<
>

Bucs dispensam Antonio Brown após polêmica, e técnico revela como foi conversa que fez astro abandonar jogo

O técnico do Tampa Bay Buccaneers, Bruce Arians, deu detalhes sobre a polêmica que resultou na saída de Antonio Brown da franquia


Quatro dias após tirar o capacete e deixar o campo em meio ao jogo contra o New York Jets, Antonio Brown teve seu contrato encerrado com o Tampa Bay Buccaneers na última quinta-feira (06).

“Embora Antonio tenha recebido tratamento no tornozelo e tenha sido listado no relatório de lesão na semana anterior ao jogo, ele foi liberado pela equipe médica e em nenhum momento indicou que não conseguiria atuar”.

“Tentamos várias vezes ao longo da última semana marcar uma avaliação com um ortopedista externo, mas Antonio não concordou. Manter a saúde e o bem-estar dos nossos jogadores é de extrema importância para a nossa organização”.

Brown e seu advogado alegaram na quarta-feira que o wide receiver disse aos Buccaneers que estava muito dolorido para continuar jogando com o tornozelo lesionado, mas o técnico Bruce Arians rebateu ter qualquer conhecimento dessa natureza, e afirmou que Brown não comunicou a ele ou à equipe técnica sobre seu problema.

“Em nenhum momento durante o jogo ele reportou ao médico sobre seu tornozelo, e esse é o protocolo”, disse Arians. “Passamos por protocolos durante jogos. Nunca fui notificado sobre isso. Obviamente, isso foi uma coisa perturbadora. Estávamos procurando por ele para voltar ao jogo”.

Arians disse que Brown estava agitado no intervalo do jogo contra os Jets por não ter atingido os objetivos que esperava e que precisava se acalmar. O advogado de Brown disse à ESPN que a fonte da frustração de Brown foi a lesão no tornozelo, não o desempenho em campo.

Sobre isso, Arians respondeu com uma risada: “Os jogadores sabem a verdade”.

As coisas pioraram no terceiro quarto do jogo.

“Ele se recusou a jogar”, disse Arians. “Foi quando olhei para trás e o vi acenando. Então eu voltei e perguntei o que estava acontecendo”. Arians disse que Brown lhe respondeu: 'Eu não estou jogando'. Foi quando o técnico questionou novamente: 'O que está acontecendo?'. E Brown teria respondido: 'Não estou pegando a bola'.

“Foi quando eu disse: 'Acabou, saia daqui'”, disse Arians.

O gerente geral do Bucs, Jason Licht, disse à ESPN que Brown e seu agente solicitaram na semana passada que os 2 milhões de dólares restantes em bonificações de contrato para esta temporada fossem garantidos.

A equipe recusou o pedido, mas Arians disse que sempre apoiou as decisões de Brown e de todos os outros jogadores para atender a seus incentivos.

Brown, que perdeu dez semanas (nove jogos) nesta temporada devido a lesão e suspensão, ficou 28 recepções, 255 jardas de recepção e três touchdowns distante de cumprir os critérios para aqueles 2 milhões de dólares.

No comunicado de quarta-feira, Antonio Brown disse que foi forçado a jogar com um tornozelo machucado e que isso vai exigir uma cirurgia, razão pela qual saiu do jogo tão abruptamente no terceiro quarto.

O técnico Bruce Arians disse que nunca forçaria um jogador a jogar durante uma lesão. “Não se pode forçar um jogador a jogar. Eles têm essa escolha. É o corpo deles. Ele decidiu jogar”.

Um porta-voz da NFL disse à ESPN na quinta-feira que Brown não estaria sujeito às punições disciplinares por suas ações durante o jogo de domingo. A NFL também se recusou a comentar quando questionada pela ESPN se a liga estava investigando as acusações de Brown contra os Bucs.

Chateado, Brown tirou sua camisa e jogou na arquibancada. O wide receiver correu pela end zone com os dois times ainda em campo e acenou para os fãs enquanto ia para o vestiário. Ele acusou os Buccaneers de descaracterizar sua explosão no campo como um “problema de saúde mental”, e não como uma recusa em jogar devido à dor.

Jason Licht disse que Brown não contou a ninguém da equipe médica dos Bucs no domingo sobre o problema com o tornozelo antes ou durante o jogo. O gerente disse que os Buccaneers fizeram “tentativas razoáveis” para encerrar o assunto no início desta semana, se de fato Brown sofreu uma lesão durante o jogo, e que o wide receiver se recusou a cooperar.

Brown disse na quarta-feira que passou por uma ressonância magnética na segunda-feira, que revelou fragmentos de ossos quebrados, um ligamento rompido e perda de cartilagem.

Ele também disse que os Bucs tentaram enviá-lo a um 'médico júnior', contra os dois que ele procurou na cidade de Nova York, onde havia agendado uma cirurgia. Ele afirma que os Bucs lhe deram “um aviso poucas horas antes para aparecer” e “ordenaram que fosse disciplinado”.

Licht disse à ESPN que os Bucs marcaram duas consultas em Nova York para Brown para que pudessem colocá-lo na relação de lesionados pelo restante da temporada, mas que o jogador não compareceu.

A equipe ainda poderia tê-lo colocado no quadro médico caso Brown tivesse enviado seus relatórios, mas ele não retornou as mensagens de texto e ligações, disse Licht.

O gerente disse que os Bucs também poderiam ter agendado mais exames em Tampa, mas que sabiam que Brown estava em Nova York e que acreditavam que estavam tentando agradá-lo. Brown e seu agente se recusaram a enviar aos Bucs suas informações médicas, e ele ainda não retornou as ligações da franquia.

Na quinta-feira de manhã, Brown postou capturas de tela nas redes sociais de trocas de texto com Arians sobre o estado de seu tornozelo, com legendas no Instagram com: “O treinador disse que nunca conversamos”.

Arians disse que ele se correspondeu com Brown durante a semana sobre o tornozelo, e ele disse que as mensagens de texto que Brown postou no Instagram sobre a conversa deles eram autênticas. Mas essa conversa não aconteceu na linha lateral, segundo o treinador.

Em outra postagem, Brown disse que nenhum de seus companheiros sabia sobre a suposta discussão com Arians.

“Não se engane. Meus irmãos têm sido bons comigo. De Tom [Brady] ao grupo de treino, éramos uma unidade”, postou Brown no Twitter. “Eles foram bons comigo e não sabiam nada sobre minhas conversas com o treinador na semana passada. A equipe lidou mal com a situação. Eles me decepcionaram e, mais importante, meus companheiros”.

“Acho que há muitos sentimentos. Não acho que seja realmente uma semana para discutir isso. Só farei o melhor que puder para o time, fazer uma ótima semana e terminar forte. Você sempre lida com coisas diferentes ao longo de uma temporada. É isso que estamos fazendo esta semana”, disse Brady.

Brown sofreu uma lesão no tornozelo na semana 6 e perdeu cinco jogos. Ele então foi suspenso por três jogos depois que uma investigação da NFL descobriu que havia produzido um cartão falso de vacinação para COVID-19.

O jogador voltou na semana 15 contra o Carolina Panthers, pegando dez passes para 101 jardas. Mas Brown também agravou a lesão e, como resultado, não participou dos treinos de quinta e sexta-feira da semana passada. Ele era oficialmente questionável antes do jogo contra os Jets.

Arians não estava nesses treinos porque estava em quarentena em casa depois de um teste positivo para COVID-19, mas foi mantido a par de tudo.

Arians disse que não tinha nenhuma indicação de que as coisas estavam diferentes com Brown, nem que houve um problema esta semana. Ele disse que ficou surpreso com a forma como as coisas se desenrolaram.

“Estou triste, mas ainda desejo o melhor para ele”, disse Arians sobre Brown, que se conhecem desde que Arians era o coordenador ofensivo do Pittsburgh Steelers. “Basta obter a ajuda de que precisa”.