<
>

Olimpíada: atletas votam em massa por continuidade no COB; veja em detalhes como foi a eleição à presidência

Quantas vezes na vida você ouviu um atleta, não alienado, pedindo mudanças na condução do esporte olímpico brasileiro?

Pela primeira vez na história, eles puderam participar ativamente na decisão do futuro do esporte olímpico brasileiro, votando na eleição para presidente do do COB (Comitê Olímpico Brasileiro), realizada nesta quarta-feira, 7 de outubro de 2020.

Dos 48 eleitores que participaram do pleito, todos os 12 atletas da comissão de atletas votaram na chapa da situação, a de Paulo Wanderley, que acabou se reelegendo de certa forma, já que era vice-presidente de Carlos Arthur Nuzmam e acabou assumindo a entidade após o afastamento que ocasionou a prisão de Nuzman, por suspeitas de corrupção.

"Foi um marco histórico do esporte olímpico do Brasil. Tivemos uma assembleia tranquila. Vamos continuar nosso trabalho para Tóquio, como estava previsto", disse Wanderley.

Paulo Wanderley completou recentemente 70 anos de idade e participou pela 13ª vez de uma eleição. São quase 40 anos no poder, período que começou na federação capixaba de judô, passando pela confederação da modalidade e agora no posto mais alto do esporte olímpico do Brasil.

Veja a lista de atletas que votaram pela situação, na chapa de Paulo Wanderley e Marco La Porta:

  • Tiago Camilo

  • Yane Marques

  • Arthur Zanetti

  • Bruno Mendonça

  • Fabiana Murrer

  • Fabiano Peçanha

  • Poliana Okimoto

  • Thiago Pereira

  • Emerson Duarte

  • Hugo Hoyama

  • Marcela Machado

  • Iziane Marques

Não fossem os votos em bloco dos atletas, a eleição teria um resultado ainda mais apertado.

A chapa COB+FORTE, que prometia revolucionar e inovar o COB e era composta por Rafael Westrupp e Emanuel Rego, obteve 20 votos. Um declarado do membro do COI, Andrew Parson (Presidente do Comitê Paralímpico Internacional) e de outros 19 presidentes de confederações como as do futebol, vôlei, basquete, tênis, skate, rugby, esportes no gelo, esportes na neve, wrestling e golfe.

"Foi uma experiência incrível poder participar junto com nosso herói olímpico Emanuel dessa construção de um plano de governo pautado na transparência, no diálogo, na proposição da participação efetiva de atletas em decisões estratégicas do COB. Foi uma jornada maravilhosa, gratificante, que deu um grande recado á comunidade olímpica do Brasil de que são necessárias algumas melhorias para se ter harmonia e confiança plena na gestão do COB", disse Rafael.

"Quero parabenizar ao Paulo Wanderlei e ao Marco La Porta pelo resultado. E como membro filiado da assembleia geral, espero que as promessas de campanha sejam cumprida e de fato efetivem em ações tudo que foi pautado em campanha, para que se possa ter esperança de um COB melhor, mais digno e com mais representatividade", completou.

O ESPN.com.br também apurou que muitas confederações tradicionais, com muitos de seus dirigentes antigos, aliados da gestão Nuzman / Paulo Wanderley, também votaram ao lado dos atletas na chapa vencedora.

São eles: ginástica, atletismo, hipismo, badminton, judô, ciclismo, triátlon, levantamento de peso, boxe, esgrima, taekwondo, natação e vela, entre outros que resolveram não optar por mudanças no rumo do COB.

Já a chapa Vem Ser composta por Hélio Meirelles e Róbson Caetano conseguiram apenas dois votos. Um deles certamente foi da Confederação de Pentatlo Moderno, dirigida pelo próprio Hélio, o outro voto foi da Confederação de tiro esportivo.

"As outras duas chapas deixaram como legado dois planos de governo com muitas propostas que poderão ser absorvidas pela nova gestão do presidente Paulo Wanderley. Fica a expectativa de que ele avalie com atenção as sugestões que foram apresentadas nestes documentos", disse.

Luciene Resende, presidente da Confederação de ginástica, não compareceu por recomendações médica. Em seu lugar, ela mandou Paulo Schmitt, advogado e consultor jurídico com trânsito em várias confederações, inclusive no ciclismo e futebol.

“Em nome da CBG, parabenizo Paulo Wanderley como também o vice-presidente Marco La Porta pela vitória. O desejo é de que continue com seu trabalho democrático, ouvindo toda a comunidade esportiva, fortalecendo os atletas e confederações e fazendo uma gestão transparente em prol do esporte olímpico do Brasil”, comentou Luciene.

O presidente da Confederação de Skate, Eduardo Musa, apoiador declarado da chapa de Rafael Westrupp, também parabenizou os vencedores e disse em ficar de olho para ver se a gestão cumpre as promessas feitas.

"Acho que o mais importante foi o exercício da democracia no movimento olímpico. Isso mostra que as entidades e, sobretudo, os atletas devem ter uma participação efetiva na construção de um COB com mais representatividade no cenário do desporto nacional. Agora, é acompanhar de perto para que as propostas apresentadas e discutidas durante a campanha sejam implementadas. Aproveito também para parabenizar ao Paulo Wanderley e seu vice Marco La Porta e a todos os conselheiros eleitos pela vitória nas urnas", disse.