<
>

NBA: Salários bilionários de Doncic e Jokic e bônus de... 1 dólar - como jogadores podem lucrar ainda mais na temporada 2021-22

Mais que vitórias e derrotas, uma boa temporada da NBA também coloca em jogo o futuro salarial de vários jogadores. Por isso, reunimos quem pode sair lucrando ainda mais em 2021-22.


Com menos de uma semana até o início da temporada 2021-2022, vamos analisar os maiores bônus potenciais que os jogadores da NBA podem ganhar nesta temporada. No total, são 43 jogadores, cada um com incentivos, incluindo 14 recém-contratados.

Mais uma vez, a mídia terá algo a dizer com as indicações para o All-NBA, All-Star e prêmios de pós-temporada, votos que poderiam mudar o cenário para jogadores como Zach LaVine, do Chicago Bulls, Devin Booker, do Phoenix Suns, e Karl-Anthony Towns, do Minnesota Timberwolves.

Veja aqui os bônus para monitorar esta temporada, começando com jogadores que podem ser elegíveis para um contrato super máximo na próxima offseason.

O super máximo

Nikola Jokic, do Denver Nuggets, tem pouco com o que se preocupar.

Ao ser coroado MVP na última temporada, Jokic se qualificou para uma extensão supermax, que seria a maior da história da NBA, de 254 milhões de dólares (R$ 1,4 bilhão). Entretanto, como Jokic tem apenas seis anos de serviço, o pivô de 26 anos de idade tem que esperar até a offseason de 2022 para assinar a renovação de cinco temporadas. As regras de um salário super máximo estipulam que somente jogadores com sete ou oito anos de serviço são elegíveis para assinar a prorrogação.

Como Jokic foi eleito MVP, ele é elegível para assinar o super máximo em 2022, quando ele terá um ano de contrato restante, ou em 2023, quando ele se torna um free agent sem restrições.

LaVine, Booker e Towns não são tão sortudos quanto Jokic.

Apesar de suas situações diferirem ligeiramente - Booker e Towns não são free agents em 2022, enquanto LaVine é - todos os três são elegíveis a salários super máximos, em uma extensão ou contrato regular, se eles se tornarem All-NBA nesta temporada (ou se tornarem MVP).

A classe de extensão para estreantes

Três jogadores - Trae Young, do Atlanta Hawks, Shai Gilgeous-Alexander, do Oklahoma City Thunder, e Michael Porter Jr., do Denver Nuggets - têm uma cláusula em seus contratos que prevê o aumento da remuneração de 25% do teto em 2022-23 para 30% se cada um deles for indicado ao time All-NBA (primeiro, segundo ou terceiro time). O aumento de 5% vale mais 34,5 milhões de dólares (R$ 190 milhões) ao longo do contrato para cada jogador.

Luka Doncic foi indicado ao All-NBA em temporadas consecutivas e já cumpriu o critério de 30%, tendo conseguido assim mais 207 milhões de dólares (R$ 1,5 bilhão) pelo período de duração do seu contrato.

Não será fácil para Young e Gilgeous-Alexander, que teriam que superar um grupo forte de armadores que inclui Stephen Curry, Doncic, Damian Lillard, Chris Paul, Kyrie Irving, Bradley Beal, James Harden, Donovan Mitchell, Booker e LaVine.

Young ganhou dois votos para a terceira equipe All-NBA na última temporada, enquanto Gilgeous-Alexander, que perdeu os 29 jogos finais da temporada, não recebeu nenhum.

No caso de Porter, Mark Bartelstein, que representa a jovem estrela dos Nuggets, acrescentou uma linguagem criativa no último ano de sua extensão máxima de novato.

Porter tem 12 milhões de dólares (R$ 66 milhões) garantidos até 2026-27, mas esse salário pode aumentar para o valor total de 39,3 milhões de dólares (R$ 215 milhões) se certas conquistas do jogador ou da equipe forem alcançadas durante a duração do contrato.

  • Selecionado para o All-Star - duas vezes

  • MVP

  • Jogador Defensivo do Ano

  • All-NBA (primeira, segunda ou terceira equipe)

  • All-Defensive (primeira ou segunda equipe)

  • Denver ganhando a NBA e Porter jogando em 62 ou mais jogos e 75% dos jogos da pós-temporada

Isso significa que se Porter for selecionado para alguns dos times All-NBA em 2021-22, o salário de 39,3 milhões de dólares na última temporada de seu contrato se tornará garantido e o ala também ganhará um adicional de 35 milhões de dólares (R$ 193 milhões) (30% do teto salarial a partir de 2022-23).

Porter também terá sua proteção aumentada de 12 para 17 milhões de dólares (R$ 93 milhões) se for selecionado para o All-Star Game nas próximas cinco temporadas.

Os recém-chegados

Lonzo Ball

Além de seu salário de 18,6 milhões de dólares (R$ 102 milhões) este ano com os Bulls, Ball tem nove conjuntos de incentivos em seu contrato avaliados entre 100 mil (R$ 551 mil) a 200 mil dólares (R$ 1,1 milhão), e poderia ganhar um total de 1 milhão de dólares (R$ 5,5 milhões).

Se ele atingir esse número máximo de incentivos, Ball saltaria para o top 15 salário de armadores nesta temporada, superando Goran Dragic, dos Raptors (19,4 milhões de dólares ou R$ 106 milhões). O número 1 é, obviamente, Stephen Curry, que está programado para ganhar 45,6 milhões de dólares (R$ 250 milhões).

Cada um dos nove bônus está condicionado a Ball jogar 62 ou mais partidas nesta temporada, uma marca que ele atingiu uma vez em quatro temporadas.

O segundo critério é baseado em conquistas individuais (All-Defense, All-NBA, All-Star) e no sucesso coletivo (vitórias e atingindo no mínimo a segunda rodada dos playoffs).

Estes são os nove incentivos:

  1. Primeiro time All-Defensive ou segundo time All-Defensive

  2. All-NBA primeira, segunda ou terceira equipe

  3. Participante do All-Star

  4. % dos jogos da equipe disputados (pós-temporada) >= 80 e a equipe chega à final da conferência

  5. % dos jogos da equipe disputados (pós-temporada) >= 80 e a equipe chega às finais da NBA

  6. % dos jogos do time disputados (pós-temporada) >= 80 e o time chega à segunda rodada das finais

  7. Número de vitórias (temporada regular) > 48

  8. Número de vitórias (temporada regular) > 54

  9. Chicago termina a temporada regular como uma das quatro melhores equipes da conferência Leste

Apesar de uma offseason em que Chicago adquiriu DeMar DeRozan e Ball, os Bulls têm projeções de ganhar 40 jogos de acordo com as últimas projeções de vitórias e derrotas da ESPN.

A última vez que Chicago chegou ao segundo round dos playoffs e ganhou pelo menos 48 jogos foi em 2015.

Spencer Dinwiddie

Dinwiddie e seu agente, Jason Glushon, se divertiram com a lista de bônus no contrato de três anos no valor de 54 milhões de dólares (R$ 300 milhões) que assinou com o Washington Wizards (por meio de um sign-and-trade com Brooklyn).

Dinwiddie tem cinco conjuntos de bônus que podem render a ele até 1,5 milhões de dólares (R$ 8,2 milhões) ... ou apenas 1 dólar (R$ 5,51).

Sim, é isso mesmo.

Se os Wizards ganharem a NBA, ele receberá um único dólar.

Embora seja improvável que os Wizards ganhem tudo nesta temporada (eles estão projetados para ganhar 36 jogos e não chegar aos playoffs), Dinwiddie poderia receber um adicional de 1,5 milhões de dólares se ele jogar em 50 jogos ou mais.

Mais importante, porém, é que se Dinwiddie jogar em mais de 50 jogos nesta temporada e em 2022-23, seu salário de 18,9 milhões de dólares em 2023-24 se tornará totalmente garantido. Atualmente, ele tem 10 milhões de dólares protegidos.

Antes de romper seu ligamento cruzado anterior direito em dezembro do ano passado, Dinwiddie tinha jogado 50 ou mais jogos em todas as quatro temporadas anteriores.

Dante Exum

Se houvesse um prêmio pela criatividade do contrato, os Rockets ganhariam pela forma como eles estruturaram o contrato de Exum.

Quando os Rockets contrataram Exum com um contrato de três anos, no valor de 8,1 milhões de dólares sem garantia, eles incluíram 2,5 milhões de dólares (R$ 13 milhões) em bônus para a temporada 2021-22.

Como os bônus são considerados prováveis, os Rockets não são restritos à quantidade de bônus que podem ser incluídos no contrato. Um jogador que tenha bônus improváveis em seu contrato está limitado a 15% de seu salário para aquela temporada.

Os bônus prováveis para o Exum são:

  • Minutos jogados por jogo (temporada regular) > 15,8

  • Minutos jogados por jogo (temporada regular) > 15,8 e pontuação total (temporada regular) >= 2,7

E se Exum estiver na equipe depois da data de 7 de janeiro, os Rockets podem usar seus 2,5 milhões de dólares em salário base e 2,5 milhões de dólares em bônus prováveis em uma negociação.

É assim que Houston pode se beneficiar: os Rockets poderiam negociar Exum e adquirir um jogador que ganhe 8,75 milhões de dólares em salário. Como apenas $2,5 milhões do contrato Exum são garantidos - e não os 2,5 milhões de dólares em bônus - a equipe que recebesse o jogador teria mais de 6 milhões de dólares (R$ 33 milhões) poupados. Os Rockets, por sua vez, poderiam pedir um escolhas de draft em troca da economia.

Se Exum continuar sofrendo com lesões (ele jogou apenas 97 jogos nas últimas quatro temporadas), os Rockets podem dispensá-lo no final da temporada sem custos financeiros.

Evan Fournier e Nerlens Noel

Começando com o contrato de Julius Randle em 2019, surgiu uma inclinação em relação ao New York Knicks quando se trata de incentivos.

O contrato de Randle na época contava com 1,8 milhões de dólares em bônus improváveis que acabaram sendo atingidos depois que ele foi indicado ao All-NBA e os Knicks chegaram à primeira rodada dos playoffs na última temporada.

Nesta última temporada, o front office dos Knicks incluiu bônus improváveis nos contratos de Evan Fournier e Nerlens Noel.

Fournier tem 1,5 milhões de dólares em bônus improváveis que variam desde ser nomeado ao primeiro time All-NBA (1 milhão de dólares) até os Knicks chegarem à segunda fase dos playoffs (150 mil dólares).

Noel tem 2,75 milhões de dólares em bônus improváveis, mas como os bônus estão limitados a 15% de seu salário de 8,8 milhões de dólares, o máximo que ele poderia ganhar nesta temporada é de 1,3 milhões de dólares.

Por exemplo, se Noel for nomeado Jogador Defensivo do Ano da NBA (1 milhão de dólares) e os Knicks ganharem o campeonato (750 mil dólares), o máximo que ele poderia receber seria 1,3 milhões de dólares.

Noel também tem um bônus de 750 mil dólares se ele for indicado ao primeiro ou segundo time All-Defensive e 250 mil dólares se os Knicks chegarem às Finais da NBA.

Consequências da Luxury Tax

Brooklyn Nets

Os Nets já têm uma multa fiscal de 117 milhões de dólares (R$ 645 milhões) e podem ver essa quantia aumentar devido aos incentivos nos contratos de Joe Harris e Kyrie Irving.

A penalidade fiscal já está relacionada com o provável bônus de 1 milhão de dólares que Kevin Durant receberá se for indicado ao All-Star ou o Brooklyn avançar para a primeira fase dos playoffs.

Harris ganhará 500 mil dólares se os Nets ganharem a NBA e o armador jogar em 65 jogos da temporada regular e 75% dos jogos da pós-temporada.

Irving tem um conjunto complexo de oito bonus diferentes que vão desde faltas pessoais por jogo, desempenhos ofensivos e defensivos, partidas disputadas e turnovers por jogo.

  1. Classificação defensiva (temporada regular) < 106 (137.500 mil dólares)

  2. Classificação ofensiva (temporada regular) > 114

  3. Faltas pessoais por jogo (temporada regular) < 2,1 (137.500 mil dólares)

  4. Cestas de três pontos convertidas por jogo (temporada regular) > 2,8

  5. Percentual total na conversão de arremessos livres (temporada regular) > 88,5

  6. Total de jogos disputados (temporada regular) >= 60 e tentativas de lances livres por jogo (temporada regular) > 4,6 (137.500 mil dólares)

  7. Total de jogos disputados (temporada regular) >= 60 e turnover por jogo (temporada regular) < 2,4 (137.500 mil dólares)

  8. Total de jogos disputados (temporada regular) >= 70 (137.500 mil dólares)

Na última temporada, Irving atingiu três dos bônus, totalizando 137.500 mil dólares (classificação ofensiva, 3 pontos feitos e porcentagem de arremesso livre).

Boston Celtics

Os Celtics estão 6,8 milhões de dólares acima do limite de impostos, mas 2,1 milhões de dólares desse valor consistem em prováveis bônus para Jaylen Brown e Juancho Hernangomez.

Apesar de uma lesão no pulso esquerdo que encurtou sua temporada, Brown ganhou dois bônus na última temporada - por 65 jogos disputados (446 mil dólares) e por ter sido selecionado para o All-Star (1,3 milhões de dólares).

Brown também tem cinco bônus adicionais, incluindo ganhar as honras All-NBA e o quão longe os Celtics vão na pós-temporada (segunda rodada, finais da conferência, Finais da NBA e vencer o campeonato).

Como o salário de Brown para 2021-22 é de 24,8 milhões de dólares (R$ 136 milhões), ele está limitado a ganhar não mais do que 2,9 milhões de dólares em incentivos. Portanto, se os Celtics ganharem a NBA (1,9 milhões) e ele for nomeado All-NBA (1,9 milhões), o máximo que ele poderia ganhar é de 2,9 milhões de dólares.

Os 300 mil dólares de Hernangomez em prováveis bônus podem estar em risco por falta de tempo de jogo. O ala tem três conjuntos de bônus no valor de 105 mil dólares, incluindo um por minutos jogados (1.000).

Denver Nuggets

Os Nuggets têm sido consistentes com a forma como estruturam incentivos.

Em vez de confiar em estatísticas ou prêmios individuais pós-temporadas, os contratos de Will Barton, Jeff Green, JaMychal Green, Facundo Campazzo e Nikola Jokic incluem incentivos baseados em quão longe os Nuggets forem nos playoffs.

Em outras palavras, os Nuggets poderiam ter um bom problema em suas mãos em julho de 2022.

Como eles estão apenas 1,8 milhões abaixo da luxury tax, Denver se tornaria um time pagador de multas se vencesse a NBA e cada jogador atendesse aos critérios dos jogos disputados em seus contratos.

Aaron Gordon poderia ganhar até 1 milhão se fosse selecionado para duas das três equipes - All-Star, All-NBA e All-Defensive (primeira ou segunda).

Indiana Pacers

Os Pacers não pagam essa taxa desde 2005-06 e estão diante de um exercício de equilíbrio para continuar a evitá-la.

Indiana está 514 mil dólares abaixo do limite e tem quatro jogadores - T.J. McConnell, T.J. Warren, Domantas Sabonis e Myles Turner - com incentivos em seus contratos.

O espaço dos Pacers abaixo do limite contribui com o bônus por ser All-Star de 1,3 milhões para Sabonis. O ala receberia mais 1,3 milhões se fosse nomeado All-NBA.

No ano passado, Sabonis recebeu seis votos de terceiro lugar como pivô.

Turner liderou a liga na última temporada em bloqueios e tem um bônus de 1 milhão de dólares se ele for nomeado para o primeiro ou segundo time All-Defensive.

Turner recebeu o maior número de votos All-Defensive (24) entre os ala-pivôs que não foram indicados ao primeiro ou segundo time na última temporada.

Warren está se recuperando de uma lesão no pé direito, e é improvável que ele alcance os seis bônus que tem em seu contrato, incluindo um por arremessar mais de 185 bolas de 3 pontos em uma temporada e acertar 37% delas. Em 2019-20, o ala atingiu esse incentivo e ganhou 250 mil dólares.

McConnell tem um bônus de 250 mil dólares se os Pacers chegarem às Finais da NBA e um adicional de 250 mil por ganhar a NBA.

Milwaukee Bucks

Os Bucks sofreram um pequeno prejuízo financeiro por vencerem o campeonato na última temporada.

Como o armador Jrue Holiday tinha um bônus de 1 milhão de dólares estabelecido para ganhar o título, Milwaukee pagou a luxury tax pela primeira vez desde 2003-2004.

Holiday também ganhou um adicional de 900 mil dólares por minutos jogados, atingindo seu limite de rebotes por jogo (maior que 3,15), chegando ao segundo time All-Defensive e chegando às finais da conferência.

Incluindo os cinco bônus que são considerados prováveis, Holiday tem 14 bônus totais em seu contrato, incluindo os de ser eleito Jogador Defensivo do Ano da NBA e de ser selecionado para o All-Star.

O 1,9 milhão de dólares em bônus prováveis está incluído no salário de 32,4 milhões de dólares de Holiday para esta temporada.

Os 22 milhões de dólares são sobre a luxury tax e estão previstos para gerar uma punição de 54 milhões de dólares.

Minnesota Timberwolves

Os Timberwolves certamente ficarão de olho na págna de estatísticas do ala-pivô Taurean Prince nesta temporada.

Minnesota está 920 mil dólares abaixo da luxury tax, e Prince tem 1,8 milhões de bônus improváveis.

Uma parte significativa desses bônus (1 milhão) é dividida em três conjuntos de referências estatísticas:

  • Jogos disputados (temporada regular) >= 65 e classificação defensiva (temporada regular) <= 105

  • Jogos disputados (temporada regular) >= 65 e turnovers a cada 36 minutos (temporada regular) <= 2

  • Jogos disputados (temporada regular) >= 65 e percentual de cestas de 3 pontos (temporada regular) >= 41,5% e tentativas de 3 pontos a cada 36 minutos (temporada regular) >= 7,3

Além disso, Jarred Vanderbilt e Jordan McLaughlin também têm bônus de jogos disputados em seus novos contratos.

Implicações fiscais adicionais

O Portland Trail Blazers está 1,3 milhão acima da luxury tax. Se Jusuf Nurkic jogar 70 partidas ou mais e os Blazers ganharem 50 jogos, ele receberá um bônus de 1,25 milhões de dólares. Esse incentivo custaria a Portland um adicional de 1,9 milhões de dólares para sua conta de taxas.

Mike Conley tem 1,5 milhões em bônus em seu contrato se o Utah Jazz chegar às Finais da NBA e ganhar o campeonato (750 mil dólares cada). Se ambos forem alcançados, Utah deve um adicional de 5 milhões de dólares em punições fiscais. Joe Ingles também tem um bônus de 600 mil dólares se sua classificação defensiva for inferior a 101,5.

Outros jogadores com bônus:

  • Markelle Fultz

  • Jonathan Isaac

  • Gary Harris

  • Buddy Hield

  • Tyus Jones

  • Maxi Kleber

  • Doug McDermott

  • Dejounte Murray

  • Gary Trent Jr.

  • Delon Wright