<
>

NFL: 49ers aniquilam Packers, vão ao Super Bowl e sonham com liderança histórica

Passagens compradas, malas prontas! O San Francisco 49ers está a caminho de Miami para enfrentar o Kansas City Chiefs no Super Bowl LIV.

Recebendo o Green Bay Packers na final da conferência nacional da NFL, o time da Califórnia foi perfeito e aniquilou seus adversários, e apenas usando as pernas. Todos os 4 touchdowns do time foram marcados em corridas. Todas de Raheem Mostert.

No intervalo, a partida já estava 27 a 0, e o nome do jogo acumulava 160 jardas corridas - mais do que qualquer pessoa em um primeiro tempo de partida de playoffs desde 1963. O running back correu tão bem com a bola que o quarterback Jimmy Garoppolo ficou sem lançar a bola por mais de um quarto.

Os visitantes até reagiram na segunda etapa, mas não tinha como reverter uma desvantagem tão grande. Com 220 jardas corridas ao final do jogo, Mostert bateu o recorde dos 49ers e fez a segunda melhor marca da história de um jogo de playoffs.


37 x 20

Estatísticas

Jimmy Garoppolo (SF) - 6/8 passes, 77 jardas

Raheem Mostert (SF) - 29 corridas, 220 jardas, 4 TDs

Deebo Samuel (SF) - 2 recepções, 46 jardas aéreas, 2 corridas, 43 jardas terrestres

Aaron Rodgers (GB) - 31/38 passes, 326 passes, 2 TDs, 1 interceptação

Aaron Jones (GB) - 12 corridas, 56 jardas terrestres, 5 recepções, 27 jardas aéreas, 2 TDs

Davante Adams (GB) - 9 recepções, 138 jardas


O jogo:

Todo o clima e tensão levavam para um jogo disputado, equilibrado e imprevisível, apesar do favoritismo dos mandantes. Não foi nada disso.

Um punt em uma campanha de menos de dois minutos para abrir o jogo foi o único momento de piedade que os 49ers tiveram com os Packers. A partir de então, a equipe pontuou em todas suas posses até o intervalo: touchdown, field goal, touchdown, field goal e mais um touchdown.

Correndo bem com a bola e tomando ótimas decisões, o ataque fez 27 pontos até o intervalo. Do outro lado, a defesa foi... Impecável. Sem dar espaço para Aaron Rodgers e sua equipe, ditaram o ritmo da partida e não levaram sequer um ponto - nem mesmo uma conversão de terceira descida. Muito disso também por culpa de um ataque um tanto quanto ineficiente e confuso, errando mais do que o normal.

O fumble perdido por conta de um snap feito na bunda do próprio jogador que passava a bola resume bem como foi o primeiro tempo para os visitantes.

Green Bay voltou com outra atitude dos vestiários, mas o buraco já era muito fundo. E apesar do TD marcado no início do terceiro quarto, o imparável Mostert respondeu na mesma moeda e administrou a vantagem.

Com menos de um minuto do último quarto, os Packers pontuaram novamente, e finalmente conseguiram parar o ataque mandante - a primeira vez desde a primeira campanha da partida. Restando 8 minutos para o fim de jogo, pontuaram novamente e cortaram o placar para 34 a 20. Entretanto, os 49ers gastaram o relógio e, com 3:31 minutos restantes, converteram o field goal que acabou com qualquer possível chance de virada.

Sem desistir, os Packers buscavam mais um TD, mas o fim de jogo foi emblemático. Aaron Rodgers buscou Davante Adams em um longo lançamento, mas Richard Sherman conseguiu a interceptação e comandou a festa da torcida.


A chance de chegar ao topo!

Na 'era Super Bowl', apenas dois times têm mais títulos do que o San Francisco 49ers: o New England Patriots e o Pittsburgh Steelers.

Com seis para cada um dos líderes, o time da Califórnia terá a chance de igualar a marca e entrar no grupo dos maiores vencedores.

Em 2013, os 49ers já tiveram a chance de chegar ao hexa, mas perderam para o Baltimore Ravens no Super Bowl XLVII - sua única derrota na hora de decidir o título.

A última conquista veio em 1995, quando superou o San Diego Chargers na decisão. Antes disso, venceram em 1990, 1989, 1985 e 1982.