<
>

NBA: Por que Stephen Curry e Bradley Beal estão fazendo uma disputa histórica pelo prêmio de cestinha da temporada

No sábado, os dois principais pontuadores da NBA se revezaram, aumentando suas impressionantes médias.

Primeiro, o ala do Washington Wizards, Bradley Beal, marcou 50 pontos convertendo 19 de 31 tentativas de chute contra o Indiana Pacers, até que uma contusão no tendão o obrigou a deixar a partida, enquanto Russell Westbrook levava o Washington à vitória. Horas depois, Stephen Curry, do Golden State Warriors, respondeu com 49 pontos em três quartos, jogando apenas 29 minutos enquanto os Warriors esmagavam o Oklahoma City Thunder num placar de 136 a 97. A exibição foi suficiente para manter Curry à frente em uma das disputas mais apertadas pela "artilharia" recentemente.

Com quatro jogos restantes para as duas equipes, Curry está com média de 31,9 pontos por jogo contra 31,4 de Beal. Quem vencerá esta disputa? Vamos dar uma olhada nisso e no que aconteceu no passado.

Ranking de cestinhas anteriores

Já se passaram várias temporadas desde que vimos uma disputa legítima pelo título de grande cestinha da NBA. Nas duas últimas temporadas, James Harden encerrou a discussão logo cedo, superando Beal por 3,8 pontos de média em 2019-20 e Paul George por 8,1 em 2018-19 - a terceira maior vantagem na história da liga, atrás apenas de duas temporadas dominantes de Wilt Chamberlain em 1961-62 (quando seu recorde de 50,4 pontos era um incrível 18,8 a mais do que o concorrente qualificado seguinte) e 1962-63 (uma vantagem de 10,8 pontos).

A última vez que a contagem de pontos foi tão intensa foi em 2012-13, quando o tricampeão Kevin Durant ficou de fora da final da temporada com a posição de playoffs do Thunder assegurada. Durant precisaria de 70 pontos naquele jogo para superar Carmelo Anthony, na época com o New York Knicks.

Claro, mudanças similares no último dia da temporada já aconteceram. A disputa mais famosa da NBA aconteceu em 1977-78. Duas ex-estrelas da ABA, George Gervin, do San Antonio Spurs, e David Thompson, do Denver Nuggets, protagonizaram um duelo memorável em 9 de abril de 1978.

Jogando primeiro em Detroit, Thompson marcou um novo recorde da liga com 32 pontos no primeiro quarto de jogo e terminou com 73 para aumentar sua média de pontos para 27,15. Durante as quatro décadas seguintes, apenas o jogo de 81 pontos de Kobe Bryant superou o recorde de Thompson.

Gervin entrou no jogo dos Spurs em Nova Orleans naquele dia contra o Jazz sabendo o número que ele precisava acertar: 58 pontos. Ele marcou 33 só no segundo quarto, quebrando o recorde que Thompson tinha acabado de estabelecer, e terminou com 63 pontos em apenas 33 minutos para terminar em 27,22 pontos de média e assumir a liderança do ranking da liga.

Uma estrela do San Antonio voltou ao topo no ranking de pontos na campanha de 1994, quando o pivô David Robinson entrou no último dia da temporada com média de 29,27 pontos, logo atrás dos 29,31 de Shaquille O'Neal. Os Spurs fizeram de sua missão fazer com que Robinson ganhasse a disputa pela artilharia. Ele marcou 71 pontos no último jogo da equipe - o terceiro maior desde a fusão atrás de Bryant e Thompson e o suficiente para terminar 0,4 ponto à frente de O'Neal.

Avaliando a disputa Beal-Curry

Durante boa parte da temporada, Beal parecia garantido para encabeçar o título em pontuação. Quando Curry foi afastado por uma contusão de cóccix sofrida em 17 de março, ele estava com média de 29,0 pontos - mais de três a menos que a média de 32,5 de Beal até 18 de março. Desde então, a pontuação de Beal tem sido um pouco mais baixa, já que um Westbrook saudável passou a ser mais solicitado na parte maior dos ataques dos Wizards. Sobre os últimos 22 jogos de Beal, ele teve uma média de apenas 29,6 pontos.

Como tem sido bem documentado, Curry teve um mês de abril histórico, estabelecendo um recorde da NBA com 96 cestas de 3 pontos e uma média de mais de um ponto por minuto (37,3 em 35,2 minutos por jogo). E depois de sábado, ele aumentou sua média em maio para 38,2 pontos em apenas 32,7 minutos.

O período altamente positivo permitiu que o Curry chegasse perto rapidamente. Tendo superado Beal na média de pontuação, apenas três dias depois ao seu jogo de 62 pontos contra o Portland Trail Blazers no início de janeiro, Curry alcançou Beal com seu jogo de 49 pontos na Filadélfia em 19 de abril. Beal recuperou a liderança com 45 pontos uma semana depois, mas ele não supera Curry desde um jogo de 19 pontos em 30 de abril.

Neste momento, Beal parece estar batalhando em várias frentes. Primeiro, há a importante questão de sua saúde. Após o jogo de sábado, ele disse aos repórteres que sentiu dor no tendão esquerdo após torcer o tornozelo no início do segundo tempo.

"Eu não pensei em nada disso, continuei jogando", disse Beal. "Acho que a bandeja no [Doug] McDermott nos colocou em vantagem por um ponto, meio que se intensificou um pouco e depois o floater que eu perdi no final, definitivamente fez doer mais ainda".

O fato de que Beal não conseguiu jogar os 21,4 segundos finais e o tempo extra de um jogo crucial - a vitória colocou Washington na frente de Indiana na briga pelo nono lugar da Conferência Leste, o que significaria sediar o jogo de abertura do torneio play-in - coloca em dúvida sua disponibilidade para o resto da semana. Isso também pode prejudicar sua eficiência, apesar de a dor não ter impedido Beal de marcar 15 pontos no último quarto de sábado.

Enquanto isso, Curry não parece diminuir seu ritmo frenético de cestas, grande parte por que desde que a escolha geral nº 2, James Wiseman, teve uma grave lesão no joelho e vai ficar de fora pelo resto da temporada. Enquanto Curry começou a jogar bem com Wiseman no time, a diferença em sua produção com Wiseman fora da quadra tem sido dramática.

De acordo com as estatísticas avançadas da NBA, Curry obteve uma média de 25,9 pontos a cada 36 minutos nesta temporada, quando jogava ao lado do novato. Com Wiseman no banco, isso salta para 36,6 pontos a cada 36 minutos.

Os Warriors, também, têm muitos jogos durante esta semana pensando no torneio play-in. A vitória de sábado os manteve meio jogo à frente do Memphis Grizzlies pelo oitavo lugar no Oeste, o que significaria uma oportunidade de ser o nº 7 ao ganharem o primeiro jogo do play-in e garantir o mando de jogo contra o oitavo lugar se eles perderem o jogo de abertura. A disputa pode chegar até o último dia da temporada, quando o Golden State recebe o Memphis com a série da temporada e um desempate mano a mano em jogo.

Se tivermos sorte, a luta pelo prêmio de maior cestinha também estará em jogo no domingo, quando Beal e os Wizards também poderão estar lutando por um lugar no play-in. Eles receberão o Charlotte Hornets, atualmente um jogo e meio em Washington pelo oitavo lugar no Leste. Curry agora parece ser o grande favorito para liderar a NBA em pontuação, mas ainda há muito trabalho a ser feito.