<
>

NFL: J.J. Watt nos Cardinals, substituto de Brees nos Saints, trio dos Patriots... As notas das 10 principais contratações após seis semanas

Depois de seis semanas de jogos, está na hora de revisar o que as principais contratações do mercado de free agents da NFL já fizeram em seus novos times para decidir: qual foi a melhor negociação até agora?


As negociações livres da NFL continuam tão imprevisíveis quanto o fim dos jogos dos Seahawks.

As equipes estão em conflito sobre dar muito dinheiro a um jogador cujo time original não se esforçou o suficiente para renovar seu contrato. "Dar dinheiro '10' a jogadores '9,5'" é uma frase comum entre alguns olheiros e executivos que preferem montar seu time através do Draft. Contratar um jogador que esteve em outro sistema por quatro anos vem com riscos inerentes.

Há muitas histórias de sucesso - com resultados atrasados de pelo menos uma temporada, em alguns casos. Vejamos o defensive tackle dos Eagles, Javon Hargrave, e o pass-rusher dos Bears, Robert Quinn, jogadores de alto custo que deixaram a fraca temporada de 2020 em seus novos times para somarem 11,5 sacks durante as primeiras seis semanas em seu segundo ano.

Hargrave é um produto de um time que ‘Drafta’ muito bem. Ele se ofereceu para sair de Pittsburgh porque os Steelers tinham que pagar o All-Pro Cam Heyward. O mesmo acontece com o Pass-rusher Bud Dupree, que hoje está no Tennessee porque os Steelers tiveram que pagar T.J. Watt. Existem inúmeros exemplos e muitas equipes estão mais do que felizes com seus investimentos em março, já que várias negociações livres estão sendo bem produtivas em 2021.

Depois de conversar com executivos, treinadores e olheiros esta semana, vamos dar notas para 10 aquisições de free agents de alto nível, além de quatro excelentes escolhas de draft. Estes 10 não são necessariamente os melhores negócios de março, mas cada jogador aparece frequentemente em conversas quando estou conversando. O cenário completo sobre estes jogadores só virá nos próximos anos, mas considere isto como um relatório de evolução durante o primeiro terço da temporada.

Conteúdo patrocinado por Claro, Mitsubishi, Samsung Galaxy, C6 Bank e Magalu

Notas para 10 contratações em negociações livres da NFL

Trey Hendrickson, DE, Cincinnati Bengals

Condições: Quatro anos, 60 milhões de dólares (R$ 333 milhões)
Nota: 10

Em vez de ampliar o contrato do bom edge rusher Carl Lawson, os Bengals o autorizaram a assinar com os Jets e investiram muito dinheiro em Hendrickson, que alguns consideravam uma verdadeira surpresa ao chegar através de uma negociação livre. Hendrickson tinha sido um jogador importante durante seus três anos com os Saints antes de sair do time com 13,5 sacks, ficando à frente de Cam Jordan em 2020.

Os céticos se perguntavam se uma linha talentosa dos Saints teria ajudado a inflar os números de Hendrickson. Os Bengals viram um jogador resistente e implacável com explosão. O resultado: Os 5,5 sacks de Hendrickson em seis jogos estão empatados em oitavo lugar no campeonato, e sua taxa de 24% de vitórias em pass rush está em 11º lugar entre os edge defenders.

"Trey Hendrickson tem sido uma grata surpresa", disse um executivo da NFC. " Eu o via mais como um cara situacional no passado, mas ele está muito bem este ano. Ele não só está conseguindo sacks, mas também está criando situações e sacks para seus companheiros de equipe".

Um exemplo do respeito que Hendrickson conseguiu atualmente: tanto o quarterback dos Packers, Aaron Rodgers, quanto o técnico Matt LaFleur procuraram Hendrickson para elogiar sua jogada na semana 5 na partida dramática entre Green Bay e Cincinnati, que Green Bay venceu na prorrogação.


Matt Judon, OLB, New England Patriots

Condições: Quatro anos, 54,5 milhões de dólares (R$ 302 milhões)
Nota: 10

Judon se encaixa bem com os Patriots e a defesa de Bill Belichick que prioriza a versatilidade. Com 6,5 sacks, Judon está facilmente no caminho para ter sua primeira temporada de dois dígitos de sacks na carreira. Ele pode lidar com as funções de parar a corrida de adversários ou se alinhar em diferentes posições, até mesmo iniciando algumas jogadas como defensive tackle.

"Sou parcial com jogadores completos, e ele é", disse um avaliador de pessoal da AFC. "Ele pode realmente fazer tudo o que você precisar, o que é perfeito para Bill".

Judon enfrentou expectativas diferentes devido a seu pedigree de duas vezes indicado ao Pro Bowl. Ele já estava bem estabelecido, mas cumpriu com seu contrato. E embora alguns executivos às vezes criticassem seu desempenho em Baltimore, isso não parece ser um problema em New England.


Corey Linsley, C, Los Angeles Chargers

Condições: Cinco anos, 62,5 milhões de dólares (R$ 347 milhões)
Nota: 9,5

Com os Packers presos ao teto salarial, eles não iriam pagar seus dois principais free agents. Então, eles escolheram pagar um: o running back Aaron Jones. Isso fez com que um dos melhores centers do esporte ficasse disponível, e os Chargers rapidamente se lançaram sobre ele no primeiro dia de free agency.

Os Chargers comemoram a qualidade de Linsley em público e em particular. Entre seus objetivos intangíveis, ele produziu resultados: L.A. é uma das seis equipes da NFL sem sofrer penalidades em partidas, e o ataque atingiu 27,6 OEPA (pontos ofensivos esperados convertidos) na semana 5 contra uma forte pressão de pass rush dos Browns.

"Ele não está se impondo fisicamente, mas ele faz tudo certo - um jogador realmente inteligente", disse um executivo da AFC. "Ele é um bom center para um quarterback jovem para mantê-lo seguro na frente".

Linsley entrou na semana 6 com uma excelente nota 78,7 do Pro Football Focus. As duas grandes contratações da linha ofensiva dos Chargers funcionaram - o guard Matt Feiler tem sido consistente - e o novato da primeira rodada do draft Rashawn Slater, que parece ser sólido como left tackle.


Jameis Winston, QB, New Orleans Saints

Condições: Um ano, 5,5 milhões de dólares, podendo chegar até 12 milhões de dólares (R$ 30,5 milhões até R$66 milhões)
Nota: 9

Winston enfatizou a tomada de decisões em sua segunda chance com New Orleans, e até agora ele está evitando os turnovers que o atrapalharam em Tampa Bay. Com 892 jardas de passe, 12 touchdowns e três interceptações em cinco jogos, ele ocupa o 10º lugar no QBR Total (61,3), entre Justin Herbert e Derek Carr. Difícil reclamar disso.

Houve altos e baixos. As 128 jardas totais do ataque contra Carolina na semana 2 - as menores da era Sean Payton - foram particularmente curiosas. Os Saints estão sendo conservadores com Winston, que está tentando 23,2 passes por jogo, o menor número entre os quarterbacks com pelo menos cinco partidas como titular. Mas o casamento Winston-Payton começou muito bem. Os Saints simplesmente não têm talento suficiente entre os recebedores, com os receivers Michael Thomas e Tre'Quan Smith machucados.

"Jameis não é perfeito, mas tem muita habilidade, algumas delas inexploradas, com muito talento nos braços", disse um olheiro da NFC. "Ele pode nunca ser um cara de poucas interceptações como os melhores, mas ele está claramente trabalhando para melhorar o impulso de forçar algo que não está lá. E o feeling de Sean para o esporte só vai continuar a ajudá-lo".

Ainda é muito cedo para dizer se os Saints vão se comprometer com Winston a longo prazo, mas ele será uma das principais opções quando eles analisarem o mercado de QBs em 2022.


J.J. Watt, DE, Arizona Cardinals

Condições: Dois anos, 26 milhões de dólares (R$ 144 milhões)
Nota: 8,5

Liberado dos Texans em fevereiro, Watt teve apenas uma modesta produtividade durante as primeiras cinco semanas da temporada - zero sacks, quatro tackles para perda de jardas, um fumble forçado - antes de uma grande semana 6 contra Cleveland.

Ele assumiu o comando contra os Browns, com um bom sack em Baker Mayfield, um desvio de passe e destruiu o backfield que gerou um sack do companheiro de time. Aos 32 anos, Watt não está igualando sua época de três vezes Jogador Defensivo do Ano, mas ele está se justificando com boas jogadas. Ele esteve em segundo lugar na liga em pass rush entre os jogadores do interior da linha defensiva até a semana 5.

"Watt não é o mesmo cara que ele era, mas ele fará algumas jogadas para que você se lembre do que ele ainda pode fazer", disse um treinador ofensivo da NFL que planejou jogadas para Watt nesta temporada.

O 6-0 dos Cardinals é uma das maiores surpresas da temporada, e o jogo estável de Watt tem ajudado a melhorar a defesa.

Hunter Henry e Jonnu Smith, TEs, New England Patriots

Condições: Três anos, 37,5 milhões de dólares (R$ 208 milhões) para Henry e quatro anos, 50 milhões de dólares (R$ 277 milhões) para Smith
Nota: 8

No início da 6ª semana contra Dallas, New England estava usando seus tight end contratados de formas versáteis, o que você pode esperar de uma dupla bem paga. Smith se alinhou na ponta do campo para receber um screen pass de 9 metros para marcar um touchdown. Henry trabalhou fora da jogada para atrapalhar o safety Malik Hooker e conseguir um touchdown pelo meio.

No entanto ao final do jogo, os dois tinham sido alvo apenas quatro vezes, com Henry pegando dois passes de 25 jardas e Smith pegando um de 9 jardas. A dupla está com uma média de 9,7 jardas por recepção em 365 jardas totais. Eles estiveram em campo juntos por 109 passes - de 362 no total - e os Patriots estão com média de apenas 4,7 jardas por jogada quando eles estão no jogo.

"Eles provavelmente gostariam de estarem produzindo um pouco mais, mas se você perguntar a eles eu aposto que eles estão satisfeitos", disse um executivo da AFC. "Só por causa das opções que eles dão ao ataque. Eles usaram [Smith] como um "H-back", fora da jogada".

Um executivo da NFC acrescentou que a média de 7,8 jardas por recepção de Smith não é boa o suficiente para um jogador do seu calibre depois do que mostrou em Tennessee.

"Eles provavelmente precisam mais de dois de seus jogadores mais talentosos", disse um executivo da NFC.


Corey Davis, WR, New York Jets

Condições: Três anos, 37,5 milhões de dólares (R$ 208 milhões)
Nota: 7,5

Davis teve algumas dificuldades, incluindo dois drops na derrota da semana 3 para os Broncos, mas ele também teve dois jogos com mais de 90 jardas e está em ritmo de ter mais de 1.000 jardas e quase 10 touchdowns.

"Ele é mais um bom receiver nº 2 e os Jets têm que tratar ele como um nº 1 por causa do talento na equipe, mas eles estão remunerando ele como um bom 2", disse um olheiro da AFC. "Então, em geral, acho que eles estão felizes com o que eles têm, como esperado".

Davis foi alvo 36 vezes e o companheiro de equipe mais próximo (Braxton Berrios) tem 23, por isso é claro que os Jets estão tentando incentivar Davis. No entanto, ele ainda pode fazer mais para ajudar o 30º ataque em passes da liga.


Kenny Golladay, WR, New York Giants

Condições: Quatro anos, 72 milhões de dólares (R$ 400 milhões)
Nota: 7

A sensação é que Golladay tem sido apenas ok. Suas 16,6 jardas por recepção estão alinhadas com as médias de sua carreira, mas os Giants estão lhe pagando muito dinheiro para chegar à end zone... e ainda estão esperando. Ele tem apenas um jogo de 100 jardas, e uma lesão no joelho o deixou fora da derrota na semana 6 dos Giants para os Rams.

Quando Golladay estiver no seu melhor, ele será um demônio na red zone que pode ultrapassar os melhores pontuadores. Em sua última temporada completa, em 2019, ele teve 11 touchdowns e foi o alvo mais procurado dentro da linha das 10 jardas (13). Golladay tem apenas 17 recepções em 31 vezes que foi alvo até o momento, e ele está caminhando para menos de 1.000 jardas.

"Golladay se machucou e, quando esteve fora, ele não parece ter uma boa relação com Daniel Jones", disse um executivo da NFC.

Ainda há muito tempo para desenvolver isso. Mas com os Giants com 1-5 e lidando com várias lesões no ataque, eles poderiam usar um catalisador bem pago o mais cedo possível.


William Jackson III, CB, Washington

Condições: Três anos, 40,5 milhões de dólares (R$ 224 milhões)
Nota: 6,5

Jackson se tornou um dos corners mais bem pagos da free agency por causa de sua capacidade de fazer cobertura de jogadores que pressionarem com fisicalidade. O ex-corner nº 1 dos Bengals ainda está se adaptando a Washington, que, sob o comando do coordenador Jack Del Rio, marca em cobertura de zona com uma combinação de homem a homem.

Em 37 alvos como o defensor mais próximo na cobertura, Jackson permitiu 19 recepções para três touchdowns e 265 jardas com uma interceptação. O Pro Football Focus lhe dá uma nota baixa de 46,8, e ele é o cornerback com mais faltas (5) nas seis semanas. Conseguir o tackle tem sido um problema em alguns momentos.

"Ele tem se saído bem, não jogando bem o suficiente para corresponder o quanto ganha, mas jogando decentemente", disse um executivo da NFC. "Provavelmente nunca será um cara [do mais alto nível]. É um bom jogador, mas não tem a habilidade de elite para isso".

A defesa do Washington está permitindo 6,0 jardas por jogada (24º na liga) e 7,7 jardas efetivas por passe (25º) para um começo de 2-4 decepcionante.

Outro corner free agent está a caminho de um começo melhor com sua nova equipe: o ex-defensor do Seattle, Shaquill Griffin, que Jacksonville contratou por 40 milhões de dólares (R$ 221 milhões), permitiu 21 recepções e 240 jardas e zero touchdowns sendo alvo 33 vezes como o defensor mais próximo.


Bud Dupree, OLB, Tennessee Titans

Condições: Cinco anos, 82,5 milhões de dólares (R$ 458 milhões)
Nota: Incompleta

Dupree falhou em conseguir notas altas com quatro tackles e dois hits em quarterbacks nos três jogos disputados. Mas os Titans estavam pensando a longo prazo com Dupree, que precisava de tempo para se recuperar de um rompimento no ligamento cruzado anterior sofrido em dezembro quando jogava pelos Steelers.

Ele esperava estar em condições até a semana 1, mas ficou de fora das semanas 3 a 5 e tem apenas 132 jogadas nesta temporada. É por isso que é difícil conseguir uma nota até agora.

"Eu só acho que ele voltou muito cedo", disse um olheiro da NFC. "Normalmente os jogadores que voltam de uma lesão no ligamento cruzado anterior não são os mesmos até o segundo ano, e isso pode ser verdade especialmente para os pass rushers".


As melhores contratações de valor antecipado

Emmanuel Sanders, WR, Buffalo Bills: Uma estatística clara de 24-413-4 ao longo dos seis primeiros jogos faz com que seu acordo de um ano, 6 milhões de dólares (R$ 33 milhões), pareça uma pechincha. Os Bills estão entusiasmados com seu desempenho profissional e sua conexão instantânea com Josh Allen.

Haason Reddick, DE, Carolina Panthers: Reddick transformou um negócio de um ano, 6 milhões de dólares (R$ 33 milhões), em uma grande quantidade de sacks, com 6,5 nas seis semanas. O jovem de 27 anos de idade poderia se colocar em um grande negócio em março do ano que vem.

Damontae Kazee e Jayron Kearse, DBs, Dallas Cowboys: Os Cowboys conseguiram Kazee e Kearse por um total de 2,254 milhões de dólares (R$ 12,5 milhões) em acordos de um ano. Os dois têm um total de 39 tackles, 5 passes desviados, um fumble forçado e uma interceptação, participando de mais de 700 jogadas. Malik Hooker, com um salário mínimo de veterano, também apareceu nas últimas semanas.

Chidobe Awuzie, CB, Cincinnati Bengals: Seu contrato de três anos, no valor de 21,75 milhões de dólares (R$ 120 milhões) parece bom para os Bengals. A nota de 77,8 de Awuzie no Pro Football Focus é boa. Os Bengals estão satisfeitos com todas as suas contratações de free agent defensivos, incluindo o slot corner Mike Hilton e o defensive tackle Larry Ogunjobi.