<
>

NFL: como um acidente de carro mudou a vida de Kendrick Norton Jr, ex-Miami Dolphins

play
A superação de Kendrick Norton: como um acidente interrompeu uma carreira na NFL (0:52)

Assista à história completa no WatchESPN (0:52)

MIAMI - No início da manhã de 4 de julho, a vida de Kendrick Norton Jr. mudou para sempre. Um acidente de carro causou lesões sérias no seu braço esquerdo e quase o matou, mas ele se recusou a permitir que esse fosse o fim de sua história.

Ouvir Norton e sua namorada, Kira Williams, relatar os detalhes daquela noite serve como uma etapa de recuperação. Para o resto de nós, pode ser um lembrete de como a vida é delicada.

"O que vem primeiro à mente é o sangramento do braço dele. Eu nunca vi nada como aquilo na minha vida. Isso vai ficar comigo para sempre", disse Williams. "Ver o braço dele jorrando sangue, ver veias, tudo aquilo estava muito evidente."

Norton, um ex-jogador de 22 anos do Miami Dolphins e da Universidade de Miami, tem uma nova missão - inspirar e ajudar outras pessoas, principalmente as crianças, que se vêem começando de novo após sofrer um amputamento.

Jogadores de futebol americano que conhecem Norton não conseguem se imaginar lidando com essa situação de maneira tão positiva. É uma mistura de inspiração e admiração.

"Ver o sorriso e a felicidade dele depois de tudo coloca as coisas em perspectiva. Você torceu o tornozelo e acha que está tendo um dia ruim. OK, do que está reclamando? Ele perdeu o braço", disse Isaiah Ford, um amigo íntimo que jogou com Norton na Trinity Christian Academy em Jacksonville, Flórida. "O jogo que ele ama e joga há tanto tempo foi retirado dele abruptamente. Você não o vê chorando, deprimido ou reclamando."

Aqui estão trechos da conversa que Cameron Wolfe, da ESPN, teve com Norton sobre o acidente e sua vida pós-NFL. Você pode ver a matéria em vídeo, na íntegra, no WatchESPN.

Norton estava dirigindo o seu carro depois de passar a noite com a sua namorada e amigos. Na tentativa de trocar de faixas, de acordo com a Florida Highway Patrol, o carro de Norton entrou em contato com outro veículo. Norton gritou: "Espere", para Williams, que se lembra do carro girando várias vezes antes de fazer contato uma barreira de concreto. O braço esquerdo de Norton foi completamente cortado no acidente.

"Eu estava com medo de que o pior tivesse acontecido", disse Brian Flores, técnico do Dolphins, que passava o feriado de 4 de julho em uma fazenda em Maryland com amigos da faculdade e suas famílias quando recebeu a notícia. "Fiquei muito agradecido quando soube que ele estava vivo. E então meu primeiro pensamento foi: "Como ajudamos Kendrick? Como apoiamos o Kendrick? Como ajudamos a família dele? O que posso fazer?". No dia seguinte, decidimos voltar para casa e ir vê-lo."

Às vezes, você pega Norton olhando o que resta de seu braço esquerdo. Sim, é um lembrete permanente da manhã de julho. Mas ele também escolhe vê-lo como uma bênção que ele está vivo.

Norton estima que ele perdeu aproximadamente metade do sangue do seu corpo naquele dia. Houve vários momentos em que ele foi levado às pressas para o hospital, onde ele só queria dormir. Enquanto isso, Williams permaneceu no local esperando que um caminhão de reboque levantasse o veículo virado para que ela pudesse pegar o braço decepado, com a esperança de recolocá-lo no corpo de Norton. Por fim, os médicos disseram que seria impossível recolocar seu braço no lugar.


O que você lembra do acidente?

"Eu me lembro de estar deitado no chão no local do acidente esperando a ambulância. Eu sinto como se tivessem demorado uma eternidade. Essa é realmente a única coisa que me preocupava. Eu me lembro de todas aquelas pessoas tocando em mim e me ajudando enquanto eu apertava a perna da Kira."

O que você diria para as pessoas que te salvaram?

"Eu apenas diria 'obrigado'. Foram eles que salvaram a minha vida naquela noite. Nós temos os nomes de algumas pessoas, mas ainda estamos atrás das primeiras que chegaram na cena.

Quando você percebeu que seu braço estava cortado?

"Quando estávamos no carro e eu estava deitado de bruços, tentando atravessar o carro para chegar à janela. E tentei fazer um esforço para me levantar do chão. Caí no chão do lado que eu estava sentindo falta do meu braço. E foi aí que eu percebi que não estava lá. Então eu chutei a janela e nós saímos do carro. Eu estava em choque porque havia muita coisa acontecendo. Eu bati minha cabeça. Eu estava pensando em sair do carro antes que ele explodisse, porque obviamente ainda estava vivo e podia me mover.

"A primeira vez que notei todo o sangue, acredito que estava passando pelo carro. Vi sangue esguichando no carro. Foi aí que pediram para eu me deitar no chão e aplicaram torniquetes no meu braço.

Houve algum momento em que você pensou que não iria sobreviver?

"Logo antes da ambulância chegar, eu fiquei tipo: 'Não sei se vou aguentar até que cheguem aqui'. Então ouvi-os à distância, o que me trouxe um pouco de vida, um pouco mais de energia, um pouco mais de esperança.

"Quando cheguei na ambulância, perguntei aos paramédicos se estava tudo bem para eu ir dormir. E eles disseram 'não, não, não'."

"Senti uma lombada e perguntei novamente aos paramédicos: 'Estamos no hospital?' E quando ele me disse que sim, eu disse: 'OK. Bem, vocês devem ser capazes de lidar com isso daqui. Eu vou dormir.' Eu estava realmente cansado de perder todo o sangue, foi quando eu meio que apaguei.

"Eu acordei novamente na cirurgia enquanto eles estavam limpando meu braço. Eu estava gritando com os médicos. Como: 'Estou acordado, estou acordado. Coloque-me de volta no sono'. Acabei desmaiando de novo com o remédio. Eles me acordaram dois dias após o acidente".

Dando um passo além

Atualmente, Norton é o principal ponto de apoio às instalações de Dolphis e Hurricanes - visitando ex-colegas de equipe e treinadores, trabalhando e mergulhando na cultura. Ele foi o capitão honorário do Dolphins no jogo de abertura da pré-temporada de 8 de agosto. Os Dolphins estão pagando seu salário integral nesta temporada, enquanto ele está na lista de lesões que não são de futebol, e o seguro da NFL/equipe cobriu suas contas médicas.

O futebol tem sido uma grande parte da vida de Norton desde que ele era criança, em Jacksonville, Flórida. Ele teve 16,5 tackles antes da linha de scrimmage e quatro sacks em suas duas últimas temporadas em Miami. Ele foi selecionado na sétima rodada do draft de 2018 pelo Carolina Panthers. Norton passou parte da temporada de 2018 na equipe de treino dos Panthers antes de assinar com os Dolphins em dezembro. Norton poderia ter ajudado os Dolphins com sua capacidade de parar a corrida, mas agora ele fornece inspiração a seus ex-colegas de equipe toda vez que aparece nos treinos.

"Eu nunca perguntei por que isso aconteceu comigo, porque poderia ter sido pior (...). Estava nos planos para mim."Kendrick Norton Jr., ex-jogador do Miami Dolphins

"Dedico minha temporada a Kendrick", disse Davon Godchaux, defensor de Miami. "É um cara que não pode estar aqui. Ele tem só um braço. É triste. Mas você pode fazer algo a respeito, indo lá e jogando. Número 75, nós estamos aqui para você - 100 por cento. Somos irmãos ".

Kira apelidou o que restou de seu braço de Little Ken. E Norton adorou a ideia.

Você sente falta do jogo?

"Sim, todos os dias. Só de não precisar acordar cedo já pensando nisso já me faz falta. Mas eu já aceitei e estou pronto para seguir em frente."

Quando você foi para o treino pela primeira vez após o acidente, como você se sentiu?

"Foi muita adrenalina. Fiquei um pouco nervoso. Mas, quando entrei em campo e antes que pudesse absorver qualquer coisa, todos os jogadores e treinadores vieram até mim e me cumprimentaram. Eu imediatamente me senti em casa e me senti bem-vindo. Todos estavam ao meu redor. Até o treinador me trouxe e me deixou falar com o time. Isso tudo isso foi realmente especial, nunca esquecerei.

"Voltar para lá e ver o quão perto eu poderia estar do jogo e lidar com isso tão cedo foi muito encorajador. Eu não sabia se seria capaz de lidar com isso no começo".

Que coisas do dia-a-dia o surpreenderam na medida em que são difíceis agora com o Little Ken?

"Ainda posso me virar no dia-a-dia com bastante regularidade, porque ainda tenho minha mão dominante. Mas, às vezes, é difícil pegar as coisas. Tenho que dar um passo extra, já que meu lado esquerdo está comprometido. Portanto, se algo estiver do meu lado esquerdo, por exemplo, eu terei que me levantar e ir buscá-lo em vez de apenas me inclinar e alcançar por isso. É apenas diferente."

Quanto tempo você levou para se ajustar?

Nenhum. No hospital, eu estava conectando canudos, tornando meu canudo mais longo para que eu pudesse usar minha bebida de longe. Sempre tentei manter uma perspectiva positiva. Normalmente, não fico frustrado. Eu apenas tento encontrar uma maneira diferente de fazê-lo, ou mesmo se eu precisar pedir ajuda a Kira. Ela diz que não peço ajuda suficiente. Eu tento fazer tudo sozinho."


"Estamos felizes em ter Kendrick Norton no campo como capitão honorário para o jogo contra os Falcons"


'Seguindo um roteiro'

Norton espera impactar mais pessoas após o acidente do que ele poderia ter sido capaz em campo. Ele tem visto exemplos diários quando as pessoas o procuram. Ele está montando uma organização sem fins lucrativos e é apaixonado por incentivar outras pessoas a doar sangue.

Ele não descartou trabalhar como parte de um time de futebol americano, mas agora, ele quer se concentrar em tempo integral no estabelecimento de sua organização sem fins lucrativos.

Você já pensou: 'Por que isso aconteceu comigo?'

"Eu nunca perguntei por que isso aconteceu comigo, porque poderia ter sido pior. Por que não eu? Por que alguém? Eles poderiam perguntar a mesma coisa. Então, eu nunca perguntaria. Estava nos planos para mim."

O que você espera conseguir com sua organização sem fins lucrativos?

"Será chamada de Iniciativa de Kendrick Norton Angel. E procuraremos ajudar as crianças após acidentes trágicos em que eles perdem membros, e vamos ajudá-los. E também será focado nas unidades de sangue e conscientizando comunidades e etnias diferentes.

Doar sangue tornou-se uma paixão minha após o acidente. Aprendi como é importante mesmo que seja uma bolsa ou duas. Doar sangue pode salvar a vida das pessoas, porque eu recebi. Acabou salvando minha vida. Recebi mais de 20 bolsas de sangue no hospital."

Você tem algum arrependimento?

"Não. Eu não vivo a vida com arrependimentos. É uma vida difícil de viver. Qualquer escolha que eu faço desde criança, eu a faço e lido com as conseqüências da escolha - boa ou ruim."

Quais são seus planos em relação ao avanço do braço?

"Eu tenho mais uma cirurgia [que foi realizada segunda-feira]. Eles vão relaxar alguns nervos e prepará-los para a minha prótese. Vou ter uma prótese que eu possa controlar com a minha mente. Será um processo de cura de quatro meses antes que eu possa realmente mover a prótese."

A história de Norton serve como um lembrete de quão rapidamente a vida pode mudar e porque as dificuldades nem sempre precisam roubar alegria.

"Sinto que estamos apenas fazendo parte de uma peça", disse Norton.

"Nossa vida já foi escrita para nós. Então, sinto que estamos apenas seguindo um roteiro."

A versão original desta história foi escrita em inglês com o título "This NFL player's arm was severed in a car accident: 'I never asked why this happened to me'".