surfada, a americana virou a bateria.

Na segunda, abriu ótima vantagem e parecia muito bem encaminhada para a vitória.

Tati, porém, logo surfou uma onda que a manteve viva na bateria e reascendeu as esperanças do Brasil.

Na sequência, uma onda espetacular da brasileira garantiu a primeira bateria da melhor 3 para Tati.

Na segunda bateria, Carissa Moore voltou disposta a mostrar toda sua qualidade e abriu os trabalhos com um 8,93 que colocou muita pressão em Tati.

Carissa ainda aumentou sua vantagem com um 7.67 e Tatiana Weston-Webb ficou em situação complicada. A brasileira conseguiu um 7.93 para se manter viva até o final, mas não alcançou a segunda nota necessária para virar e a decisão foi para a 3ª bateria.

Na bateria final, Carissa Moore sequer deu chances para Tatiana Weston-Webb. A australiana pressionou desde o início, conseguiu somar 16.60 e superou os 11.70 da brasileira para ficar com o título mundial.