<
>

As razões da demissão do campeão olímpico Thiago Braz do Pinheiros

play
Usain Bolt participa de corrida sem gravidade, dá show de velocidade e tem comemoração diferente (0:26)

Corredor relembrou o momento e publicou o vídeo nas redes sociais - @usainbolt (0:26)

Thiago Braz foi uma das estrelas do Brasil nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016. Aliás, só ele conseguiu uma medalha na modalidade. E logo a de ouro.

A histórica conquista no salto com vara, hoje com 26 anos, foi a realização do sonho de um menino humilde, nascido em Marília, no interior de São Paulo. foi o ápice de uma carreira fulminante.

Virou ídolo do dia para a noite, mas aos poucos, sem muita ligação com o próprio Brasil, deu uma sumida. A impressão é que a medalha de ouro, em vez de tornar Thiago um ídolo nacional, o afastou de sua terra natal.

Recentemente, ele voltou ao noticiário quando teve seu nome como um dos atletas cujos contratos foram encerrados pelo Esporte Clube Pinheiros. Entre outros, nove atletas do basquete também foram dispensados.

A pausa no NBB por causa da COVID-19 fez com que o clube decidisse paralisar a operação do basquete profissional. Com Thiago, a falta de bons resultados e a distância pesaram, além do alto salário.

Segundo o presidente do clube, Ivan Castaldi Filho, a demissão havia sido decidida antes da pandemia, mas a COVID-19 antecipou o desligamento. Vale lembrar que os Jogos Olímpicos de Tóquio, que inicialmente seriam disputados de 24 de julho a 9 de agosto de 2020, foram adiados para o ano que vem, ainda sem a confirmação de que serão, de fato, realizados. Ele tinha mais oito meses de contrato e estava ligado ao Pinheiros desde fevereiro de 2017, cerca de seis meses depois do ouro olímpico.

View this post on Instagram

Sabemos que todos estão passando por um momento delicado, mas o adiamento das olimpíadas foi uma decisão sensata. Vamos pensar pelo lado positivo. Nós, atletas, teremos mais tempo para treinar e nos preparar da melhor maneira possível e fazer das olimpíadas um grande espetáculo para o mundo! • We know that we are all going through a delicate moment, but delaying the Olympics was the most sensible decision. We have to think on the positive side. For us, athletes, we will have more time to train and to prepare on the best way possible, making these Olympic games a great spectacle for the whole world! • Sappiamo che stiamo attraversando un momento delicato, ma ritardare le Olimpiadi è stata la decisione più sensata. Dobbiamo pensare dal lato positivo. Per noi, atleti, avremo più tempo per allenarsi e prepararsi nel miglior modo possibile, rendendo questi giochi olimpici un grande spettacolo per tutto il mondo! • #2020voaaltothiagobraz #tokyo2020 #tokyo2021 #olimpiadas

A post shared by Thiago Braz (@thiagobrazpv) on

“O Thiago Braz tinha o maior salário de todos os atletas no clube. A relação dele com a gente era muito distante. Toda vez que o procurávamos ele nunca atendia, tínhamos que falar com a esposa e nunca com ele. Seus resultados também não vinham sendo correspondidos com a nossa expectativa. Está morando na Itália e a relação, como eu disse, era muito fria, distante, e para a gente já não estava mais valendo a pena”, disse o presidente, em entrevista exclusiva ao ESPN.com.br.

Nos bastidores do Pinheiros, há um burburinho que os contratos dos atletas de alto rendimento serão rescindidos, como é desejo de parte dos associados. Castaldi negou. “Não caiam nessa conversa mentirosa de que acabaremos com os esportes olímpicos do clube, pelo contrário, estamos procurando saídas para ajustar as contas e não deixar ninguém na mão.”

Procuradas pela reportagem, pessoas ligadas à CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo), que acompanham com uma lupa a carreira do atleta, corroboram com a tese do Pinheiros.

“Todo mundo atletismo sabe, é só sair perguntando. Parece que a medalha não fez bem para o saltador. Cá entre nós, é só ver os resultados dele depois dos Jogos do Rio. Além disso, ele não é um cara que se relaciona bem com outros atletas. Dá a impressão que vive numa bolha, que não dá a mínima para o coletivo e sim para o individual”, disse uma das fontes ouvidas.

“Com o dinheiro que ele ganhava, dá muito bem para pagar uns seis, sete profissionais do atletismo, que somam no total 60 atletas que recebem apoio do Pinheiros”, completou.


Resultados

De fato, o rendimento de Thiago oscilou bastante depois dos Jogos do Rio, e ele ficou muito distante de sua melhor marca pessoal, os 6,03 m que garantiram o ouro olímpico. Veja as melhores marcas do saltador ano a ano, depois da Olimpíada:

  • 2016 – 6,03 m - Jogos Olímpicos, Rio de Janeiro (ouro)

  • 2017 – 5,60 m - Diamond League, em Xangai (China, quarto lugar) e Monaco (nono)

  • 2018 – 5,70 m - Meeting Internacional de Sotteville-lès-Rouen (França, ouro)

  • 2019 – 5,92 m - Diamond League, em Monaco (terceiro lugar)

O atletismo não considera apenas vitórias como bons resultados. Uma performance de alto nível, mesmo sem medalha, em um evento com a elite mundial, pesa muito na análise. E esse foi outro ponto que Thiago não brilhou, especialmente pela escassez de boas marcas em disputas de maior expressão.

Em 2017, ele teve como melhores resultados a prata no Grande Prêmio Brasil e o ouro no Troféu Brasil, ambos em São Bernardo do Campo. Na temporada seguinte, repetiu o feito no Troféu Brasil, em Bragança Paulista, e ganhou o Meeting Internacional de Sotteville-lès-Rouen, na França, além do bronze no GP Brasil.

No ano passado, foram duas pratas (Diamond League, em Doha, e Campeonato Sul-Americano, em Lima) e um terceiro lugar (Diamond League, em Monaco). A única vitória foi no Meeting de salto com vara, em Castelporziano, na Itália.

A expectativa dos dirigentes, tanto do Pinheiros como da CBAt, era que ele resultados expressivos nas principais competições internacionais de 2019, o que não aconteceu. Thiago ficou em quarto nos Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru, e em quinto no Mundial de Atletismo, em Doha, no Qatar. Em 2020, foram dois eventos, ambos indoor, na França e na Alemanha, sem medalha.

View this post on Instagram

E assim encerra minha temporada 2019! Posso dizer que mesmo sem o resultado que eu gostaria no Mundial, foi o melhor ano desde 2016. Voltei a sentir felicidade ao saltar, propósito, voltei a sentir que dentro de mim EXISTE garra e coragem!. Obrigado a todos que estiveram comigo, CADA UM DE VOCÊS FAZ PARTE DO MEU TIME, e como eu venho falando: NOSSO TIME É FORTE!! E eu sei que estamos no caminho certo! No mundial tive um problema físico que me impediu de saltar, mas já comecei meu tratamento de fisioterapia. Mesmo acontecendo isso, foi minha melhor participação em Mundiais. E digo com certeza que voltei a sentir o MEU SALTO! Com tudo isso, meu objetivo já foi traçado, e eu to totalmente dentro dele! BORA SALTAR @timethiagobraz @neymarpai_ @robertonahon @timebrasil @rosassociati @stephan_gram @federosa69 @mauriziogalantino @institutodoatleta @nike @caixa @nnconsultoria @daycrespo1 @vanessa_altamiro @beatsbydre @gabipozzi @timethiagobraz @patty30guedes @redbull @nikviscu44 @danisknow @soon_ej @institutoreaction @fab_oficial @jorge.bichara @gusmjorge @betotrack @ecpinheiros @claudiocastilho @lampaturoficial @wagner_ribeiro23 @everest.alinhador @atletismo.brasil #VITALIYPETROV #ELSONMIRANDA #ADRIANA #THIBRAZRUMOATOQUIO GRATIDÃO A TODOS ♥️ 📸 Andy Lyons

A post shared by Thiago Braz (@thiagobrazpv) on


Na Itália

Segundo relatos de outras pessoas envolvidas, tanto do Pinheiros quanto da CBAt, Thiago chegou a ficar por três meses sem contato com o clube em 2019, inclusive para receber o pagamento do apoio. Ele é patrocinado pela Caixa Econômica Federal e tem também apoio financeiro do COB (Comitê Olímpico Brasileiro).

A reportagem tentou contato com o atleta, que vive na Itália, sem sucesso, tanto por telefone como por aplicativo de mensagens. A assessoria de imprensa do atleta, NN Consultoria, de propriedade do pai e da mãe de Neymar Jr., Neymar e Nadine, disse que ele não vai se manifestar no momento.

Enquanto isso, Thiago segue sua rotina de treinamentos, em casa, na Itália, como mostra seu perfil no Instagram. E mesmo com o desligamento, ele ainda aparece na página de “lendas do esporte” do Pinheiros.


Relembre o ouro olímpico

Histórico! Thiago Braz conquista a medalha de ouro no salto com vara

Thiago Braz bate Lavillenie na França e elogia público: 'Amo os franceses'

Sereno e sem medo, Thiago Braz explica salto do ouro e diz: 'Um sonho concluído'

Após polêmica, francês é vaiado e chora no pódio do salto com vara

Francês diz que Rio deveria se envergonhar de torcida; campeão pondera: 'Entendo a emoção'

Francês diz que Rio deveria se envergonhar de torcida; campeão pondera: 'Entendo a emoção'

Técnico de francês diz que vitória do Brasil no salto com vara teve ajuda do candomblé

Prata, francês se compara a atleta que peitou Hitler e reclama de torcida brasileira

A história por trás da foto: como lenda do salto com vara reconciliou Thiago Braz e francês

Thiago Braz minimiza polêmica com francês e pede mais incentivo

VÍDEO: Thiago Braz conquista a medalha de ouro no salto com vara

VÍDEO: Especialista exalta 'ouro histórico' de Thiago Braz no salto com vara: 'Surpreendente'

VÍDEO: Thiago Braz já dava sinais de crescimento ao ser prata em etapa de Mundial em 2015; relembre

Campeão olímpico, Thiago Braz é apresentado no Pinheiros visando continuidade no Brasil