<
>

Após um mês do acidente, Zanardi sai do coma induzido e é transferido para centro de neuroreabilitação na Itália

Após um mês e dois dias bastante angustiantes, Alessandro Zanardi, 53, finalmente saiu do coma induzido. Nesta terça-feira (21), ele deixou o Hospital Universitário de Siena, na Itália, onde estava internado desde 19 de junho, e foi transferido para um centro especializado em neuroreabilitação, ainda em tratamento e em estado grave.

A notícia alegrou quem o acompanha, pois Zanardi inicia agora uma nova fase de recuperação. Ele sofreu um acidente gravíssimo na cidade de Pienza, na região da Toscana, ao perder o controle da própria handbike e atingir um caminhão.

Aos 53 anos, ele vai mostrando-se muito forte e resistente. O risco de vida era muito alto pela gravidade do acidente.

“Após a suspensão da sedação, a normalidade dos parâmetros cardiorrespiratórios e metabólicos, a estabilidade das condições clínicas gerais e o quadro neurológico permitiram a transferência do paciente para um centro especializado em recuperação e reabilitação funcional. Alex Zanardi foi transferido hoje para outra instalação hoje”, diz trecho da nota do hospital.

Ex-piloto de F1 e Cart, Zanardi sofreu um acidente igualmente grave em 2001, correndo risco de morte e tendo as pernas comprometidas e amputadas na altura do joelho. Deu um exemplo de sobrevivência.

Sem se entregar, virou paraciclista e passou a competir em alto nível. Tem quatro medalhas de ouro e duas de prata, sendo o maior campeão da modalidade. O acidente atual ocorreu numa prova na região da Toscana.

O fim do coma induzido e a transferência para uma nova unidade de tratamento deixou os médicos que o acompanhavam emocionados. O gerente-geral do Hospital de Siena acabou atendendo a imprensa para falar dos próximos passos.

“Ele passou mais de um mês em nosso hospital e foi submetido a três delicadas operações cirúrgicas. Mostrou um caminho de estabilidade de suas condições clínicas e parâmetros vitais que permitiram a redução e suspensão da sedação e a consequente possibilidade de poder ser transferido para uma instalação para a neuroreabilitação necessária. Envio um grande abraço à família de Alex, que mostrou uma força extraordinária”, disse.