<
>

Watt: O nome de peso na camisa de três irmãos que brilham na NFL

Quando cartazes mostrando ‘JJ SWATT’ subiram no NRG Stadium, casa do Houston Texans, em 2012, já sabíamos que o jovem defensive end JJ Watt tinha caído nas graças do fã da NFL. O apelido era algo bom, remetendo à pressão que o jogador levava ao quarterback oponente.

No entanto, JJ não gostou. Enquanto uns achavam que era arrogância, outros foram mais fundo e entenderam.

O defensor tinha um bisavô alcoólatra que, segundo ele, não tinha orgulho de seu sobrenome. Diferente do restante da família, que fez o mundo inteiro entender o que representa carregar esse nome em um uniforme.

Além de JJ – estrela dos Texans desde 2011, quando foi o 11º jogador escolhido daquele Draft – seus dois irmãos mais novos também brilham nos gramados da liga.

Derek, filho do meio, é fullback do Los Angeles Chargers desde 2016, quando foi selecionado pelo time com a 198ª escolha geral do Draft. O mais novo também é o que entrou por último na liga. TJ Watt, outside linebacker, foi draftado pelo Pittsburgh Steelers no ano seguinte de Derek, com a escolha geral de número 30.

TJ e os Steelers entram em campo nesta quinta, contra o Cleveland Browns. A ESPN e o WatchESPN mostram o duelo às 22h15 (de Brasília).

Maior inspiração

O avô dos jogadores, Jim, foi o maior fã dos três. Em 2014, ele faleceu, mas teve tempo de ver os irmãos em campo.

‘Grandpa Watt’ sempre esteve presente pelos netos, era o maior apoiador dos jovens no esporte e aparecia “em todos os jogos e em todos os treinamentos”, segundo TJ, em entrevista para a ESPN.

“Como ele se orgulhava do que eu e meus irmãos pudemos fazer pelo nome de nossa família”, disse JJ. “Por isso nós vamos lá e tentamos viver nossas vidas da forma certa, trabalhamos duro e fazemos as coisas da nossa forma: porque queremos dar orgulho para nossa família”.

Derek completa: “Todos o conheciam”. Jim era um ícone do esporte na cidade de Pewaukee, no Winsconsin. Sempre usava suspensórios personalizados – um do time de colégio dos Watt, os Pirates, e outro do time da faculdade, os Badgers. Ele tinha até uma página de torcedor no Facebook.

Os pais

Jim não foi o único a inspirar os irmãos.

O pai sempre teve a postura de herói dos garotos, afinal, John foi bombeiro da cidade de Pewaukee por 28 anos e fazendo turnos de 24 horas em 11 dias do mês.

Antes, ele também buscou trabalhar com esporte, chegando a ser lutador de wrestling e também jogador de futebol americano, o que o motivou a treinar muito com os filhos.

Segundo Connie, a mãe, sempre que John tinha um tempo livre, ia para o quintal para jogar bola com os filhos. Ele chegou, inclusive, a treinar JJ da quinta série ao ensino médio.

Connie também apoiou o sonho dos filhos e faz questão de contar o quanto se orgulha.

“Como mãe, às vezes é louco olhar para o gramado e ver dois Watts ao mesmo tempo”, disse em entrevista à um jornal de Winsconsin, quando TJ e Derek ainda jogavam no estado. “Quando jogavam pelo colégio, era incrível ver TJ e Derek no mesmo time. Essa é uma oportunidade que JJ nunca teve, de defender o mesmo lado que seu irmão, ao mesmo tempo”.

O Lar

JJ, Derek e TJ nasceram no estado de Winsconsin – JJ em Waukesha e os outros em Pewaukee, cidade vizinha. Assim, os três estudaram no mesmo colégio, o Pewaukee High School, e defenderam seu time, os Pirates.

Quando chegaram na Universidade, mais passos seguidos.

Após JJ, os irmãos caçulas também aceitaram as bolsas de estudos para Winsconsin-Madison, onde jogaram juntos pelos Badgers, time que disputa a Big Ten na NCAA (Associação Nacional de Futebol Universitário).

A mesma cidade, o mesmo colégio, a mesma faculdade e os mesmos times. A idolatria local não é à toa.

O Caçula

JJ Watt já é um nome para a história da NFL. Três vezes eleito o melhor jogador defensivo da liga, o defensive end infelizmente se lesionou na semana 8 e está fora do restante da temporada. Mais uma vez.

Nos oito primeiros jogos da temporada, JJ teve 4 sacks, 15 tackles sozinho e 1 fumble forçado. Enquanto isso, o caçula TJ Watt cresce em Pittsburgh. Ele segue mantendo o ritmo que tinha nas temporadas passadas e, nos mesmos oito primeiros jogos, foi melhor que o irmão em várias estatísticas: 7.5 sacks, 16 tackles e 3 fumbles forçados, além de 1 interceptação.

Isso porque não estamos somando o jogo a mais que TJ já tem desde que JJ deixou o gramado. Contra os Rams, o linebacker teve uma atuação incrível. Foram 4 tackles, 2 sacks e 1 fumble forçado.

Se analisarmos as duas primeiras temporadas de cada pass rusher, é claro que o mais velho vem na frente, ele ganha fácil em todas essas categorias citadas.

Mas isso não é nenhum demérito para TJ, já que seu irmão está entre os melhores da história no que faz. De qualquer forma, o caçula continua perseguindo o legado do mais velho.

E nesta quinta-feira, TJ tem outra chance de aumentar esses números. Os Steelers visitam os Browns no FirstEnergy Stadium para outro clássico de divisão. Às 22h15, o fã do esporte acompanha o jogaço na tela da ESPN e do WatchESPN.