<
>

Azarão, estrela, polêmico: a montanha-russa da NFL chamada Antonio Brown

10 de março de 2019. Antonio Brown é trocado pelo Pittsburgh Steelers para o Oakland Raiders.

Na época, a notícia já era chocante o bastante e prometia mudar consideravelmente o cenário da NFL. Mas era impossível prever o que iria acontecer com a carreira do wide receiver, que está prestes a fazer sua estreia com a camisa do New England Patriots - contra o Miami Dolphins.

Da chegada à liga, em 2010, ao estrelato, a carreira de Antonio Brown foi tomada por altos e baixos.

O azarão ganha uma chance

Antonio Brown defendeu Central Michigan no College, uma universidade pequena no cenário do esporte. Mas entre 2007 e 2009, ele chamou atenção de alguns olheiros, o que fez com que ele tentasse a sorte no Draft de 2010 da NFL.

Brown só foi selecionado na 6ª rodada do recrutamento. 22 recebedores escutaram seus nomes chamados antes. Com os Steelers, depois de uma temporada de calouro em que recebeu apenas 16 passes para 167 jardas, ele explodiu em seu 2ª ano como profissional.

Desde 2011, Brown colocou seu nome entre os principais da NFL. Foi líder de jardas recebidas duas vezes e teve mais de 100 passes e 1000 jardas recebidas em seis temporadas seguidas.

Os primeiros problemas com a liga começaram a acontecer com algumas comemorações polêmicas - danças que, na época, terminaram em multas.

Polêmica nos Steelers e o adeus

Em 2017, depois de uma vitória sobre o Kansas City Chiefs nos playoffs, Brown fez uma live no Facebook mostrando o discurso de pós-jogo do treinador Mike Tomlin. O grande problema foi: Tomlin falava mal sobre os Patriots, próximos adversários dos Steelers. No final das contas, o jogador foi multado e teve de se desculpar.

Na temporada 2018, Brown teve problemas com o quarterback Ben Roethlisberger e, na semana 17, com uma vaga para os playoffs em jogo, ele brigou com o time por conta de uma suposta lesão no joelho.

De acordo com a Pittsburgh Post-Gazette, Brown se irritou nos treinos e chegou a atirar uma bola em um dos jogadores. Os Steelers venceram o Cincinnati Bengals, mas sem seu principal jogador em campo - e ficaram fora dos playoffs.

Depois da eliminação, os dois lados concordaram que era hora de seguir em frente e, em março, ele foi trocado por uma escolha de terceira e uma de quinta rodada para os Raiders, com quem assinou uma extensão contratual de três anos e US$ 30 milhões.

A ruína nos Raiders

Entre 3 de agosto e 7 de setembro, Antonio Brown levou um furacão para Oakland.

Primeiro, ele desapareceu e alegou ter sofrido uma lesão bizarra nos pés - por entrar numa câmara de crioterapia sem os sapatos adequados. Dias depois de provar que estava, sim, contundido, Brown começou sua saga para tentar convencer a NFL a seguir usando seu capacete preferido - e chegou a dizer que não jogaria mais futebol americano.

Brown se reapresentou aos Raiders e chegou a viajar com o time na pré-temporada, mas em 4 de setembro, depois de ser multado em 54 mil dólares (R$ 221 mil), o wide receiver publicou a carta que recebeu do diretor Mike Mayock: "Quando até seu time é contra... mas nada vai me parar agora. Estamos entendidos", escreveu o então camisa 84.

Mas time e jogador não estavam realmente entendidos.

Dois dias depois, ele mesmo postou um vídeo com ligação de telefone (ilegalmente) gravada entre ele e o treinador Jon Gruden. No Instagram, Brown foi direto: "Me dispensem, Raiders".


Brady se recusa a falar sobre as acusações de estupro de Antonio Brown: 'As coisas que não me envolvem, não me envolvem'


Desejo atendido e acusações nos Patriots

Horas depois de pedir para ser cortado, os Raiders atenderam o desejo de Antonio Brown e o dispensaram. Também em questão de horas, o futuro foi resolvido: contrato de um ano e US$ 15 milhões para defender os Patriots.

Mas se engana quem pensa que o caos havia acabado.


Belichick se recusa a responder perguntas sobre Antonio Brown e sai irritado de coletiva


O jornal New York Times revelou que Britney Taylor, ex-preparadora física do jogador, estava acusando o wide receiver de estupro. A defesa de Brown negou a alegação e respondeu afirmando que iria processar Taylor por tentativa de extorsão.

Nesta sexta-feira, o repórter da ESPN Adam Schefter confirmou que o novo recebedor dos Patriots não iria para a exempt list (lista de jogadores proibidos de atuar), mas ainda será investigado pela NFL.

De qualquer forma, ele está liberado para jogar. E depois de tantas polêmicas, está na hora de Antonio Brown provar que ainda pode fazer a diferença onde mais importa: dentro de campo.