<
>

NFL: Como hospital que Greg Olsen, ex-Panthers, ajudou a construir salvou a vida de seu filho com transplante de coração

play
Recém-aposentado da NFL, Greg Olsen posta vídeo do filho de 8 anos contando aos amigos que conseguiu doação de coração (0:27)

Via Instagram @gregolsen88 | TJ Olsen realizou um transplante de coração na última semana (0:27)

Greg Olsen olhou pela janela da frente de sua casa, no sul de Charlotte, e viu seu filho de 8 anos, TJ, jogando futebol com sua irmã gêmea, Talbot.

"Sabe, é incrível o quão resistentes essas crianças são", disse o tight end recém-aposentado do Carolina Panthers. "E o que estes médicos conseguem fazer é extraordinário".

Apenas três semanas antes, TJ havia sido submetido a um transplante de coração no Atrium Health Levine Children's Hospital. Os Olsens arrecadaram mais de US$ 5 milhões para as instalações do hospital localizado em Charlotte desde que seu filho nasceu com uma doença cardíaca congênita em 2012.

Greg e sua esposa, Kara, sempre souberam que TJ precisaria de um transplante. Eles só esperavam que não fosse tão cedo.

Conteúdo patrocinado por Ipiranga, Mitsubishi, Samsung Galaxy, C6 Bank e Magalu

Eles não estavam preparados para o que aconteceu quando entraram no Levine em 24 de maio pensando que TJ, que fez três cirurgias de peito aberto depois de nascer com meio coração, estava cansado com uma agenda lotada de jogos de beisebol à noite e um casamento.

"Em poucas horas, estávamos na UTI e ele estava com insuficiência cardíaca", disse Greg.

Quatro dias depois, TJ estava na lista de transplantes.

Naquele momento, as 14 temporadas da NFL e o status de celebridade de Greg não puderam ajudar a acelerar o processo de doação.

O Dr. Gonzalo Wallis, diretor médico do programa de transplante pediátrico do Levine, deixou isso claro.

"Existem certas coisas que podemos fazer para ajudar", disse Wallis. "Essa não é uma delas".

"O coração dele está chegando ao limite"

A primeira postagem de Greg nas redes sociais sobre a condição de TJ aconteceu em 24 de maio. O segundo parágrafo dizia tudo: "Infelizmente, parece que o coração dele está chegando ao seu limite".

A partir daí, Greg manteve não apenas amigos, familiares e fãs atualizados regularmente sobre a condição de TJ. Ele manteve o mundo atualizado através de redes sociais.

"A cobertura e apenas as menções se estenderam por todo o país e até internacionalmente", disse Savannah Simons, a estrategista de comunicação clínica da Atrium Health.

Wallis e o Dr. Joseph Paolillo, o chefe de cardiologia pediátrica do Levine, viram o apoio gigantesco, apesar de terem feito o melhor para evitar as redes sociais. Paolillo disse que foi uma "experiência edificante", uma vez que aumentou a conscientização sobre o problema congênito mais comum entre crianças.

"É uma experiência muito emocionante para todos os envolvidos", disse Paolillo.

Nem todas as celebridades se sentem à vontade para compartilhar as dificuldades familiares. Greg tem compartilhado a história de TJ desde que o problema cardíaco de seu filho foi descoberto antes de ele nascer, querendo dar um rosto ao problema e o subsequente plano de tratamento.

"Todos hoje em dia estão tão dispostos e felizes em compartilhar sobre todos as coisas positivas, certo?" disse Greg. "O home run de seu filho, a formatura na faculdade e uma promoção de emprego, touchdown".

"Mas a realidade é que há muitas pessoas lá fora que estão passando por isso. Ter nossa história por aí e receber a atenção que ela deu nos coloca em um papel mais humano em tudo isso. ... E nós estamos confortáveis com isso".

A espera

Vários anos atrás, durante uma visita regular ao hospital, Greg iniciou um vínculo com uma criança da mesma idade que TJ. Essa criança teve que esperar nove meses por um transplante. Ele ficou lá por tanto tempo que ficou conhecido como o "prefeito" do hospital.

Por causa da experiência, uma das primeiras perguntas que Greg fez a Wallis sobre o transplante de TJ foi: "Vou esperar tanto tempo quanto [eles esperaram] pelo filho deles?".

Wallis lembrou a Greg que o processo de transplante é transparente e feito "para que ninguém possa furar a fila".

O fato de que ele ajudou a abrir o HEARTest Yard Congenital Heart Center em Levine - a própria unidade que TJ precisava - doando US$ 2,5 milhões? Isso também não importava.

"As pessoas pensam que você pode comprar órgãos e comprar uma passagem para ir para a frente da fila", disse o três vezes selecionado no Pro Bowl. "E isso não podia estar mais distante da verdade".

Dependendo da região do país, a fila pode ser longa. Em Seattle, onde Greg passou a temporada 2020 com os Seahawks, a espera pode ir de seis meses a um ano. Em Nova York, pode ser de até seis meses.

A cidade de Charlotte, porque pode se abastecer de várias áreas densamente povoadas num raio de 640 quilômetros, é considerada um "bom lugar" para transplantes. A média para crianças de todas as idades é de 51 dias para a maior prioridade.

"Ele disse: Escutem, pessoal. Já recebi chamadas dentro de um dia. E recebi chamadas depois de um ano", disse Greg sobre a conversa com Wallis. "Ele disse: 'Não sei dizer quanto tempo vai demorar. O que eu posso lhe dizer é que TJ é forte. Ele tem todos os outros órgãos... todos os outros indicadores de resultados positivos são realmente bons. Seu coração está falhando, mas o resto de seu corpo é muito saudável".

TJ conseguiu uma combinação em oito dias, simbólica para Greg, porque ele usou o nº 88 durante suas nove temporadas com os Panthers. O padre da família Olsen o chamou de "piscada de olho de Deus".

"Tivemos muitas piscadelas", disse Greg.

Também ajudou que TJ foi colocado no registro nacional cardíaco perto do feriado do Memorial Day, disse Wallis.

"Como tudo na vida, é em função dos feriados que as pessoas têm acidentes", disse Wallis, esclarecendo a realidade dos transplantes.

Não era só TJ

O que a maioria fora do hospital não sabia é que três outras crianças fizeram transplantes cardíacos e outra um transplante renal de doadores anônimos durante um período de cinco dias próximo ao da cirurgia de TJ.

Levine realizou 11 cirurgias de transplante em 2021 e 111 até hoje.

"Assim, havia muitas famílias de origens diferentes, de diferentes estilos de vida", disse Greg. "Estávamos todos acompanhando nossos filhos pelos corredores e parando fora dos quartos uns dos outros para verificar como a recuperação estava indo.

"Foi uma época muito louca lá para algumas outras famílias, assim como para nós".

Era também frenético para a equipe médica.

"Minha equipe trabalhou por três dias seguidos", disse Wallis. "E ninguém deu um pio".

Como Wallis detalhou aqueles momentos, a executiva das instalações Levine, Callie Dobbins, enxugou uma lágrima, um lembrete de que esta foi uma jornada emocionante para o pessoal, assim como para as famílias.

"É de tirar o fôlego", disse Wallis. "Venho de um país do Terceiro Mundo que se alguém tivesse nascido com doença cardíaca congênita, não há nada que eu pudesse ter feito".

"Ainda não terminou"

Quatro dias após a cirurgia, Greg postou um vídeo de 12 segundos de TJ em seu leito no hospital.

"Olá a todos", disse TJ com uma voz suave. "Obrigado por lembrarem de mim. Obrigado por rezarem comigo. Nós amamos vocês, tchau''.

Wallis não viu o vídeo inicialmente. Mais uma vez, ele evitou propositalmente as redes sociais.

"Fazer isso é como andar na corda bamba", disse ele. "E se você acrescentar a rede social a isso, é como pôr fogo na corda bamba. Estávamos apenas nos concentrando no cuidado com as crianças e não nos preocupando com nenhum outro ruído".

Mas o ruído pelo país era alto.

"Há certamente outros membros da família de celebridades que têm problemas como este que não são tornados públicos", disse Paolillo. "Mas isto parece ser, e talvez seja porque o estamos vivendo e somos parte dele, muito mais duradouro, o impacto".

Ele disse que isso o lembrou de quando o apresentador do talk show Jimmy Kimmel anunciou em 2017 que seu filho havia nascido com um problema cardíaco congênito que exigia múltiplas cirurgias.

"De certa forma, ele não falou mais sobre isso, mas isto ainda não está resolvido", disse Paolillo. "Eu acho que é a personalidade entrelaçada com a história".

Greg, agora um analista da NFL para a Fox Sports, não planeja sumir. Ele disse a Wallis e Paolillo que "ainda não terminou" sua busca por conscientizar sobre o que TJ está passando - e o que pode vir a acontecer.

Pacientes como TJ que tiveram um transplante de coração podem enfrentar complicações como a rejeição do órgão ou infecções. Além disso, os corações transplantados não duram para sempre. Em média, um coração transplantado pode durar 17 anos em crianças, de acordo com Simons da Atrium Health.

Exatamente o que Greg não pode dizer sobre o futuro. Sua jornada é tão incerta quanto a que TJ enfrenta, embora Paolillo tenha colocado na mesa o fato de ser um defensor da doação de órgãos para ele.

"Sabemos que isto era muito maior que o TJ, era muito maior que nossa família", disse Greg, que fez questão de agradecer ao pessoal do hospital em cada posto. "Eu nunca pediria a meu filho para passar por isso, mas eu nunca mudaria o que isso nos permitiu fazer".

"Eu nunca mudaria as vidas que nos permitiu tocar, os programas que começamos, os médicos que ajudamos a contratar, as histórias que ouvimos".

Final feliz

Na varanda da frente, quando TJ voltou para casa em 16 de junho, havia 35 capacetes de futebol universitário assinados por treinadores universitários, muitos deles Greg nunca conheceu.

Isto foi parte do que Wallis gosta de chamar de "final feliz" da história que realmente não terminou por causa das necessidades médicas recorrentes.

"Não sei onde vamos colocar todos eles", disse Greg sobre os capacetes. "Eles vêm de dia. Nossa garagem estava cheia de coisas. Foi muito difícil por um tempo".

Mas nada foi tão difícil quanto ter que esperar 16 horas a partir do momento em que TJ foi submetido à cirurgia para vê-lo novamente.

E nada foi tão reconfortante quanto olhar pela janela da frente e ver TJ jogando bola com sua irmã.

"Apenas uma montanha-russa de emoções a cada dia de recuperação", disse Greg. "Existem altos e baixos. Você só tenta continuar seguindo em frente".