<
>

NFL: tudo o que você precisa saber antes da bola voltar a voar

Já? Acabou? Quase seis meses se passaram desde o Super Bowl LIII, o que significa que a offseason da NFL está chegando ao fim. E isso quer dizer que estamos, cada vez mais perto, do início da temporada 2019-20.

Nesta quinta-feira a bola já volta a voar, no primeiro jogo da pré-temporada, o jogo do Hall da Fama, com o Denver Broncos encarando o Atlanta Falcons, às 21 horas (de Brasília), com transmissão da ESPN e do WatchESPN.

O que aconteceu nesse ínterim? Vamos pegar você nas idas e vindas, mudanças de regras e controvérsias gerais dos meses em que a bola oval esteve parada.

1. A falta de pass interference pode ser revisada

Os donos do time aprovaram aprovaram uma extensão do replay após a gafe que foi a final da NFC. Os técnicos podem desafiar tanto as interferências ofensivas quanto as defensivas - ou chamadas sem interferência - e o árbitro de replay pode interromper o jogo para analisá-las durante os dois minutos finais do 2° e do 4° quarto, e também das prorrogações. A regra estará em vigor por apenas um ano, após o qual os proprietários decidirão se querem ajustá-lo, descartá-lo ou torná-lo permanente.

A NFL agora será capaz de corrigir erros crassos, mas há um medo genuíno de que eles exagerem naquilo que deveria ser da natureza do jogo: o contato entre ataque e defesa. A frequência com a qual os jogos serão parados no fim é outra preocupação.

2. Cinco times trocaram de QB ... e o sexto não está muito longe de acontecer

Além de Josh Rosen sendo trocado por Kyler Murray pelo Arizona Cardinals, estes times procuraram por um novo QB para ser titular agora - ou em pouco tempo.

  • O Denver Broncos assinou com Joe Flacco, que estava no Baltimore Ravens, e depois draftou Drew Lock na segunda rodada.

  • Os mesmos Broncos trocaram Case Keenum para o Washington Redskins, que draftou Dwayne Haskins com a 15ª escolha geral. Alex Smith, titular do time na última temporada, ainda se recupera de uma lesão em 2018.

  • O Miami Dolphins contratou Ryan Fitzpatrick e trocou por Josh Rosen após mandar Ryan Tannehill para o Tennessee Titans, que terão Marcus Mariota como titular.

  • O Jacksonville Jaguars assinou com Nick Foles e mandou Blake Bortles embora após cinco temporadas. Bortles foi para o Los Angeles Rams para ser reserva de Jared Goff.

  • O New York Giants recrutou Daniel Jones na 6ª escolha geral do draft, mas insistem que Eli Manning seguirá na posição de titular.

3. Odell Beckham Jr. foi trocado

A surpreendente offseason dos Giants não se limitou a draftar Daniel Jones. Mais cedo, eles trocaram Beckham e Olivier Vernon para o Cleveland Browns por Kevin Zeitler, Jabrill Peppers e uma série de escolhas, incluindo a 17ª geral em 2019. Os Giants perderam a paciência com Beckham mesmo depois de renovar seu contrato por um valor astronômico. Aqui estão algumas das negociações notáveis da offseason:

4. Os Steelers disseram adeus ao Trio BBB

Depois de anos de amargor, os Steelers trocaram Antonio Brown para Oakland e viram Le'Veon Bell sair pela porta da frente rumo ao New York Jets, tornando o quarterback Ben Roethlisberger o único membro restante de um trio que eles esperavam que os levaria ao Super Bowl.

Os Steelers esperam que o WR JuJu Smith-Schuster e o RB James Conner sejam substitutos mais baratos, menos disruptivos e igualmente produtivos.

5. Adeus, Gronk

Futuro membro do Hall da Fama e um dos personagens mais midiáticos da história da NFL, Rob Gronkowski anunciou o fim de sua carreira. Circulam rumores de que ele consideraria voltar para a equipe durante a temporada, e ele treinou com o quarterback do Patriots, Tom Brady, neste verão, mas a partir de agora, ele parece pronto para se dedicar em tempo integral à indústria do entretenimento.

Outras aposentadorias notáveis da NFL incluíram os defensores Chris Long e Julius Peppers, os centers Ryan Kalil e Max Unger, os recebedores Doug Baldwin e Jordy Nelson, o running back Jamaal Charles, o quarterback Josh McCown e o kicker Sebastian Janikowski.

6. Russell Wilson renova e se torna jogador mais bem pago da NFL

O quarterback do Seahawks assumiu o papel de jogador mais bem pago da NFL (por enquanto) ao assinar uma extensão de contrato que lhe pagaria US$ 140 milhões até 2023. Aqui vão mais algumas renovações de contrato notáveis desta offseason:

  • Com 37 anos, Ben Roethlisberger assinou uma extensão de contrato com os Steelers por US$ 61 milhões.

  • Após duas temporadas consecutivas com lesões, Carson Wentz renovou com os Eagles. Ele receberá US$ 56,4 milhões até 2020.

  • DeMarcus Lawrence renovou com os Cowboys e vai receber cerca de US$ 48 milhões nas próximas duas temporadas.

7. Patrick Peterson lidera uma longa lista de jogadores suspensos

  • Kareem Hunt assinou com o Cleveland Browns, mas vai ficar suspenso por oito partidas após agredir uma mulher.

  • Richie Incognito, do Oakland Raiders, foi suspenso por dois jogos por violar a política de conduta pessoal.

  • Benjamin Watson, TE do New England Patriots, foi suspenso por quatro partidas por violar a política de medicamentos que melhoram o desempenho.

  • Chris Herndon, do New York Jets, vai ficar quatro jogos fora por violar a política de conduta pessoal.

  • Randy Gregory está suspenso por tempo indeterminado pelo uso de substâncias proibidas.

  • Golden Tate, dos Giants, foi suspenso por quatro partidas por tomar um remédio que continha uma substância ilegal.

8. Tyreek Hill foi investigado, mas não suspenso

A NFL considerou as acusações da noiva de Tyreek Hill de que ele estava abusando de seu filho de 3 anos, que havia sofrido um braço quebrado. Por fim, a NFL não conseguiu identificar uma violação na sua política de conduta pessoal.

Hill não foi responsabilizado por nenhum crime, mas ele se reuniu com investigadores da NFL por oito horas em 26 de junho. A política da NFL deixa claro que os jogadores podem ser punidos mesmo em casos onde não há condenação criminal. Ele já se apresentou aos Chiefs para iniciar os treinamentos e sofreu uma lesão na perna. Ainda não se sabe a gravidade.

9. Dados positivos de concussão

As concussões diagnosticadas caíram quase 25% de 2017-2018, interrompendo um aumento que preocupou profundamente o escritório da liga e gerou um amplo plano de ação. A redução coincidiu com a introdução de duas novas regras: não se pode mais abaixar o capacete para iniciar o contato e um outro tipo de kickoff. Além disso, alguns modelos de capacete serão banidos em 2019.

10. Conversas de CBA estão de volta

O acordo de negociação coletiva da liga com os jogadores(CBA - Collective Bargaining Agreement) deve expirar após a temporada de 2020, levando a uma série de reuniões entre os lados, começando em abril até o verão americano. Os proprietários estão motivados a estender o acordo antes do início da temporada de 2019, em parte devido à celebração da 100ª temporada da NFL e também às negociações com os detentores dos direitos de transmissão. Os jogadores estão com menos pressa, mas estão dispostos a descobrir aquilo que os proprietários vão conceder, a fim de obter um acordo mais cedo.

11. Os Jets estão mais verdes do que nunca

Os Jets terão novos uniformes pela primeira vez em 20 anos. Capacetes brancos não existe mais, foram substituídos por um tom de verde personalizado criado pela Nike. Chama-se Gotham Green. As outras cores dos Jets são conhecidas como "spotlight white" e "stealth black". Para qualquer um que tenha esquecido o apelido da equipe, os uniformes terão um design que se assemelha a uma trilha de voo de um jato nos ombros e nas pernas.

12. A árvore de Sean McVay deu frutos

Aparentemente todo dono queria um pedaço do que Sean McVay trouxe para o Rams. Em duas temporadas, ele treinou o time que venceu 24 jogos - melhor marca da NFL - ao mesmo tempo em que os guiou para uma aparição no Super Bowl LIII. Ao longo do caminho, ele ressuscitou o quarterback Jared Goff de uma desastrosa campanha como calouro com um ataque criativo que liderou a liga em pontos por jogo (31,4). Como resultado:

  • O Cincinnati Bengals contrataram Zac Taylor, ex-técnico de QB dos Rams, como seu técnico principal.

  • O Green Bay Packers contrataram Matt LaFleur, ex-coordenador ofensivo dos Rams, como seu técnico principal.

  • Os Cardinals contrataram Kliff Kingsbury, que McVay tinha tentado contratar como seu assistente.

13. É hora de greve

O New Orleans Saints já se resolveu com Michael Thomas, transformando o recebedor no mais bem pago wide receiver de toda a NFL. Porém, ainda há muita gente parada em casa, esperando um novo contrato.

Um dos casos que mais chama atenção é o de Ezkiel Elliott, running back do Dallas Cowboys, que entra em seu último ano de contrato de calouro, mas não vai se apresentar enquanto não ganhar um novo vínculo, com um substancial aumento salarial.

A briga promete ser longa, já que o dono e GM da franquia, Jerry Jones, declarou no final de semana que uma equipe não precisa de um running back para ser campeão do Super Bowl. Será o fim da linha para Zeke em Dallas?

Outro corredor parado é Malvin Gordon, do Los Angeles Chargers, que também espera um novo contrato, enquanto Yannick Ngakoue, do Jacksonville Jaguars, é mais um descontente com seu último ano de contrato de calouro.

Além deles, Trent Williams não apareceu para treinar e já disse que não vai mais jogar pelo Washington Redskins, que agora deve procurar alguma troca. Já Jadeveon Clowney, do Houston Texans, não assinou sua franchise tag.

14. É do Brasil

O Brasil também se agitou com a pré-temporada. O kicker Cairo Santos renovou seu contrato com o Tampa Bay Buccaneers, mas terá concorrência na pré-temporada, já que a franquia da Flórida usou uma de suas escolhas no draft para recrutar Matt Gay, que vai brigar pelo posto.

Porém, Cairo não está mais sozinho na liga. Durval Queiroz, o Duzão, participou do programa internacional da NFL e foi recrutado pelo Miami Dolphins. Duzão briga por uma das 53 vagas no elenco para a temporada, e acabou de fazer a transição de jogador de defesa para a linha ofensiva, como guard. Caso não consiga uma vaga, ele ao menos fará parte do time de treinamentos dos Dolphins.

Fora de campo, também temos um representante. Alessandro Oliveira foi um pedido do quarterback Cam Newton e vai fazer parte da comissão técnica do Carolina Panthers.