<
>

NBA: As previsões das campanhas de Lakers, Warriors e todos os times do Oeste

Especialistas da ESPN analisam cada um dos times da conferência e fazem previsão de vitórias e derrotas para todas as equipes.


Como será a Conferência Oeste da NBA em 2021-22?

O Los Angeles Lakers se reforçou durante a offseason, adquirindo estrelas como Russell Westbrook, Carmelo Anthony, Dwight Howard e Rajon Rondo, enquanto o Golden State Warriors está perto de sua força máxima com o retorno de Klay Thompson aumentando as expectativas para a temporada.

A temporada 2021-22 da NBA começa em 19/10 terá transmissão de 117 jogos na fase regular (clique aqui e veja quais) e mais os playoffs completos pela ESPN no Star+.

O Los Angeles Clippers, por outro lado, ficará sem Kawhi Leonard – que perderá a maior parte, se não toda, a temporada regular após a cirurgia para reparar um rompimento parcial do ligamento cruzado anterior (LCA) em junho. O astro do Denver Nuggets, Jamal Murray, que sofreu seu rompimento do LCA em abril, perderá a maior parte de 2021-22.

Será que essas contusões permitirão que as equipes entrem na disputa? Quais são as equipes que são favoritas para chegar aos playoffs? Quais serão as equipes que estarão lutando por vagas no play-in? E quem ainda está mal das pernas?

Nosso painel de especialistas está prevendo os registros de vitórias e derrotas para todas as 15 equipes da Conferência Oeste.

Classificação da Conferência Oeste

Os candidatos

1. Utah Jazz: 55-27
2. Los Angeles Lakers: 53-29
3. Phoenix Suns: 51-31
4. Denver Nuggets: 50-32
5. Dallas Mavericks: 48-34
6. Golden State Warriors: 48-34

Dallas terminou pontos percentuais à frente do Golden State nas previsões do nosso painel.

Será que a renovação da equipe dos Lakers – com destaque para a contratação do ex-MVP Russell Westbrook - tornará o campeão de 2020 o favorito claro para ganhar novamente o Oeste?

Nosso painel não acredita nisso, pelo menos não na temporada regular.

Não há dúvida de que os Lakers lideram o Oeste em grandes nomes, já que seu elenco agora conta com cinco prováveis Hall of Famers com as adições de Westbrook, Carmelo Anthony e Dwight Howard que se juntam a Anthony Davis e LeBron James. Rajon Rondo, assim como Howard, um campeão da bolha voltando aos Lakers depois de um ano fora, também terá um forte argumento a favor de Springfield.

Mas não se sabe ao certo como Westbrook vai se encaixar, principalmente no início da temporada. Tanto Westbrook quanto James tiveram equipes em que demoraram a se adaptarem a jogar com outras estrelas que gostam de ficar com a bola.

Há também preocupações sobre se uma equipe que depende tanto de jogadores mais velhos - nove têm 32 anos ou mais - pode aguentar mais de 82 jogos. Davis, 28 anos, também teve problemas físicos, incluindo uma lesão na virilha que foi um fator importante na eliminação na primeira fase dos Lakers contra os Suns na última temporada.

O Jazz, nossa escolha para ter a melhor campanha do Oeste, tem sequência saindo de uma temporada na qual eles lideraram a NBA em vitórias na temporada regular. Utah acredita ter melhorado seu banco após uma eliminação na segunda fase dos playoffs, substituindo Georges Niang e Derrick Favors por Rudy Gay e Hassan Whiteside, e espera por mais resistência a lesões depois que os armadores All-Star Donovan Mitchell e Mike Conley se machucaram durante a pós-temporada.

Os Suns, que venceram o Oeste na última temporada depois de ficar uma década sem chegar aos playoffs, mantiveram sua intensidade ao renovarem com os armadores Chris Paul e Cameron Payne. Phoenix pode esperar razoavelmente melhorias internas à medida que seus principais jogadores jovens continuam a se desenvolver, principalmente o pivô titular, Deandre Ayton, e o ala Mikal Bridges ao entrarem nas últimas temporadas de seus contratos de novato.

Os Nuggets estão projetados para terminar em quarto lugar no Oeste, apesar de Jamal Murray provavelmente perder grande parte da temporada enquanto se recupera de um rompimento no LCA. Denver, liderado pelo atual MVP Nikola Jokic, terminou a temporada regular com uma sequência de 13-5 após perder Murray e chegou até a segunda fase dos playoffs.

Mavericks e Warriors estão praticamente empatados em quinto lugar, com o Dallas terminando apenas pontos percentuais à frente do Golden State nas previsões do nosso painel.

Os Mavs não fizeram nenhuma mudança importante na offseason, optando por contratar Reggie Bullock e Sterling Brown, além de renovar com o armador Tim Hardaway Jr. O Dallas espera ter uma temporada boa com o retorno de Kristaps Porzingis, que ainda tem que provar que pode ter o calibre para se destacar ao lado do candidato a MVP Luka Doncic, o que é necessário para que os Mavs sejam verdadeiros candidatos ao título da conferência e da NBA.

Os Warriors parecem muito distantes de sua série de cinco finais consecutivas, considerando que o Golden State não chegou às finais nos últimos dois anos. Mas Stephen Curry ainda está em grande forma, e Klay Thompson deve retornar em algum momento várias semanas depois do início da temporada após perder as duas últimas por conta de lesões no joelho e no Tendão de Aquiles. - Tim MacMahon

O grupo do play-in

7. LA Clippers: 45-37
8. Portland Trail Blazers: 43-39
9. Memphis Grizzlies: 42-40
10. New Orleans Pelicans: 37-45

A diferença de três vitórias entre Dallas e Golden State e o resto dos times do Oeste se iguala perfeitamente com a separação entre as seis melhores equipes da conferência - que avançariam diretamente para os playoffs - e aquelas forçadas a conquistar seu lugar através do torneio play-in da NBA.

Isso marcaria uma mudança tanto para os Clippers quanto para os Blazers, entre as seis primeiras equipes do ano passado. Para os Clippers, o motivo da queda é óbvio: nosso painel certamente não está esperando que Kawhi Leonard jogue bastante, se é que vai jogar, durante a temporada regular de 2021-22 após a cirurgia para reparar um rompimento parcial do LCA sofrido nos playoffs em junho. Da mesma forma que os Clippers jogaram após a lesão de Kawhi, vencendo duas vezes o Utah Jazz para avançar no campeonato, uma temporada regular de 82 jogos sem seu melhor jogador será um desafio muito maior.

A queda do Portland parece refletir alguma combinação dos Mavericks e Warriors apresentando uma melhora e a possibilidade de Damian Lillard pedir para deixar o time. Se Lillard ficar com os Blazers, eles têm uma boa chance de superar sua projeção 43-39, tendo vencido 42 jogos em 72 um ano atrás, apesar das lesões que lhes custaram os titulares CJ McCollum (25 jogos) e Jusuf Nurkic (35) por longos períodos.

Nossos especialistas analisam o Memphis Grizzlies próximo dos Blazers pelo oitavo lugar, mas o mais provável é que terminem na mesma posição que na temporada passada, quando eles derrotaram o Golden State no play-in antes de perderem para o Jazz em cinco jogos. Tendo trocado o pivô titular Jonas Valanciunas por Steven Adams, e adicionado poucos outros jogadores de curto prazo ao elenco, os Grizzlies estão previstos para diminuir percentualmente em relação a sua campanha de 38-34 em 2020-21, apesar de conseguirem recuperar Jaren Jackson Jr. para o início da temporada.

Em termos de projeção de resultados, os Pelicans estão na verdade mais próximos dos cinco últimos do que os outros times em território de play-in. Após uma decepcionante offseason, o New Orleans não conseguiu encontrar um astro experiente para substituir Lonzo Ball (que se contentou com Devonte' Graham e Tomas Satoransky via sign-and-trade), os Pelicans estão apostando no desenvolvimento interno e na chegada de Willie Green como treinador principal para dar o próximo passo no desenvolvimento desses jogadores e chegar aos playoffs. - Kevin Pelton

Os cinco últimos

11. Sacramento Kings: 35-47
12. San Antonio Spurs: 34-48
13. Minnesota Timberwolves: 31-51
14. Houston Rockets: 22-60
14. Oklahoma City Thunder: 22-60

Houston e Oklahoma City terminaram empatados nas previsões dos nossos especialistas.

Entre os cinco últimos colocados do Oeste há um alto nível de variação e abordagem. Existem equipes como os Kings e Spurs, tentando encontrar a melhor formação para conseguir pelo menos uma vaga no play-in. Existem os Timberwolves, com uma lista de jogadores jovens e uma aparência renovada, tentando construir algo de bom de forma sustentável.

E existem os Rockets e Thunder, dois antigos gigantes da conferência, que estão sofrendo fortes e abruptas derrotas - estrategicamente, não se esqueçam - para se prepararem para o sucesso a longo prazo.

Os Kings estão em busca de resultados há mais de uma década, com escolhas de alto nível no draft indo e vindo, todos os anos mostrando sinais de esperança, mas sempre terminando de forma medíocre. Em algum lugar há uma equipe de qualidade, com De'Aaron Fox, Buddy Hield e Tyrese Haliburton formando um ataque de qualidade. Mas a menos que haja uma boa melhora de Fox, provavelmente a loteria voltará para Sacramento, de acordo com nossos especialistas.

Os Spurs passaram de DeMar DeRozan e LaMarcus Aldridge, trazendo Thaddeus Young, Doug McDermott e Zach Collins. Seu conjunto jovem de Derrick White, Dejounte Murray e Keldon Johnson é bom, mas a menos que haja uma grande evolução, os Spurs estarão novamente fora do play-in nesta temporada.

Os Wolves são um caso mais curioso, pois poderiam ser a próxima versão dos Suns, uma franquia irregular com um jovem astro aparentemente prestes a decolar. A offseason não teve nenhuma reestruturação importante, mas com a boa temporada do estreante Anthony Edwards e as peças no lugar, os Wolves se mostram oportunistas e procuram um veterano capaz de dar o salto de qualidade que eles tanto desejam.

Os Rockets serão os queridinhos da televisão com o estreante Jalen Green, e o Thunder continua se reconstruindo com Shai Gilgeous-Alexander - recém renovado com um acordo máximo - e o interessante Josh Giddey.

Cada equipe deste grupo tem pelo menos algum lado positivo, mas certamente há uma separação com quanto, e quanto tempo esse ponto positivo pode durar. - Royce Young