<
>

NFL Draft 2020: o guia completo do primeiro recrutamento virtual da história

play
Draft da NFL: Paulo Antunes detalha pontos fortes e fracos dos principais quarterbacks (2:46)

Comentarista analisou os nomes que serão chamados no recrutamento de 2020 (2:46)

Chegou o dia. Nesta quinta-feira, começa o Draft de 2020 da NFL!

A ESPN e o WatchESPN mostram o recrutamento, que começará com o Cincinnati Bengals no relógio para a primeira escolha.

E para o fã do esporte conhecer todas as jovens promessas e as novidades deste draft, que será feito de forma virtual por conta das medidas contra o coronavírus, o ESPN.com.br apresenta seu Guia. Confira!

A Ordem | Draft Virtual | Opinião do Curti | Mock Draft

O recrutamento acontecerá - como de costume - em sete rodadas divididas por três dias.

  • Quinta-feira (23/04), 21h (de Brasília): 1ª rodada - ESPN e WatchESPN

  • Sexta-feira (24/04), 20h: 2ª e 3ª rodadas - ESPN e WatchESPN

  • Sábado (25/04), 13h: da 4ª à 7ª rodada - ESPN 2 e WatchESPN

O Cincinnati Bengals, time de pior campanha da última temporada, terá direito à primeira escolha geral. Na sequência, selecionarão Washington Redskins, Detroit Lions, New York Giants e Miami Dolphins. Para ver a ordem completa do Draft, clique aqui.

Cada time possui 10 minutos para escolher seu futuro atleta na primeira rodada, sete minutos na segunda rodada, cinco minutos da terceira à sexta rodada e apenas quatro minutos na rodada final.

A edição de 2020 seria realizada em Las Vegas, mas, por conta da pandemia, todos os passos do recrutamento serão feitos à distância.

Em um cenário normal, vários jogadores – especialmente aqueles mais prováveis a saírem cedo – ficam em um salão, esperando uma ligação para subirem ao pódio. Enquanto isso, os times trabalham em suas instalações, em contato com os organizadores, com outros times, etc. E no palco principal, Roger Goodell, comissário da liga, anuncia os nomes selecionados.

Entre os 255 jogadores, os 58 mais badalados para saírem nos dois primeiros rounds terão uma câmera enviada pela organização, para captar suas reações. Eles também foram intimados a não reunirem familiares, como de costume em drafts passados – quando estes não vão ao evento.

Os general managers das equipes dão a última palavra para o time escolher um prospecto. Por isso, todos os 32 deles terão em suas casas um profissional de TI, caso dê algo de errado.

Goodell também estará em sua casa, em Nova York, onde prepara um cenário no porão para dar as boas-vindas e um “abraço virtual” nos jogadores.

Basicamente, tudo acontecerá em uma plataforma especial desenvolvida pela Microsoft – uma versão diferente do Teams –, onde os envolvidos estarão em uma videoconferência e os GMs passarão as escolhas aos oficiais. Caso algum problema aconteça, os GMs poderão usar um grupo de mensagens ou os clássicos e-mail/telefone. E não, eles não terão mais tempo do que o usual para fazer a escolha.

Desta forma, quando o time já tiver o nome do prospecto, Goodell fará o anúncio na transmissão ao vivo. Tudo isso está sendo testado diversas vezes antes do dia 23, e cheio de proteções virtuais, para evitar hacks ou bugs em geral.

Os Quarterbacks

play
3:06

Burrow, Tua, Herbert e mais; Curti destrincha QBs do draft da NFL

Primeira rodada de escolhas acontece na próxima quinta-feira com transmissão da ESPN

Os Wide Receivers

play
3:31

NFL Draft, wide receivers: Curti avalia 'classe mais talentosa' dos últimos anos e destaca estilos diferentes

Confira a análise completa do Draft no blog do Curti!

Os Running Backs

play
2:43

NFL Draft, running backs: Curti escolhe 'primeira prateleira' de prospectos e vê algum saindo no fim da 1ª rodada

Jonathan Taylor foi um dos citados pelo comentarista; primeira rodada é nesta quinta-feira

Os Defensores

play
3:03

NFL Draft, defensores: Curti destaca 'melhor prospecto' e defesa para 'todos os gostos'

Confira a análise completa do Draft no blog do Curti!

play
2:20

NFL Draft: Paulo Antunes 'vira dirigente', faz as seis primeiras escolhas e coloca quarterbacks em Cincinnati e Miami

Comentarista simulou escolhas num 'mock draft'; recrutamento de verdade é nesta quinta-feira

1- Cincinnati Bengals: Joe Burrow, QB, LSU

Necessidades dos Bengals: QB, OL, LB

O melhor prospecto na posição de quarterback para um time que precisa urgentemente de ajuda na posição. Fome com a vontade de comer.

2- Washington Redskins: Chase Young, EDGE, Ohio State

Necessidades: EDGE, OL, TE

Ryan Kerrigan tem 31 anos e vem de temporada com baixa produção. Chase Young é um dos melhores prospectos da década entre os apressadores de passe. Sendo general manager, gostaria de começar o relacionamento com meu novo head coach, Ron Rivera, de forma a agradar uma mente defensiva que sempre valorizou a linha defensiva.

3- TROCA! Miami Dolphins via Detroit: Tua Tagovailoa, QB, Alabama

Necessidades: QB, OT, S

Miami precisa de seu quarterback do futuro e o melhor disponível é Tua Tagovailoa. Há riscos de lesões e etc mas só se vive uma vez. Miami já deixou de arriscar num Drew Brees lesionado e se arrependeu. Já deixou de apostar em Matt Ryan em 2008 e idem. Tua, saudável, está na mesma prateleira de Burrow.

4- New York Giants: Jedrick Wills, OT, Alabama

Necessidades: EDGE, OL, LB

Embora o meio da defesa seja uma senhora necessidade, os Giants precisam aproveitar a abundância de bons jogadores de linha ofensiva neste Draft. Considerando que Nate Solder eventualmente será cortado em alguns anos, é necessário planejamento para isso – e/ou soluções para o HOJE no lado direito, que tem Cam Fleming como tapa buraco. Wills é técnico e tem experiência justamente no lado direito, podendo ser lapidado para substituir Solder como left tackle no futuro.

5- Detroit Lions: Jeff Okudah, CB, Ohio State

Necessidades: CB, DL, iOL

Jeff Okudah é um cornerback polido que tem tamanho, técnica e capacidade de jogar tanto em zona como homem-a-homem. Os Lions precisam sair deste Draft com a secundária reforçada, ainda mais após a troca de Darius Slay.

6- Los Angeles Chargers: Justin Herbert, QB, Oregon

Necessidades: QB, OT, WR

Justin Herbert não está no mesmo nível dos dois outros quarterbacks mas, a meu ver, também não merece as críticas que vem recebendo às vésperas do Draft. Herbert precisa arrumar algumas questões como a base de lançamento, por exemplo, mas um ano como reserva podem resolver isso – Tyrod Taylor, o quarterback mais ponte da década, está lá para isso.

7- Carolina Panthers: Isaiah Simmons, LB, Clemson

Necessidades: iDL, CB, LB

Seria uma dádiva imensa para a torcida dos Panthers se isso acontecesse. Sei que iDL também é necessidade, mas a aposentadoria de Luke Kuechly deixou um rombo no coração da torcida e, bem, da defesa também. Simmons vale quase como que por dois jogadores e na sétima posição, sua saída está mais do que adequada. Ele pode ter o mesmo impacto nessa unidade que Kuechly teve no início da década.

8- Arizona Cardinals: Tristan Wirfs, OT, Iowa

Necessidades: OT, WR, S

Se sou Steve Keim, general manager dos Cardinals, penso no trade down com carinho aqui. Pode haver times querendo saltar para o final do top 10 com o objetivo de ter um wide receiver de calibre. De toda forma, Arizona precisa pensar no futuro na posição de offensive tackle. Tristan Wirfs tem a agilidade, tendo histórico de atleticismo para além do futebol americano. Pensando no Air Raid dos Cardinals e do técnico Kliff Kingsbury.

9- Jacksonville Jaguars: Jeff Gladney, CB, TCU

Necessidades: iDL, EDGE, WR, CB

Suponho que aqui a necessidade maior seria… Várias. Então seria interessante se Jacksonville trocasse para baixo para acumular escolhas. No mundo real, é justamente o que vai acontecer, porque algum time vai apertar o gatilho buscando os offensive tackles que faltam. Na minha simulação, estou mais acanhado como general manager desses times. Então não subo e os Jaguars escolhem na 9 mesmo. No caso, endereçando a posição de cornerback, que foi “dizimada” após as trocas de A.J. Bouye e Jalen Ramsey. A reposição seria Jeff Gladney, cornerback versátil que julgo mais técnico que C.J. Henderson (mais atlético e que provavelmente vai sair no top 10).

10- Cleveland Browns: Andrew Thomas, OT, Georgia

Necessidades: OT (lado esquerdo), S, LB

Os Browns já reforçaram o lado direito da linha com a contratação (a preço de barganha, aliás) de Jack Conklin na free agency. O lado direito, que é problema desde a aposentadoria de Joe Thomas, seria pra lá de reforçado com o forte e técnico Andrew Thomas – que fez um excepcional trabalho em Georgia.

Para ver o restante do Draft Simulado, clique aqui!