<
>

NBA: astro dos Warriors desabafa e questiona tratamento aos jogadores

Draymond Green, astro do Golden State Warriors, dedicou quase toda a sua coletiva de imprensa após a vitória por 129 a 98 contra o Cleveland Cavaliers, na segunda-feira, para criticar o tratamento da NBA com os jogadores.

O desabafo foi motivado pelo fato de Andre Drummond, pivô dos Cavaliers, ter ficado de fora da partida, depois de a franquia ter decidido trocá-lo.

"Gostaria de falar sobre algo que está realmente me incomodando. E é o tratamento dado aos jogadores desta liga. Assistir Andre Drummond, antes do jogo, sentar-se no banco, depois ir ao vestiário e sair com roupas normais porque o time vai trocá-lo. É uma m...", afirmou.

Segundo apurou a ESPN, os Cavaliers vão apostar em Jarrett Allen como pivô e acreditam que seria injusto apenas limitar os minutos de Drummond. Assim, ele deve ser pouco utilizado até que uma troca seja concluída no futuro.

"Porque quando James Harden pediu para ser trocado, e ele basicamente 'largou', ninguém vai negar que ele 'largou' nos últimos dias em Houston. Mas ele foi detonado por querer ir para um time diferente. Todo mundo destruiu aquele cara. Mas um time pode chegar e dizer 'oh, queremos trocar um jogador', e o cara precisa ficar de fora, e, se não for profissional, ele é um câncer. Ele não é bom para o vestiário, e é isso", seguiu Green.

"E estamos vendo situações como Harrison Barnes (ex-Warriors, hoje no Sacramento Kings) sendo tirado do banco, ou De Marcus Cousins (do Houston Rockets) descobrindo que foi trocado em uma entrevista depois do All-Star Game, e nós continuamos deixando isso acontecer."

"Mas eu fui multado por dizer minha opinião sobre o que eu pensava de outro jogador, mas os times podem seguir dizendo 'oh, vamos trocar jogadores, você não vai jogar'. E nós temos que seguir profissionais."

"Em algum momento, como jogadores, precisamos ser tratados com o mesmo respeito. E ter os mesmos direitos que os times têm. Porque somos as piores pessoas do mundo se queremos uma situação diferente, mas um time pode dizer que quer te trocar. A liga precisa proteger os jogadores."

"E quando Kyrie Irving fala sobre saúde mental, todo mundo critica também. Você acha que isso não te afeta psicologicamente?", completou Green, que anotou a melhor marca de assistências de sua carreira, 16, contra os Cavaliers.

"Como jogadores, ouvimos: 'Ah, não, você não pode dizer isso, não pode aquilo'. Mas os times podem? Em algum momento os atletas terão que ser respeitados, é ridículo. Estou cansado de ver isso. Tenham uma boa noite. Vejo vocês", encerrou.