<
>

Olimpíadas: Altobeli da Silva, brasileiro dos 3000m com barreiras, desabafa contra som alto de atletas na hora de dormir

play
Olimpíadas de Tóquio: Dia 1 tem recorde no remo, tiro esportivo e no levantamento de peso (0:39)

Com uma pontuação de 251.8, a chinesa Qian Yang, de apenas 21 anos, bateu o recorde olímpico e levou a primeira medalha de ouro de Tóquio-2020. (0:39)

Atual campeão Pan-americano dos três 3.000m com barreiras no atletismo, o brasileiro Altobeli da Silva desabafou nas redes sociais na manhã deste sábado. Antes de estrear nas Olimpíadas, o atleta reclamou do som alto em frente ao quarto em que está hospedado no Japão.

O corredor de 30 anos publicou uma sequência de vídeos criticando a postura de outros atletas do Brasil, que estariam ouvindo funk muito alto durante a noite.

Clique aqui para ver o Quadro de Medalhas das Olimpíadas atualizado e siga os Jogos de Tóquio em TEMPO REAL!

“Estou com um estresse aqui, galera. Chego a estar tremendo de tanta raiva, de tão nervoso aqui no Japão. Estou cansado, ouço uma barulheira aqui na porta do quarto, som de funk de atletas que treinam meio período. Eu treino pra c***, treino dois, pegado. Tem atletas que vêm fazer só participação aqui nos Jogos Olímpicos, não vem com proposta, com objetivo. Eu vim com proposta, com objetivo, por isso que estou no meu quarto, dormindo, descansando, respeitando a privacidade. É complicado, é nessas horas que você vê quem é quem”, revelou Altobeli.

E não parou por aí. Altobeli ainda explicou que deixou de ir jantar para conseguir um maior tempo de descanso, mas que, quando acordou com o barulho da música, perdeu a paciência com os companheiros de hospedagem.

"Tem que ter consciência. Nem fui jantar para priorizar meu descanso. Todo mundo é adulto, não precisa chamar atenção. Têm uns aí que precisam descer do salto alto. Têm coisas que têm que ser assim, no ferro e fogo. Na educação dão risada. Para chegar nesse ponto de eu falar é porque estourou a paciência. Todo ser humano tem limite. Eu acordei com o barulho", falou.

O corredor chega para a sua segunda Olimpíadas. Em 2016, no Rio de Janeiro, ele terminou em nono na final dos 3.000m com barreiras. Nos Jogos de Tóquio, as provas de atletismo vão começar a ser disputadas somente no próximo dia 30 de setembro.