<
>

NFL: Com Aaron Rodgers ameaçando não voltar, Packers tentam 'superacordo' para ter quarterback por mais um ano

play
'Eu esperava uma postura do Aaron Rodgers parecida com a de Tom Brady', diz Paulo Antunes sobre futuro de astro dos Packers (1:55)

Comentarista analisou reação don QB dos Packers à chegada de seu 'substituto' Jordan Love | Veja o vídeo completo no YouTube da ESPN Brasil (1:55)

No final de abril, o atual MVP da NFL, Aaron Rodgers, disse à diretoria do Green Bay Packers que não queria mais jogar pelo time, apesar de ter contrato até 2023. Agora, a equipe está oferecendo uma série de concessões para tentar persuadir o quarterback a jogar pela franquia por pelo menos mais uma temporada, segundo informaram fontes à ESPN.

No último final de semana, Rodgers e Packers chegaram a um acordo mútuo, ficando próximos de convencerem o craque a abandonar seus planos de não se reapresentar ao training camp.

Apesar da situação ainda não estar concluída, já que Rodgers ainda está em sua casa na Califórnia, tanto o time quanto o jogador esperam concluir a situação o quanto antes, de acordo com fontes ouvidas pela reportagem.

A princípio, o acordo teria as seguintes condições, que ainda estão sendo discutidas para chegar a denominadores comuns. A expectativa é que as coisas estejam resolvidas anets da abertura do training camp, na terça-feira.

- O contrato de Rodgers, que vai até 2023, seria anulado, com a proibição de tags no futuro

- Os Packers concordariam em revisar a situação de Rodgers ao final da próxima temporada

- O contrato de Rodgers seria ajustado sem perda de receita para dar aos Packers mais espaço para salary cap agora

- A diretoria se compromete a resolver urgentemente os problemas mais sérios de Rodgers com a organização

Se o acordo de fato for assinado, será a maior concessão já feita a um atual MVP da NFL, com o jogador tendo a liberdade de escolher onde vai jogar a partir de 2022.

A concordância dos Packers em "revisar" a situação do quarterback depois da próxima temporada, aliás, deixa implícito que o time topará trocar Rodgers se ele ainda se sentir desconfortável com a "cultura Packers" e a forma como a diretoria toma decisões sobre a equipe.

Se um aperto de mão for dado entre as partes, Rodgers voltaria para sua 17ª temporada de NFL, algo que nenhum quarterback na história de Green Bay já fez, incluindo nomes lendários como Bart Starr e Brett Favre.

A vonta de Rodgers, com a ampliação do salary cap do time, deve também fazer os Packers tentarem novamente a ampliação do contrato do wide receiver Davante Adams, segundo disseram fontes à ESPN.

Na temporada passada, Adams liderou o time em interceptações (115), jardas recebidas (1.374) e touchdowns (18).