<
>

NFL: Por que Russell Wilson, dos Seahawks, nunca recebeu um voto para MVP?

Russell Wilson é, sem dúvida, um dos melhores quarterbacks da NFL desde a década passada. O título de Super Bowl e sete aparições nos playoffs até aqui, bem como os números ue aliam precisão no passe à improvisação com as pernas fora do pocket, dizem isso. Porém, curiosamente, o quarterback do Seattle Seahawks jamais recebeu um voto para MVP da liga desde que chegou, em 2012.

Será que em 2020 isso muda? Após 5 semanas, ele conduziu os Seahawks a cinco vitórias e lidera a NFL com 19 passes para touchdown e apenas três interceptações.

*Conteúdo patrocinado por Mitsubishi, Samsung, C6 Bank e Magazine Luiza

Wilson estava na mesma posição no início da temporada passada, antes de Lamar Jackson se distanciar na segunda metade da temporada. Quando o quarterback do Baltimore Ravens ganhou por unanimidade o MVP, uma tendência notável continuou: Wilson não está apenas buscando seu primeiro prêmio de MVP, ele ainda não recebeu um único voto em oito temporadas.

Veja abaixo quem recebeu votos para MVP desde que Wilson entrou na liga:

2019: Lamar Jackson (50)
2018: Patrick Mahomes (41), Drew Brees (9)
2017: Tom Brady (40), Todd Gurley (8), Carson Wentz (2)
2016: Matt Ryan (25), Tom Brady (10), Ezekiel Elliott (6), Derek Carr (6), Aaron Rodgers (2), Dak Prescott (1) 2015: Cam Newton (48), Carson Palmer (1), Tom Brady (1)
2014: Aaron Rodgers (31), J.J. Watt (13), DeMarco Murray (2), Tony Romo (2), Tom Brady (1), Bobby Wagner (1)
2013: Peyton Manning (49), Tom Brady (1)
2012: Adrian Peterson (30.5), Peyton Manning (19.5)

Isso é em parte uma função do processo de votação. O prêmio de MVP da NFL é determinado por um painel de 50 eleitores, metade do número de eleitores que determina o prêmio da NBA. E a votação da NFL pede uma única escolha para MVP, em oposição a cinco na NBA e 10 para cada liga na MLB.

Também houve azar envolvido. As melhores temporadas de Wilson surgiram em anos em que outros QBs foram simplesmente melhores ou os Seahawks não foram bons o suficiente.

Sua primeira temporada com números do calibre de MVP foi 2015, um ano em que os Seahawks tiveram uma temporada 10-6 e conseguiram uma vaga no wild card depois de terminar três jogos atrás do Arizona Cardinals na NFC Oeste. Os 34 passes de touchdown de Wilson foram dois a menos do que Tom Brady e um atrás de Cam Newton, que ganhou o MVP após levar Carolina a uma campanha 15-1. Os únicos dois votos que não foram dados para Newton foram para Brady (12-4) e Carson Palmer (13-3), que tinham números de TD semelhantes aos de Wilson, mas mais vitórias.

Wilson pode ter sido o jogador mais valioso da liga no sentido mais verdadeiro em 2017, mas não aquele que tende a importar para os eleitores. Ele liderou a liga com 34 passes para touchdown e foi responsável por 37 dos 38 TDs ofensivos dos Seahawks, bem como 86% das jardas de scrimmage da equipe, um recorde da NFL para um único jogador na era do Super Bowl.

Mas todo o hype que ele gerou enquanto carregava um time que praticamente não tinha execução ofensiva e uma defesa que estava começando a cair de produção não significou nada quando os Seahawks terminaram 9-7 e não foram para os playoffs. Brady (13-3) novamente teve o sucesso da equipe do seu lado, assim como os outros dois que receberam votos de MVP: Todd Gurley ll (11-5) e Carson Wentz (13-3).

Wilson poderia ter recebido mais atenção de MVP em 2018 se Patrick Mahomes não tivesse acabado com a liga fazendo 50 passes para touchdown, 15 a mais do que Wilson. Drew Brees ficou aquém de Wilson nesse departamento, mas o superou em todos os outros - incluindo vitórias, 13 contra 10 - e, portanto, recebeu todos os votos de MVP que não foram para Mahomes.

Desde que Wilson entrou na liga em 2012, apenas cinco vezes um jogador recebeu votos de MVP em uma equipe que ganhou menos de 12 jogos, ilustrando o peso que o sucesso da equipe tem na votação. Seattle não tem 11 vitórias desde 2014.

Mesmo assim, alguns dos nomes entre os 19 jogadores que receberam uma votação de MVP naquele período se destacam ao considerar que Wilson - um dos melhores qiarteracks de sua época e um jogador em uma trajetória de Hall da Fama – não está entre eles. A lista inclui DeMarco Murray e Derek Carr. O companheiro de equipe de Wilson, Bobby Wagner, ficou famoso por receber um voto do lendário treinador Tony Dungy em 2014, quando ele perdeu cinco jogos e foi nomeado First Team All-Pro.

"Eu não quero uma votação", disse Wilson no início da temporada. "Eu acho que ganhar é mais importante. Mas é claro que o MVP é um prêmio especial”.

Eis por que este pode ser o ano de Wilson: Seattle sem dúvida tem o melhor elenco que ele já teve em sua carreira, um grupo que ganhará mais poder de fogo quando Phillip Dorsett retornar de lesão e Josh Gordon for reintegrado de sua suspensão. Os Seahawks estão deixando Wilson lançar a bola da melhor forma possível sob o comando do técnico Pete Carroll. Isso é intencional, mas pode continuar por necessidade se a defesa instável de Seattle não melhorar. Mesmo com as dificuldades na defesa, os Seahawks estão invictos.

São todos os ingredientes de uma temporada de MVP, incluindo o mais importante: um quarterback jogando melhor do que o resto da liga.

"Quero ser considerado o melhor jogador de todos os tempos, para ser honesto com você", disse Wilson. "Acho que é parte do processo e espero poder ganhar jogos suficientes e fazer coisas especiais como uma equipe. É um prêmio de equipe, eu acho, em termos de MVP. É realmente um prêmio especial porque todos estão envolvidos nisso. Espero que eu possa fazer parte disso e que meu time também possa fazer parte disso”.