<
>

O outro lado do Haka: como rivais reagem a tradição da Nova Zelândia e o que Argentina pode fazer na Copa do Mundo de rugby

Sonhando em chegar na grande final da Copa do Mundo de rugby, a Argentina irá enfrentar a Nova Zelândia na tarde desta sexta-feira, às 16h (de Brasília), com transmissão ao vivo pela ESPN no Star+, em uma semifinal que promete ser eletrizante. Para encarar o tradicional haka antes da partida, os Pumas vão se "inspirar" no que os irlandeses fizeram recentemente ou vão manter a tradição?

No último sábado (14), a Nova Zelândia venceu a Irlanda por 28 a 24 pelas quartas de final do Mundial. Contudo, durante a haka, os europeus se posicionaram de uma forma não tradicional. Os 23 atletas fizeram um oito na horizontal durante o ritual pré-jogo dos All Blacks.

O gesto dos irlandeses foi uma homenagem a Anthony Foley, ex-jogador da seleção que usava a camisa 8 e faleceu em 2016. A morte aconteceu justamente no ano em que a Irlanda conseguiu a primeira vitória contra a Nova Zelândia na história.

Desta vez, a formação inusitada durante o haka acabou não sendo efetiva. Contudo, em duas outras oportunidades, os All Blacks foram surpreendidos com um posicionamento diferente e acabaram até perdendo as partidas.

Em 2007, pelas quartas de final da Copa do Mundo daquele ano, a Nova Zelândia enfrentou a França em uma partida que pegou fogo. Logo no haka, os Bleus foram para cima e deram fortes encaradas enquanto os rivais dançavam e faziam caretas. Resultado? 20 a 18 para os europeus.

Não à toa a regra foi mudada por causa desta partida. Desde então, o protocolo prevê que as seleções fiquem a 10 metros de distância enquanto os All Blacks fazem o haka.

Uma década mais tarde, na semifinal da Copa do Mundo de 2019, foi a vez dos ingleses surpreenderem os neozelandeses. Na tentativa de fazer um funil para "prender" a energia dos All Blacks, a seleção inglesa se alinhou em forma de um grande V durante a haka. E o resultado? 19 x 7 para os europeus.

E será que a Argentina vai preparar alguma novidade para o haka da Nova Zelândia na semifinal? Se depender de Andrés Bordoy, membro da comissão técnica dos Pumas, a seleção não vai aprontar nada de diferente.

"Seria um erro dar tanta importância assim para o haka, uma situação única em que eles se apoiam muito. Nós não temos que nos preocupar com isso", disse Bordoy.

O vencedor do confronto entre Argentina e Nova Zelândia encara quem avançar de África do Sul e Inglaterra, que se enfrentam neste sábado (21), às 16h (de Brasília), com transmissão ao vivo pela ESPN no Star+, na grande decisão da Copa do Mundo.