<
>

Após posts preconceituosos virem à tona, jogadores são suspensos e capitão perde braçadeira na seleção argentina de rugby

A seleção argentina de rugby se envolveu em uma grande polêmica nesta segunda-feira. Depois de reclamarem da "falta de reação" dos jogadores durante uma homenagem a Diego Maradona, torcedores argentinos encontraram postagens preconceituosas de três dos principais jogadores da equipe.

Foram encontrados tweets de Pablo Matera, o capitão dos Pumas, contendo posicionamentos racistas, xenófobos e homofóbicos. Em um dos posts, Matera comemorava por "finalmente sair da África do Sul, esse pais cheio de negros".

Em outro, o capitão diz que "o ódio a bolivianos, paraguaios e etc nasce quando sua empregada derruba um cabelo em sua comida".

Além de Matera, também foram encontrados tweets de Guido Petti, outro jogador da equipe, chamando sua empregada de "macaca" e também dizendo que "revista o casaco de sua empregada para garantir que ela não roubou nada".

Santiago Socino, outro membro da equipe, também foi flagrado com posicionamentos racistas. "Não sou a favor do Apartheid, mas poderíamos começar a diferenciar as comunidades que têm negros", postou.

Todos os posts são de 2011 e 2012, quando os jogadores tinham entre 17 e 19 anos de idade. Depois da polêmica, a Federação Argentina de Rugby anunciou que suspendeu os três jogadores, tirou a faixa de capitão de Matera e também abriu um processo disciplinatório contra os três citados.