<
>

Candidato que diz ter derrubado Nuzman desiste de eleição para presidente do COB

play
Alberto Murray Neto explica por que desistiu da candidatura à presidência do COB (1:34)

Eleição será disputada em 7 de outubro (1:34)

Alberto Murray Neto não será mais candidato na eleição para presidente do Comitê Olímpico Brasileiro. Advogado e conhecido há muitos anos como a ovelha negra do COB, ele diz que a desistência partiu do candidato a vice-presidente, Mauro José da Silva, alegando questão de foro íntimo. Assim Alberto não poderá contar com outro candidato para compor a chapa “Transparência”, já que não há mais tempo para inscrever outro nome.

Alberto Murray era candidato à presidência da entidade (COB) na chapa “Agenda Positiva para o COB, que tinha como aliado e candidato à vice-presidente Mauro Silva, presidente por dois mandatos da Confederação Brasileira de Boxe.

Murray é neto do falecido presidente da entidade, Major Sílvio de Magalhães Padilha. Passou décadas vigiando e investigando os passos de Carlos Arthur Nuzman, dirigente que esteve a frente da entidade por 25 anos, foi afastado do COB por denúncias de corrupção, chegou a ser preso no Rio de Janeiro e responde em liberdade à várias acusações de desvio de dinheiro público no esporte de alto rendimento.

Ao telefone, Alberto se diz ter sido pego de surpresa. Lamentou a decisão de Mauro que, segundo ele, não vinha conseguindo apoiadores para a eleição da dupla.

Pelo Twitter, publicou a carta em que desistia da candidatura e disse: "Vamos seguir caçando os corruptos. Eu derrubei o Nuzman. Podemos ir muito além".

Na briga pela cadeira de presidente da entidade ainda estão outras três chapas. Paulo Wanderley e Marco Laporta, atuais presidente e vice da entidade tentam uma espécie de reeleição, já que assumiram os cargos após o afastamento de Nuzman.

A segunda chapa leva o nome de COB + FORTE, composta por Rafael Westrupp, como candidato a presidente, e Emanuel Rego, medalhista olímpico do vôlei de praia, como vice. Rafael é o atual presidente da Confederação Brasileira de Tênis, assumiu o cargo depois do afastamento de Jorge Lacerda, condenado a 4 anos de prisão por desvio de dinheiro da Lei de Incentivo e recorrendo em liberdade. Como se sabe, Lacerda foi o responsável por lançar Rafael, que foi sparring de Gustavo Kuerten, como dirigente maior do tênis no Brasil.

Já a terceira e última chapa inscrita para o pleito leva o nome de "Vem Ser", com Hélio Meirelles inscrito como candidato à presidência e o ex- atleta e medalhista olímpico Robson Caetano como vice.

Os canais ESPN estão abrindo espaço para debater e ouvir as propostas de cada candidato à presidência do COB. Já foi gravado o primeiro programa que levará o nome de “Democracia Olímpica”, onde os candidatos a presidente e a vice serão sabatinados por gente importante do esporte como Joaquim Cruz, Dunga, Adriana Araújo e muitos jornalistas especializados no esporte olímpico como José Cruz, Paulo Calçade, Paulo Soares “Amigão”, Eduardo Ohata, Marcelo Laguna, Marcela Rafael, Gláucia Santiago, Breiller Pires, entre outros.

O programa estará disponível nos canais e plataformas digitais da ESPN a partir do dia 21 de setembro, três semanas antes da eleição para presidente do COB, marcada para o dia 7 de outubro de 2020.

Abaixo um trechinho do programa com a participação de Rafael Westrupp e Emanuel Rego falando do porquê que eles se acham preparados para dirigir o Comitê Olímpico Brasileiro.

play
0:49

Democracia Olímpica: candidatos à presidência do COB apresentam propostas e são sabatinados

Os canais ESPN estão abrindo espaço para debater e ouvir os futuros cartolas do Comitê Olímpico Brasileiro