<
>

NBA: LeBron, Davis e o 'resto'? Veja por que os Lakers terão problemas para reforçar o time para a próxima temporada

play
LeBron James abraça Devin Booker e entrega camisa autografada dos Lakers ao jovem após vitória dos Suns (0:20)

Pela primeira vez em sua carreira, LeBron James está eliminado na primeira rodada dos playoffs. Nesta quinta-feira, o Phoenix Suns não tomou conhecimento do Los Angeles Lakers, venceu por 113 a 100 e fechou a série em 4 a 2. (0:20)

Não era isso que os atuais campeões imaginavam.

Mesmo depois da menor pré-temporada da história da NBA e das principais lesões de LeBron James e Anthony Davis que prejudicaram os resultados de temporada regular do time, o Los Angeles Lakers tinha expectativas de um longo playoff. Apesar de terem sido os 7º colocados, eles eram os favoritos para vencerem a Conferência Oeste e disputar a segunda final consecutiva da NBA.

Em vez disso, eles vão para casa depois de serem derrotados na primeira rodada pelo Phoenix Suns.

Com James e Davis já recuperados e provavelmente se preparando para a próxima temporada, a atenção de Rob Pelinka & cia. se volta para a reelaboração de uma lista que tem vários jogadores ficando livres de contrato para a próxima temporada, incluindo Dennis Schroder, Alex Caruso e Andre Drummond.

A ordem para escolha de free agents

Há uma fita amarela de cuidado ao redor do elenco dos Lakers nesta pré-temporada.

Sim, seus dois principais jogadores, James e Davis, têm contrato pelo menos até a temporada 2022-23 (com Davis possivelmente até 2024-25).

Entretanto, além da dupla, os Lakers têm apenas três jogadores com contratos garantidos para a próxima temporada: Kyle Kuzma, Kentavious Caldwell-Pope e Marc Gasol. Dependendo do que Montrezl Harrell decidir fazer com seu player option de US$ 9,7 milhões, os Lakers poderiam ver nove jogadores se tornarem free agents nesta pré-temporada. E, ao contrário de 2019 - quando os Lakers tinham US$ 35 milhões para usar na contratação de jogadores mesmo depois do negócio com Davis - os Lakers já estão se aproximando do limite máximo com apenas os cinco jogadores com contratos garantidos.

Isso os deixa com opções limitadas.

Eles podem trazer de volta uma combinação de seus próprios jogadores que estão livres no mercado, incluindo Schroder, Caruso e/ou Talen Horton-Tucker, mas pagariam uma conta alta sobre a ‘luxury tax’ (taxa que times pagam por estarem acima do teto salarial). Isto também os limitaria a utilizar a taxa midlevel exception (uma das exceções que existem no teto salarial da NBA pra um time poder estourar o teto de gastos) de US$ 5,9 milhões, em vez da maior midlevel exception de US$ 9,5 milhões. A luxury tax de US$91 milhões seria a maior da história da liga e levaria os Lakers a se comprometerem com US$ 250 milhões em seu elenco em 2021-22.

Os Lakers também poderiam deixar a maioria de seus free agents saírem para cortar gastos, mas isso os deixaria pelo menos com os US$ 9,5 milhões de midlevel exception para preencher as necessidades de sua lista.

Em ambas as situações, é claro que Pelinka e seu pessoal têm trabalho a fazer, começando com a forma como priorizam seus próprios free agents.

Dennis Schroder

Schroder é a grande prioridade dos Lakers - e a mais cara.

Como Adrian Wojnarowski informou em dezembro, Schroder recusou uma renovação de dois anos no valor de US$ 34 milhões. O novo contrato era o máximo que o Los Angeles podia oferecer na época porque o armador tinha acabado de ser contratado.

Três meses depois, Schroder voltaria a apostar em si mesmo, desta vez se esquivando de uma prorrogação de quatro anos, de US$ 84 milhões, o máximo permitido durante a temporada regular. O acerto do teto de US$ 18,7 milhões teria ficado em 19º lugar entre todos os armadores em 2021-22, equivalente ao salário do armador Fred VanVleet do Toronto Raptors.

Isto não significa que Schroder não veja seu futuro com o uniforme dos Lakers.

"Quero ser um Laker por muito tempo", disse Schroder de acordo com Dave McMenamin da ESPN. "Eu só quero que seja justo".

Como Schroder ainda está sob contrato e pode tecnicamente assinar uma renovação até 1º de agosto, os dois lados têm uma janela exclusiva para negociar um novo contrato antes dele passar a ser um free agent. Assim que essa janela passar, os Lakers poderão deixar o mercado ditar como será o próximo contrato da Schroder. Entretanto, Schroder não é um free agent restrito, portanto, os Lakers não têm direito de igualar propostas. Deixar ele ir para uma equipe como New York ou Chicago deixaria um buraco gigantesco na quadra dos Lakers, o que favorece Schroder.

Se existe uma desvantagem para Schroder, é que ele faz parte de um grupo repleto de armadores free agent como Mike Conley Jr., Spencer Dinwiddie, Kyle Lowry, Lonzo Ball e talvez Chris Paul.

Há também o fato de que se New York e Chicago forem atrás de outros jogadores, as equipes que têm espaço no teto e precisam de um armador são poucas.

Os Spurs (Dejounte Murray e Derrick White), Hornets (LaMelo Ball e Terry Rozier), Mavericks (Luka Doncic e Jalen Brunson), Heat (Kendrick Nunn), Raptors (poderiam tê-lo adquirido na tarde deadline) e Thunder (já mostrou que pode fazer isso) são as equipes que têm mais do que a midlevel exception para oferecer a Schroder.

De acordo com ProFitX, o salário inicial de Schroder está em US$ 19,9 milhões, um pouco mais alto do que o que ele receberia no primeiro ano de uma extensão de US$ 84 milhões. Um novo contrato sairia para US$ 89 milhões em quatro anos, mas além do salário, vale a pena ficar de olho na duração do próximo contrato da Schroder.

Será que os Lakers fariam jogo duro em anos, sabendo que poderiam reformular a equipe em 2023-24, quando James se tornar free agent e apenas Davis e Kuzma estarão sob contrato?

Como este já é um time vencedor, ele pode não ter escolha.

Talen Horton-Tucker

A segunda escolha no Draft de 2019 passou de 38 jogos na G League em sua temporada de estreia para uma média de 20,1 minutos e 9,0 pontos saindo do banco nesta temporada. Entretanto, na primeira partida da série perdida para o Phoenix, Horton-Tucker mal fez parte do rodízio, jogando 13 minutos no total somando os Jogos 1 e 2, e não jogando nem um minuto nos Jogos 3 e 4.

Os Lakers têm early Bird rights (O que permitiria ao time ultrapassar o teto) sobre Horton-Tucker, que assinou um contrato de dois anos como novato em 2019. Os Lakers não podiam oferecer a ele um contrato de longo prazo até então porque tinham usado seu teto de gastos com outros jogadores free agent.

Como Horton-Tucker tem early Bird rights, o Los Angeles pode oferecer um contrato com um salário de primeiro ano de até US$ 11 milhões, algo em torno de R$ 55 milhões (105% da média salarial do jogador). Se ele assinar um contrato early Bird, teria que ser por pelo menos dois anos, sem incluir nenhum ano de opção.

Onde as coisas podem ficar interessantes é que as equipes com espaço no teto poderiam fazer uma oferta a médio ou longo prazo para Horton-Tucker, dando a ele um aumento significativo por 3 ou 4 anos.

Um exemplo de tal acordo de uma equipe que tenha US$ 15 milhões em espaço de teto seria semelhante a este:

- 2021-22: US$9,53 milhões de dólares (nontax midlevel)

- 2022-23: US$ 10,0 milhões

- 2023-24: US$ 19,75 milhões

- 2024-25: US$ 20,74 milhões

- Total: US$ 60 milhões

- Média: US$ 15 milhões (espaço disponível no teto)

Los Angeles teria o direito de igualar as ofertas, mas não seria permitida a média do contrato atual por estar acima do teto salarial, tornando Horton-Tucker um dos Lakers mais bem pagos a partir de 2023.

Alex Caruso

Embora tenhamos considerado Schroder como o free agent mais importante dos Lakers, Caruso não fica muito atrás.

O armador, que é o jogador mais antigo do time, ficou em quarto lugar entre todos os jogadores no rating defensivo (101,2) nesta temporada e é um dos responsáveis dos Lakers se classificarem como o melhor time defensivo do campeonato. Como ele está no elenco há mais de três temporadas, Caruso tem Bird rights completo, permitindo que os Lakers renovem por até 25% do teto salarial por no máximo cinco temporadas.

De acordo com Windhorst, os executivos da liga acreditam que Caruso poderia atrair interesse das equipes na faixa de midlevel exception de US$ 9,5 milhões. Esse salário está de acordo com o valor médio de 8 milhões de dólares que ProFitX avalia para Caruso como free agent.

Uma boa comparação seria De'Anthony Melton, contratado por quatro anos e US$ 34,6 milhões pelo Memphis Grizzlies em novembro do ano passado.

Andre Drummond

Quando Drummond assinou um contrato mínimo após ter o buyout pelo Cleveland Cavaliers, a ideia era que o antigo All-Star seria um aluguel de um ano. Entretanto, como Dave McMenamin disse recentemente no podcast do Lowe Post, os Lakers veem Drummond como mais do que isso.

"Eles estão tão empenhados em que ele seja o pivô titular. E obviamente ele recebe mais do que apenas alguns minutos. Isso parece ser algo importante para Drummond, o que o torna importante para a diretoria dos Lakers, pois eles sinalizaram para todos que estavam ouvindo: 'Isto não é apenas meia temporada de aluguel. Andre Drummond faz parte do futuro da franquia'".

Devido à sua situação do teto de gastos e ao fato de Drummond ter non-Bird rights, o máximo que o Los Angeles pode oferecer em free agency são provavelmente os US$ 5,9 milhões de midlevel exception. Criar um espaço na folha salarial para ter mais dinheiro não será fácil, se os Lakers realmente quiserem fazer isso - Drummond não jogou no Jogo 6 perdido para os Suns.

Se os Lakers usarem mais do que a taxpayer midlevel exception para renovar com Drummond, isso irá mais uma vez acionar o hard cap de US$142 milhões. Isso significa que assinar com Drummond com o midlevel completo de US$ 9,5 milhões pode custar seus próprios free agents, incluindo Schroder, Caruso e Horton-Tucker ou talvez os outros jogadores já sob contrato, incluindo Caldwell-Pope ou Kuzma.

Montrezl Harrell, Markieff Morris, Wesley Matthews e Ben McLemore

Foi uma montanha-russa assistir aos quatro veteranos.

Harrell passou de Sexto Homem do Ano com os Clippers para dois DNPs (partidas sem jogar) e saiu do rodízio durante os playoffs deste ano com os Lakers. Até a data de 31 de julho, Harrell e seus representantes irão procurar na liga algum lugar onde ele possa jogar que lhe ofereça o mesmo salário (ou talvez mais) e um papel mais definido. Como ele tem um player option (recurso para um jogador renovar automaticamente), ele não pode ser negociado até que ele concorde.

Morris começou 27 jogos nesta temporada, mas estava fora do rodízio dos Lakers nos playoffs antes de começar o Jogo 5 no lugar de Davis lesionado. Ele tem early Bird rights; os Lakers podem contratá-lo por até o salário médio do jogador (US$ 11 milhões), mas o contrato tem que ser por um mínimo de duas temporadas.

Matthews teve em média uma carreira baixa em minutos (19,5), porcentagem de chutes (35,3%), porcentagem de 3 pontos (33,5%) e pontos (4,8) em sua primeira temporada com os Lakers. Após assinar um contrato de um ano no valor de US$ 3,6 milhões em novembro passado, Matthews tem non-Bird rights, e o máximo que os Lakers poderiam renovar com ele é US$ 4,3 milhões.

McLemore jogou em 21 jogos, com média de 17,5 minutos e 8,0 pontos, depois que o Lakers o contratou em abril. Entretanto, nos playoffs, McLemore teve dois DNPs e jogou apenas 30 segundos na derrota do Jogo 6.

Se os quatro jogadores saírem, os Lakers terão uma combinação de sua escolha na primeira rodada, a taxa midlevel de US$ 5,9 milhões e o salário mínimo de veterano para substituí-los.

Opções externas

As duas últimas temporadas mostraram que existem outros caminhos para adquirir um jogador além teto de gastos e manter seus próprios jogadores. Desde 2019, 16 jogadores que mudaram de equipe em um ‘sign and trade’, incluindo Christian Wood para o Houston na última temporada.

Embora seja um recurso valioso, as equipes que adquirirem um jogador nesta pré-temporada em um negócio de sign and trade ativariam o hard cap de US$ 142 milhões, o que significa que os Lakers precisariam ser criativos - e uma calculadora gigante - para fazer esse tipo de negócio.

Por exemplo, os Lakers poderiam trocar Kuzma, Caldwell-Pope, uma escolha desprotegida na primeira rodada em 2027 e o direito de trocar prioridades com o San Antonio por um DeMar DeRozan contratado e já negociado. Embora isso funcione no papel, é altamente improvável que os Lakers possam fazer dar certo e permanecer abaixo do limite de US$142 milhões, mantendo Schroder, Caruso, Horton-Tucker e talvez Drummond.

As necessidades da equipe

● Armador titular e reserva

● Opções no banco em todas as posições

Recursos para construir o elenco

● O draft: escolha de primeira rodada para manter ou usar em um negócio

● Peças fundamentais: LeBron e AD

● Exceções: US$5,9M de taxa midlevel

● Dinheiro: US$ 5,8 milhões para enviar ou receber em um negócio

Datas para prestar atenção

- Espera-se que os Lakers apresentem a Horton-Tucker uma oferta qualificada de US$ 2,1 milhões até 1º de agosto por um ano de contrato, tornando-o um free agent restrito.

- Harrell tem até 31 de julho para notificar os Lakers se ele quiser aceitar seu contrato de US$ 9,7 milhões para a próxima temporada. Se Harrell optar por não aceitar, o máximo que os Lakers poderão oferecer a ele em 2021-22 é um salário inicial de US$ 11 milhões.

- Não há data de início desta pré-temporada no contrato não garantido de US$1,9 milhões de Alfonzo McKinnie.

Restrições

- A restrição de hard cap ($1,5M abaixo) ainda se aplica e será suspensa no primeiro dia de free agency.

- A escolha de primeira rodada mais próxima que os Lakers podem negociar é em 2027. Eles podem negociar os direitos de sua primeira escolha de 2021, uma já feita (semelhante ao que ocorreu no ano passado com Schroder).

- A restrição da ‘poison pill’ (renovar com um jogador antes do fim de seu contrato de calouro para trocá-lo depois) de Kuzma será suspensa no primeiro dia de free agency.

- O contrato de US$1,9 milhões de McKinnie não conta como salário pago em uma transação porque não está garantido.

Candidatos a extensão

- O único Laker do elenco que pode ter seu contrato prorrogado é a McKinnie.

O draft

Os Lakers mantêm sua primeira escolha nesta temporada como resultado de não terem ficado entre os sete primeiros. Embora eles devam aos Pelicans uma primeira escolha desprotegida em 2022, o Los Angeles tem permissão para comercializar os direitos de draft de 2021 na noite do draft ou depois de 3 de agosto. Isto ocorreu em novembro passado quando o Los Angeles enviou Jaden McDaniels, que eles haviam selecionado o 28º no ranking geral, e Danny Green para Oklahoma City por Schroder. Além da primeira escolha que pertence ao New Orleans em 2022, os Lakers devem aos Pelicans uma primeira escolha sem proteção em 2024 ou 2025 (New Orleans tem o direito de adiar). Os Pelicans também têm direitos de troca com os Lakers em 2023.

É assim que Jonathan Givony e Mike Schmitz, da ESPN, têm os Lakers selecionando no draft em julho:

No. 22: Ayo Dosunmu | Armador | Illinois

Pelinka realizou três operações relacionadas ao draft desde que assumiu em 2019.

Como parte do negócio de Davis, os Lakers enviaram a Nova Orleans escolha número 4 no draft, De'Andre Hunter, que foi então negociado com o Atlanta. No mesmo draft, os Lakers pagaram US$ 2,2 milhões e sua escolha do segundo round de 2020 para o Orlando pelos direitos do draft para Horton-Tucker.