<
>

NBA: LeBron, Westbrook e cia vai dar certo? Relembre os outros supertimes dos Lakers

Lakers não venceram nenhum dos 6 jogos de pré-temporada e começaram fase regular com derrota em casa para os Warriors


A "moda" dos últimos 11 anos na NBA de montar supertimes chegou ao Los Angeles Lakers. Porém, não é a primeira vez na história da franquia que isso é feito. E os resultados não foram satisfatórios.

A sexta-feira da NBA tem rodada dupla com transmissão gratuita pela ESPN no Star+. Às 20h30 (Brasília), é hora de 76ers x Nets, seguido de Suns x Lakers às 23h (Brasília).Clique aqui e saiba como assistir aos dois jogos e aproveitar muito mais no Star+ Acesso Livre!

Obviamente, a época do "Showtime Lakers" dos anos 80 de Magic Johnson e Kareem Abdul-Jabbar não poderia ser incluída nesse raciocínio, já que o elenco foi construído de uma forma mais "orgânica", com dois dos três principais jogadores daquele time (Magic e James Worthy) foram selecionados no Draft pelos próprios Lakers.

No caso do time de 2021-22, todos os 10 jogadores que estiveram em quadra na abertura da temporada não foram draftados pelos Lakers.

Relembre abaixo os outros dois "supertimes" dos Lakers e o que eles fizeram:

2003-04

Depois de três títulos seguidos entre 2000 e 2002, os Lakers não foram campeões em 2003 e estavam dispostos a voltar ao topo. Por isso, deram uma cartada de ir atrás de Gary Payton, um dos melhores armadores e defensores da história, e Karl Malone, segundo maior cestinha de todos os tempos, para se juntar a Kobe Bryant e Shaquille O'Neal.

Malone ia fazer 40 anos durante a temporada, e Payton já tinha 35. Fora das quadras, os Lakers também sofreram com Kobe Bryant perdendo jogos para ir aos tribunais se defender de acusações de abuso sexual, das quais ele acabaria inocentado. A rixa entre Kobe e Shaq chegou a seu auge, com os dois trocando farpas pela imprensa, e o clima nos vestiários não era bom.

Mesmo com Malone sofrendo com inúmeras lesões, os Lakers chegaram às Finais, mas foram massacrados pelo Detroit Pistons por 4 a 1 e iniciaram uma derrocada instantânea que culminou na saída do técnico Phil Jackson e na troca de Shaquille O'Neal para o Miami Heat.

Payton foi trocado ao fim da temporada, e Malone se aposentou.

2012-13

Em uma das últimas tentativas de dar um título a Kobe Bryant, os Lakers fizeram trocas para trazer Steve Nash e Dwight Howard para formar o quinteto titular ao lado de Kobe, Pau Gasol e Metta World Peace.

Foram necessários apenas 5 jogos - e 4 derrotas - na temporada regular para Mike Brown ser demitido. Phil Jackson foi cogitado, mas os Lakers trouxeram Mike D'Antoni, que a vida inteira só soube jogar com "baixinhos" e times rápidos que chutam de 3 pontos. Com Kobe, Gasol e Howard, não seria assim.

Nash sofreu com lesões, e Kobe e Howard claramente tinham mentalidades muito diferentes e não se davam em quadra.

Resultado: os Lakers foram se classificar para os playoffs literalmente no último dia de temporada regular, apenas para ser varrido pelo San Antonio Spurs.

Como se não pudesse piorar, no antepenúltimo jogo da temporada regular, contra o Golden State Warriors, Kobe rompeu o seu tendão de Aquiles, na lesão que praticamente acabaria com sua carreira na NBA aos 34 anos de idade.

Ao fim da temporada, Howard foi para o Houston Rockets como um agente livre, Nash com quase 40 anos se machucou de novo, e os Lakers foram miseráveis até contratarem LeBron James em 2018.