<
>

O Guia dos Playoffs da NFL: favoritos, destaques e análise de cada concorrente ao Super Bowl LV

play
Playoffs da NFL: Paulo Antunes dá seus palpites e analisa jogos da rodada de Wild Card (4:31)

Playoffs da NFL começam neste sábado (9) (4:31)

Os playoffs da NFL chegaram! Neste fim de semana, seis partidas agitam a primeira rodada, todas com transmissão da ESPN e do ESPN App. E para preparar o fã do esporte para toda a emoção da pós-temporada, o ESPN.com.br traz um guia apontando os favoritos, escolhendo destaques e analisando cada concorrente ao Super Bowl LV.

O festival de partidas começa no sábado, às 15h (de Brasília), com Buffalo Bills x Indianapolis Colts. Na sequência, às 18h40, tem Seattle Seahawks x Los Angeles Rams. Para fechar a noite, às 22h15, Tom Brady entra em campo em Washington Football Team x Tampa Bay Buccaneers.

No domingo, os duelos esquentam com Tennessee Titans x Baltimore Ravens às 15h, seguido de New Orleans Saints x Chicago Bears às 18h40 e Pittsburgh Steelers x Cleveland Browns às 22h15. Kansas City Chiefs e Green Bay Packers, líderes das Conferências Americana e Nacional, respectivamente, estão de folga nesta rodada de 'Wild Card'.

Abaixo, estão apontados um destaque individual de cada franquia, assim como uma breve análise das forças, fraquezas e intenções das respectivas equipes. Para se medir o favoritismo, está também indicado o "ranking" das unidades de ataque e defesa, que vai de 1º a 32º, considerando todos os times da temporada.

Para o ranking, foi utilizado o Índice de Forças do Futebol Americano (FPI: Football Power Index), métrica exclusiva da ESPN que tenta ser a melhor medida de previsão para as performances futuras de um time. Ela é totalmente objetiva e calculada com base no modelo expected points (pontos esperados).

Clique no escudo para pular direto para o time desejado!


Kansas City Chiefs

  • Campanha: 14-2

  • Ataque: 1º

  • Defesa: 21ª

  • Destaque: Patrick Mahomes

O atual campeão vem como o principal favorito na AFC após conseguir 14 vitórias na temporada regular - lembrando que uma das duas derrotas veio com os reservas em campo. Os Chiefs observarão de longe a rodada de wildcard à espera de seu adversário. Patrick Mahomes teve outro ano digno de MVP, com mais de 4700 jardas, 38 passes para touchdown (11 deles para Travis Kelce) e só 6 interceptações.

No ataque, com Mahomes, Kelce, Le'Veon Bell, Clyde Edwards-Helaire, Tyreek Hill... sobram opções. Tudo isso comandado pelo supercriativo Andy Reid. A defesa, mesmo sendo o único ponto vulnerável da equipe, ainda tem nomes individuais capazes de grandes jogadas como Tyrann Mathieu e Chris Jones. Pintou o bi?


Buffalo Bills

  • Campanha: 13-3

  • Ataque: 5º

  • Defesa: 12ª

  • Destaque: Josh Allen

É seguro dizer que desde a década de 90, quando foi a quatro Super Bowls seguidos, o Buffalo Bills não começa uma pós-temporada tão confiante. E há motivos de sobra para isso: Josh Allen é um possível MVP em 2020 e Stefon Diggs liderou a NFL em jardas recebidas (1535). O ataque é o 2º melhor da liga em média de jardas por partida.

A defesa de Buffalo com Tremaine Edmunds parando as corridas e Tra'Davious White marcando os receivers certamente dará dor de cabeça aos Colts na rodada de wildcard dos playoffs. Mas os olhos da torcida sonham com algo muito maior, afinal, esse time tem condição para ameaçar o reinado de Kansas City.


Pittsburgh Steelers

  • Campanha: 12-4

  • Ataque: 20º

  • Defesa: 1ª

  • Destaque: T.J. Watt

Pittsburgh foi o último invicto a cair na NFL, vencendo suas 11 primeiras partidas. Muito do mérito está na defesa, que é completíssima contra o passe, competente contra a corrida, rouba bolas e até superou diversas lesões importantes. T.J. Watt - que deixou há muito tempo de ser apenas o "irmão de JJ Watt" - é um dos grandes candidatos ao prêmio de Defensor do Ano.

Se o início foi avassalador, a temporada dos Steelers terminou melancólica, com uma vitória e quatro derrotas. O único triunfo veio numa virada-relâmpago contra os Colts graças a dois bons quartos de Ben Roethlisberger, quando finalmente acertou seus passes longos. No período, o ataque baseado em passes curtos ficou "manjado" para as defesas rivais e marcou menos de 20 pontos por jogo. O sonho de Super Bowl dependerá muito do nível de precisão do seu quarterback nos lançamentos mais profundos.


Tennessee Titans

  • Campanha: 11-5

  • Ataque: 3º

  • Defesa: 28ª

  • Destaque: Derrick Henry

Os Titans eram azarões nos últimos playoffs e chegaram à final de conferência. Neste ano, seguem sendo zebras. Porém, não se deixe iludir pela pouca expressividade no nome da franquia se comparada às outras da conferência. Ryan Tannehill se tornou uma máquina de lançar touchdowns em Tennessee e cuida muito bem da bola. Em dia em que Derrick Henry está correndo, esse ataque pode ser imparável. Os Ravens que se cuidem.

Por outro lado, a defesa é uma lástima. Em 2019, a unidade que era coordenada por Dean Pees confundia rivais e surpreendeu Baltimore na pós-temporada. Mas o assistente se aposentou, o técnico principal Mike Vrabel decidiu não contratar um novo coordenador defensivo para 2020 e o resultado da "inovação" não deu nada certo.


Baltimore Ravens

  • Campanha: 11-5

  • Ataque: 8º

  • Defesa: 7ª

  • Destaque: Lamar Jackson

Houve um momento na temporada em que a vaga dos Ravens nos playoffs estava em dúvida. Mas Baltimore venceu cinco partidas seguidas e superou até um surto de COVID-19 no elenco nesse período. Ainda sem saber o que é vencer na pós-temporada, Lamar Jackson certamente está "mordido" para se redimir depois de uma eliminação precoce no ano passado quando era o favorito na conferência.

Nas últimas cinco semanas, a equipe de John Harbaugh reencontrou seu ataque corrido incomparável e teve média de absurdas 267 jardas terrestres por partida. Com a agilidade de Lamar e uma ótima defesa, Baltimore é capaz de vencer qualquer time em qualquer dia. E o desafio começa fora de casa contra os Titans.


Cleveland Browns

  • Campanha: 11-5

  • Ataque: 12º

  • Defesa: 27ª

  • Destaque: Nick Chubb

Os Browns estão nos playoffs pela primeira vez desde 2002. Sim, isso mesmo, fazia muito tempo! Baker Mayfield e Nick Chubb sem dúvida foram os pilares ofensivos responsáveis pelas 11 vitórias na temporada. O running back foi o 3º melhor da liga em jardas terrestres por jogo, liberando espaço para o quarterback evoluir em 2020 sob menos pressão no sistema de Kevin Stefanski, cotado para ser o Técnico do Ano.

Myles Garrett segue dominante na defesa, mas a unidade foi um calcanhar de Aquiles nos jogos pesados. E o que eles ganham de "presente" logo de cara? Enfrentar os Steelers, rivais de divisão, de quem perderam por 38 a 7 no mesmo Heinz Field nesta temporada. Na partida de volta, na última semana, Pittsburgh vendeu caro uma derrota por 24 a 22 mesmo com vários reservas em campo.


Indianapolis Colts

  • Campanha: 11-5

  • Ataque: 15º

  • Defesa: 11ª

  • Destaque: Darius Leonard

Os Colts em 2020 foram o significado de inconsistência. Ao mesmo tempo que bateram os Packers na temporada, conseguiram ser o único time a perder dos Jaguars, na única vitória do ano de Jacksonville. Philip Rivers é experiente em playoffs, mas longe de ser o quarterback de antigamente. Jonathan Taylor foi espetacular como o terceiro melhor corredor da NFL (1169 jardas) e TY Hilton pode não ser mais a ameaça de antes, mas ainda sabe fazer grandes jogadas.

Na defesa, Darius Leonard é capaz de parar qualquer corrida. As adições de DeForest Buckner via troca com os 49ers e Julian Blackmon no Draft também deram um ganho à unidade. Só resta saber qual "versão" de Indianapolis estará em campo contra os fortes Bills. Ah, e vale lembrar que o kicker da equipe é "meio brasileiro".

Green Bay Packers

  • Campanha: 13-3

  • Ataque: 2º

  • Defesa: 17ª

  • Destaque: Aaron Rodgers

Se o objetivo de Aaron Rodgers era mostrar que ainda tinha (muita) lenha para queimar depois dos Packers recrutarem o quarterback Jordan Love na primeira rodada do Draft de 2020, deu certo. A-Rod teve um ano digno de MVP, e o ataque de Green Bay faz estrago em qualquer defesa com Aaron Jones e Davante Adams, este último candidato a Jogador Ofensivo do Ano.

Desde a demissão de Mike McCarthy e a chegada do novo técnico Matt LaFleur, a equipe passou a utilizar um ataque mais criativo, correr mais com a bola e tirar a pressão de Rodgers. Aliás, os Packers estão entre os 10 times da NFL que menos chamam passes. Será que enfim chegou a hora do time de Wisconsin voltar ao Super Bowl, 10 anos após a última aparição e título?


New Orleans Saints

  • Campanha: 12-4

  • Ataque: 6º

  • Defesa: 5ª

  • Destaque: Alvin Kamara

Mesmo sem Drew Brees por quatro jogos por conta de lesão, o New Orleans Saints perdeu apenas uma partida e achou uma outra forma de atacar com sua versatilidade. Alvin Kamara, mais do que nunca, carregou o time nas costas. Mas ele e Michael Thomas são dúvida para o embate contra os Bears. Thomas atuou somente em 7 jogos e não pegou nenhum touchdown. Se mesmo assim os Saints venceram 12 vezes em 2020, imagine com todos saudáveis e dentro do seu potencial.

A defesa também manteve a pegada do ano passado e superou um início devagar com uma segunda metade dominante. Desde a semana 9, liderou a NFL em pontos cedidos - menos de 16 por partida. Com uma possível aposentadoria de Brees após esta pós-temporada, New Orleans precisa finalmente voltar ao Super Bowl para lutar por seu 2º título.


Seattle Seahawks

Campanha: 12-4
Ataque: 4º
Defesa: 19ª
Destaque: Russell Wilson

A temporada dos Seahawks começou com pinta de Super Bowl. Russell Wilson finalmente estava tomando conta do ataque, passando muito a bola e comandando a corrida pelo MVP, com D.K. Metcalf voando. Até a semana 9, Seattle liderava a NFL em pontos ofensivos por jogo (incríveis 34!). Porém, a "cozinha" do chef Russ esfriou desde então, caindo para 23 pontos por jogo das rodadas 10 a 17 (16º na liga).

A defesa, curiosamente, fez o caminho inverso: começou em ritmo de estabelecer algumas das piores estatísticas da história da NFL contra o passe e evoluiu gradualmente, especialmente depois da chegada de Carlos Dunlap e da volta de lesão de Jamal Adams. Hoje, o time é equilibrado e perigoso, mas não chega mais como o favorito da Conferência Nacional que parecia em setembro.


Washington Football Team

Campanha: 7-9
Ataque: 28º
Defesa: 4ª
Destaque: Chase Young

Washington é a pior campanha dos playoffs e tem mais derrotas que vitórias, se classificando somente por causa das regras da NFL que exigem ao menos um time de cada divisão na pós-temporada. Alex Smith é uma inspiração por tudo o que enfrentou na vida, mas não produz mais como o bom quarterback que era em Kansas City. Aliás, o "Football Team" tem um dos ataques mais inofensivos da liga.

A defesa, por outro lado, carregou o time nas costas. O destaque vai para Chase Young, calouro recrutado na 2ª escolha geral em 2020 que faz um inferno na vida das unidades ofensivas adversárias. A chegada do atleta de 21 anos revitalizou a linha defensiva, que ajudou Washington a conseguir 47 sacks nos quarterbacks, sexta maior marca da liga. Para vencer Tom Brady, será necessário pressioná-lo!


Tampa Bay Buccaneers

Campanha: 11-5
Ataque: 7º
Defesa: 3ª
Destaque: Tom Brady

A primeira temporada de Tom Brady fora de New England superou expectativas. Enquanto os Patriots afundaram, os Buccaneers se classificaram para os playoffs pela primeira vez desde 2007. E as dúvidas quanto à idade do quarterback de 43 anos também se diluíram com seu forte braço: ele liderou a liga em passes de mais de 20 jardas, com 34, num ataque extremamente vertical e explosivo, totalmente diferente de seus anos anteriores.

Os olhos do público podem até estar no ataque, mas a defesa foi uma verdadeira força em 2020. Tampa Bay simplesmente não permite que seus adversários corram com a bola - é a melhor da NFL no quesito jardas terrestres cedidas por jogo, algo que pode ser decisivo numa conferência com times que apostam no jogo terrestre tanto como Saints e Packers.


Los Angeles Rams

Campanha: 10-6
Ataque: 21º
Defesa: 2ª
Destaque: Jalen Ramsey

Duas vezes jogador defensivo do ano na NFL, Aaron Donald segue sendo um monstro na linha. E mesmo com ele no elenco, é possível apontar outro destaque na unidade: Jalen Ramsey, por quem os Rams trocaram duas escolhas de primeira rodada no Draft. O cornerback cedeu somente 20 jardas áreas por jogo para seus adversários. O coordenador de defesa contratado para esta temporada, Brandon Staley, surpreendeu a liga e já é cotado para ser técnico principal em outras equipes apesar de ter apenas 38 anos.

Os elogios, contudo, não se repetem ao ataque. O esquema de Sean McVay já é conhecido pelos adversários e não salva mais Jared Goff, que teve outra temporada abaixo da crítica. Ruim com ele? Pior sem ele, pois o quarterback titular é dúvida para enfrentar os Seahawks após passar por cirurgia no dedo.

play
4:14

Os melhores da temporada na NFL: Paulo Antunes distribui prêmios de MVP, calouros, técnicos e mais

Com o fim da temporada regular, comentarista palpitou sobre os prêmios da liga


Chicago Bears

Campanha: 8-8
Ataque: 25º
Defesa: 9ª
Destaque: Cairo Santos

Nenhum time teve uma temporada tão irregular quanto a dos Bears. Foram cinco vitórias nos seis primeiros jogos. Nick Foles ganhou a posição de Mitch Trubisky, não rendeu, e Chicago perdeu seis partidas consecutivas. Com Trubisky de volta, foram três vitórias antes da derrota para os Packers na semana 17.

A forte defesa dos Bears teve mais uma grande temporada, mas o ataque segue sendo o ponto fraco de um time que vai ter problemas para sobreviver ao duelo contra os Saints. O ponto positivo? A temporada do brasileiro Cairo Santos, que quebrou o recorde da franquia com 27 field goals certos consecutivos e terminou o ano com aproveitamento de 92.9% em seus chutes.