<
>

NBA oficializa data de início da temporada 2020/21; veja todos os detalhes de acordo

A NBA e o sindicato dos jogadores entraram em acordo acerca da data de início da temporada de 2020/21, assim como a um acordo coletivo ajustado, como anunciado por ambas as partes na noite da última segunda-feira (9).

A decisão prevê que a Free Agency comece no dia 20 de novembro, dois dias após o Draft da liga.

Como acordado na última semana, a temporada regular tem início no dia 22 de dezembro, e o calendário das equipes será de 72 jogos.

O teto salarial está definido em 109,1 milhões de dólares, e a luxury tax (zona de multa por passar do teto) será de US$ 132,6 milhões - os mesmos números da temporada de 2019/20, antes das finanças da liga serem drasticamente impactadas pela crise da pandemia de coronavírus. As equipes esperavam que ambos os valores continuassem iguais na próxima temporada há algum tempo, pois seria melhor tanto para as equipes quanto para os jogadores evitar uma queda massiva no teto salarial por conta das baixas receitas não planejadas.

O teto salarial terá a garantia de aumentar pelo menos 3% por ano - e no máximo 10% - durante o restante do acordo coletivo.

Os dois lados também chegaram a um acordo em relação ao sistema de garantias para distribuir as perdas ao longo de várias temporadas. A retenção na garantia típica de 10% segue inalterada. Se houver a necessidade de reduzir os salários dos jogadores em mais do que 10%, essa perda será distribuída ao longo daquela temporada, assim como nas duas próximas - e os jogadores nunca poderão ter mais do que 20% de seus salários retidos em uma única temporada. A esperança de ambos os lados é que temporadas futuras verão a liga ser capaz de retornar à situação financeira normal à medida que a pandemia é controlada.

Fontes também afirmam que, em tentativa de aliviar a carga tributária das equipes que estavam se planejando para o aumento do tato salarial e da luxury tax, a NBA irá reduzir a cobrança da luxury tax para as franquias ao final da temporada de 2021 pela porcentagem que a Basketball Related Income (Receita relacionada ao Basquete) da liga diminuir em relação às projeções iniciais.

Por exemplo, se tiver queda do projetado US$ 8,45 bilhões para US$ 5,9 bilhões - declínio de 30% - a cobrança da luxury tax do Golden State Warriors seria reduzida de US$ 60 milhões para US$ 42 milhões.

Outra maneira pela qual a redução dessa taxa beneficiaria Golden State é acerca do potencial uso dos US$ 17,2 milhões de exceção comercial gerados pela troca de Andre Iguodala no último verão norte-americano. Se os Warriors adquirirem por este valor total em uma troca, sua cobrança de taxa aumentaria para US$ 149 milhões. Uma redução de receita em toda a liga, no entanto, poderia cortar até US$ 45 milhões deste valor.

A partir de agora, há quatro times - Warriors, Brooklyn Nets, Boston Celtics e Philadelphia 76ers - que estão no imposto de luxo, embora esse número provavelmente aumente porque o teto e a taxa permanecerão estáveis.

As equipes não devem receber números formais da liga até perto do final de semana, após o acordo final ser oficialmente alcançado. A moratória atual da liga em questão de transações também deve ser suspensa no começo da semana que vem - pouco antes do Draft, marcado para 18 de novembro.

Isso dará o pontapé inicial para uma frenética e compacta intertemporada, com a Free Agency prevista para começar logo após o Draft - com tudo isso vindo a menos de duas temporadas do início dos training camps, em 1º de dezembro.