<
>

Olimpíadas: Italiano choca o mundo, assume o posto de Bolt nos 100m rasos e se torna o homem mais rápido do planeta

play
O herdeiro de Usain Bolt! Italiano surpreende e vence os 100m rasos nas Olimpíadas de Tóquio (1:03)

Marcell Jacobs venceu ouro com tempo de 9.80s na decisão (1:03)

Um italiano é o homem mais rápido do mundo! Lamont Marcell Jacobs venceu a prova dos 100m rasos nas Olimpíadas de Tóquio.

Na manhã deste domingo (1º), ele superou os favoritos, correu a distância em 9s80 e venceu o primeiro ouro da disputa olímpica desde a aposentadoria de Usain Bolt - o jamaicano ganhou o tri genuíno, subindo no lugar mais alto do pódio em Pequim-2008, Londres-2012 e Rio-2016.

Fred Kerley, dos Estados Unidos, foi prata com 9s84, e o o canadense Andre de Grasse levou o bronze com 9s89.

Clique aqui para ver o Quadro de Medalhas das Olimpíadas atualizado e siga os Jogos de Tóquio em TEMPO REAL!

Filho de mãe italiana e pai norte-americano, Jacobs tem 26 anos e é nascido em El Paso, nos Estados Unidos. Ele se tornou o primeiro atleta da Europa a vencer os 100m rasos em Jogos Olímpicos desde Valeriy Borzov, da antiga União Soviética, em 1972 - logo, quebrou um tabu de 49 anos -, e o primeiro italiano da história a levar o ouro.

Recorde mundial no salto triplo

A venezuelana Yulimar Rojas fez história em Tóquio, levou o ouro e aniquilou o recorde mundial do salto triplo.

Rojas bateu o recorde olímpico logo em seu primeiro salto, com 15.41m. E, em sua última tentativa, estabeleceu um novo recorde mundial com 15.67m - 17cm acima da antiga marca, alcançada em 1995 pela ucraniana Inessa Kravets.

A portuguesa Patricia Mamona foi prata, com 15.01m. Ana Peleteiro, da Espanha, levou o bronze com 14.87m.

Empate no salto em altura

Dois atletas levaram o ouro no salto em altura das Olimpíadas.

Mutaz Essa Barshim, do Catar, e Gianmarco Tamberi, da Itália, atingiram a marca de 2.37m na mesma quantidade de tentativas e dividiram o topo do pódio.

Eles tiveram que decidir se travavam uma disputa à parte para decidir o campeão ou se compartilhavam a honraria. E ambos disseram aos juízes que preferiam a segunda opção, atitude com bastante espírito olímpico.

Maksim Nedasekau, de Belarus, também superou os 2.37m, mas com duas tentativas a mais no total de saltos acabou com o bronze.

play
0:36

Olimpíadas: Queniano sobra em prova de 800m, 'chama' rivais e avança para final

Ferguson Rotich teve o melhor tempo das semifinais dos Jogos de Tóquio