<
>

Eleições para o COB: 'Democracia Olímpica' traz debate entre candidatos à presidência depois da Era Nuzman

7 de outubro de 2020. Esta é a data da eleição para presidente, vice e membros do conselho do COB, o Comitê Olímpico do Brasil.

Esta será a primeira disputa em 25 anos sem a presença de Carlos Arthur Nuzman. E o programa da ESPN “Democracia Olímpica” entrevistou todos os candidatos ao cargo para saber o que eles pensam e o que prometem para o presente e o futuro do esporte nacional.

Nuzman exerceu a presidência da entidade de 1995 a outubro de 2017, quando chegou a ser preso após ser denunciado por corrupção e organização criminosa pelo MPF (Ministério Público Federal). A denúncia veio em decorrência das investigações sobre compra de votos para a escolha do Rio de Janeiro como sede dos Jogos Olímpicos de 2016, na Operação Unfairplay. Foram 22 anos no poder.

Em programas com cerca de 1 hora de duração, comandados pelo jornalista da ESPN Marcelo Gomes, os candidatos responderam a uma série de questionamentos. O conteúdo completo está disponível no ESPN App.

As três chapas na disputa para presidência e vice-presidência, respectivamente, são:

  • Hélio Meirelles Cardoso, presidente da CBPM (Confederação Brasileira de pentatlo moderno) desde 2002

  • Robson Caetano, bronze nos 200m em Seul-1988 e no 4x100m em Atlanta-1996

(ASSISTA à entrevista completa de Hélio Meirelles Cardoso e Robson Caetano no ESPN App)

  • Paulo Wanderley, presidente do COB desde outubro de 2017, depois da renúncia de Nuzman, de quem foi vice, e ex-presidente da CBJ (Confederação Brasileira de Judô), entre 2001 e 2016

  • Marco La Porta, vice-presidente do COB (foi eleito para a vaga de Wanderley em 2018) e ex-presidente da CBTri (Confederação Brasileira de Triathlon), cargo que ocupou entre 2017 e 2018

(ASSISTA à entrevista completa de Paulo Wanderley e Marco La Porta no ESPN App)

  • Rafael Westrupp, presidente da CBT (Confederação Brasileira de Tênis) desde 2016

  • Emanuel Rego (ouro em Atenas-2004, prata em Londres-2012 e bronze em Pequim-2008, ex-secretário especial de esportes do governo Jair Bolsonaro)

(ASSISTA à entrevista completa de Rafael Westrupp e Emanuel Rego no ESPN App)

Além da apresentação e dos questionamentos de Marcelo Gomes, os entrevistados responderam a perguntas de pessoas que dedicaram suas carreiras e suas vidas ao esporte olímpico brasileiro, como:

  • Adriana Araújo, boxe, bronze em Londres-2012, a primeira brasileira a vencer uma luta feminina de boxe nos Jogos Olímpicos e a segunda atleta do país medalhista olímpica na modalidade desde Servílio de Oliveira, bronze no México-1968;

  • Dunga, jogador de futebol, capitão do Brasil na conquista do tetracampeonato mundial de futebol em 1994, medalha de prata em Los Angeles-1994 em campo e bronze em Pequim-2008 como técnico;

  • Joaquim Cruz, atleta medalha de ouro em Los Angeles-1984 e prata em Seul-1988 nos 800m;

  • Miguel Ângelo da Luz, técnico campeão mundial em 1994, na Austrália, e medalha de prata nos Jogos de Atlanta-1996 pela seleção brasileira feminina de basquete;

  • Os jornalistas e colaboradores da ESPN: Breiller Pires, Eduardo Ohata, Gláucia Santiago, Marcela Rafael, Paulo Calçade e Paulo Soares;

  • Os jornalistas José Cruz, Marcelo Laguna e Walter Guimarães.

As perguntas abordaram os mais diversos temas para todos os candidatos, como promessas de campanha, Bolsa Atleta, racismo, Nuzman, perseguições pessoais contra atletas, presença das mulheres, legado após Rio-2016, uso do Parque Olímpico, desenvolvimento do esporte olímpico e até reeleição.

Abaixo, separamos algumas dessas questões e promovemos um debate virtual entre os candidatos:

Estão preparados para assumir a presidência do COB?

Qual a nota de Carlos Arthur Nuzman?

Como ajudar a transformar o Brasil em um país verdadeiramente esportivo?

A excelente pergunta foi feita por Paulo Soares, o Amigão, que tem ligação familiar com os primórdios do COB. Seu bisavô, o médico urologista José Ferreira Santos, comandou a entidade entre 1950 e 1963. Ele também foi membro do COI (Comitê Olímpico Internacional) ao lado de Arnaldo Guinle a partir de 1923, antes mesmo do nascimento do Comitê Olímpico Brasileiro.

Democracia Olímpica

Convidamos o fã do esporte a assistir às entrevistas completas dos candidatos a presidente e vice do COB no ESPN App e participar da enquete abaixo: