<
>

Olimpíadas: Mayra superou ligamentos rompidos em novembro e 7ª cirurgia para ser a maior medalhista da história do judô brasileiro

play
Olimpíadas: Mayra Aguiar é bronze e faz história no judô, e Rafael Buzacarini é eliminado; veja como foi (1:07)

Mayra Aguiar conquistou sua 3ª medalha de bronze nas Olimpíadas (1:07)

Mayra Aguiar: uma das duas mulheres com mais medalhas na história do esporte brasileiro nas Olimpíadas!

Na madrugada de quarta para quinta-feira, Mayra escreveu seu nome no livro dos recordes, se tornou a primeira representante do judô brasileiro a vencer três medalhas em Jogos e é, ao lado de Fofão, a brasileira com mais pódios na história olímpica.

Clique aqui para ver o Quadro de Medalhas das Olimpíadas atualizado e siga os Jogos de Tóquio em TEMPO REAL!

E tudo isso meses depois de encarar uma grave lesão no joelho.

Em novembro de 2020, Mayra rompeu o ligamento cruzado do joelho esquerdo durante a Missão Europa, um período de treinos montado pelo COB em Portugal, e precisou passar por cirurgia -a 7ª de sua carreira. E foram 16 longos meses longes dos tatames.

A brasileira não lutava desde antes da pandemia, em fevereiro. E, com a lesão, o período distante dos combates só terminou em junho de 2021, um mês antes das Olimpíadas, quando ela acabou derrotada na 2ª rodada do Mundial de judô.

Mas nada disso importou em Tóquio para a agora três vezes medalhista olímpica.

"Estou bem emocionada mesmo, acho que é a conquista mais importante pra mim, foi bem difícil esses últimos anos, esses últimos tempos. E ter que superar, esperar de novo, de novo, não aguentava mais fazer cirurgia, estava muito cansada, é muito desgastante passar por tudo isso, tive medo, angústia e continuei por pior que estivesse. A gente fazer nosso melhor vale a pena. Está sendo muito importante isso pra mim", disse Mayra, logo após conquistar o bronze.

E ela se superou mais uma vez ao dominar a sul-coreana Yoon Hyun-ji e precisar de apenas 1 minuto e 18 segundos para levar mais um bronze.

No top 15 de medalhistas brasileiros em Olimpíadas, só Fofão, ícone do vôlei, representava a gigantesca história do esporte feminino do Brasil. Até agora.

Em Londres-2012, no Rio-2016, em Tóquio-2020. Três Jogos Olímpicos, três medalhas de bronze e várias marcas que serão lembradas para sempre.

E além de ser uma das maiores entre as mulheres, ela se isolou como a maior medalhista do judô brasileiro:

Mayra Aguiar - três bronzes
Aurélio Miguel - um ouro e um bronze
Tiago Camilo - uma prata e um bronze
Leandro Guilheiro - dois bronzes
Rafael Silva - dois bronzes

Histórico. Inesquecível. Mayra Aguiar.