<
>

NBA - A meia-hora mais sufocante da vida e o trote da cadeira: ex-companheiro de Harden, Georginho revela sustos que viveu com o craque

play
Georginho conta como foi trote que recebeu nos Rockets e tirou James Harden do sério (1:31)

Último MVP do NBB falou em exclusividade com a ESPN Brasil (1:31)

Pouco mais de um mês após sua estreia pelo Brooklyn Nets, James Harden já se sente em casa. Em 20 jogos na equipe que era seu destino favorito, o Barba tem médias de 25 pontos, 11,4 assistências e 8,5 rebotes por jogo, acertando 42% dos arremessos de três pontos que tenta.

Nesse sábado, o craque entra em quadra na tela da ESPN e do ESPN App, às 22h30, contra Luka Doncic e o Dallas Mavericks. Para entrar no clima, trouxemos duas histórias um tanto quanto engraçadas - mas também desesperadoras - de James Harden. E quem as conta é Georginho de Paula, astro do São Paulo, último MVP do NBB e ex-jogador do Houston Rockets.

Em 2017, o armador brasileiro foi chamado pelo time da NBA para participar da Summer League e da pré-temporada. Na mesma época em que George viajava, James Harden assinava uma extensão contratual de 228 milhões de dólares (R$ 1,3 bi) com a equipe, fazendo dele o jogador com melhor salário da liga naquele momento.

Mas quem diria que todo esse dinheiro seria um pesadelo para o brasileiro?

Em Houston, o elenco dos Rockets treinava para a temporada, e um passe de Georginho poderia ter acabado com a temporada de MVP que o Barba viria a ter.

play
1:29

Georginho relembra momento mais tenso que viveu com James Harden e admite medo de ser demitido: 'Pensei que tinha quebrado a mão dele'

Último MVP do NBB falou em exclusividade com a ESPN Brasil

"O Harden tinha acabado de assinar a extensão contratual dele, então durante os treinos alguns jogadores chamavam ele de 'Mr. 200 milhões'. No aquecimento de um dos treinos, a gente tinha que fazer um corte para o fundo e passar na zona morta, era um passe longo, tinha que ser bem forte. Na minha vez de fazer o passe, o Harden ainda estava pegando o rebote da cesta. Eu cortei para o fundo e dei o passe bem na mão dele. Ele saiu do treino por meia-hora", contou o brasileiro à reportagem, alternando risadas e sorrisos amarelos.

"Foi a meia-hora mais sufocante da minha vida", Georginho

"Eu pensei que tinha quebrado a mão dele, algo assim, e é claro que se isso tivesse acontecido eu teria sido chutado para o Brasil muito antes do esperado. Eu fiquei meia-hora sufocado na quadra. Ainda bem que ele voltou, mas aí nesse mesmo treino ele ainda tomou uma bolada na cara. Nessa hora ele ficou bravo, parou o treino e começou a gritar com todo mundo. "Tá tudo bem com vocês, podem parar de tentar me tirar daqui hoje?". É uma história que poucas pessoas sabem, eu fiquei bem nervoso na hora. É engraçado contar hoje, mas eu passei um belo sufoco", concluiu.

Com a mão boa, Harden jogou 72 partidas naquela temporada, com médias de 30,4 pontos, 8,8 assistências e 5,7 rebotes por jogo, acertando 37% dos arremessos de três. Com essas credenciais, foi eleito MVP da NBA, e nos playoffs ficou a uma vitória das Finais, perdendo a decisão do Oeste por 4 a 3 para o Golden State Warriors, que seriam os campeões.

Mas os perrengues não acabam por aí; afinal, todo calouro precisa receber um trote, e com Georginho não foi diferente. E, de novo, mexeram com 'o cara'.

"Antes de um treino, chamaram todos os jogadores para a sala de vídeos, um anfiteatro. Tinha umas poltronas, só que eu não sabia como funcionava. Então deixei todo mundo entrar e ir sentando nos seus lugares, porque eu já tinha percebido que tinha uns marcados. Só que, numa dessas, alguém falou: "Senta aqui, pode sentar". O James Harden e mais dois jogadores ainda estavam no vestiário. Eu sentei na cadeira e logo chegam esses dois jogadores, não lembro quem eram. E o James Harden chega por último. Ele chegou, arregalou os olhos e abriu os braços, olhando para mim. Aí, é claro, eu não entendi, e os caras me cutucaram. "Sai daí que é o lugar do chefe". Eu pulei da poltrona, dei um mortal para trás e fiquei suando frio durante todos os vídeos que os técnicos passaram", disse o brasileiro.