<
>

Surfistas holandeses resolvem encarar o mar em condições adversas e morrem em circustâncias chocantes

play
Surfe: GM da WSL explica adiamento da etapa de Saquarema e peojeta possível data para disputa (1:16)

Ivan Martinho concedeu entrevista à ESPN Brasil (1:16)

O surfe holandês está ainda se recuperando do baque das mortes de cinco surfistas do bairro de Scheveningen, em Haia, que decidiram encarar o mar em condições muito adversas na última semana, com consequências trágicas.

O grupo, que tinha três salva-vidas experientes, acabou sendo surpreendido e sufocado por uma espessa espuma, indícios apontam. Três deles fora resgatados com vida, mas dois morerram pouco tempo depois.

Mais tarde, outros dois corpos foram encontrados. Um sexto corpo ainda está sendo procurado, de acordo com a imprensa holandesa e o site australiano News.com.au.

De acordo com locais, a maré estava estranha naquele dia, e a espuma no mar, um fenômeno corriqueiro no local, estava mais espessa que o normal.

O prefeito de Haia liberou um comunicado lamentando o ocorrido e as investigações oficiais continuam. Mas parece haver consenso na comunidade de que a espuma foi mesmo a causa da tragédia.

Um monumento à memória dos surfistas foi construído próximo à praia em que houve o acidente.