<
>

Free Agency da NBA: Quem são as pessoas que podem mudar os rumos da liga antes da volta dos jogos

play
LeBron 'muda rota' para tirar foto com família que ficou esperando pelo astro dos Lakers por oito horas (0:28)

Atual campeão da NBA fez a alegria do jovem torcedor (0:28)

Em algum momento entre agora e o draft de 2020 da NBA em 18 de novembro, a liga deve suspender a moratória de trocas de um mês, permitindo que a rodada anual e puro caos comece oficialmente.

Há muitas coisas que a NBA precisará resolver nos próximos meses, desde as regras do teto salarial da próxima temporada até onde os jogos serão disputados e se torcedores estarão presentes. Essas negociações e conversas com autoridades de saúde pública são uma prioridade imediata para o comissário Adam Silver e a diretora executiva da National Basketball Players Association, Michele Roberts.

Mas as equipes também estão se preparando para navegar nas incertezas de mais uma offseason. Já se passaram mais de oito meses desde a negociação mais recente da NBA e mais de 15 meses desde a última grande mudança da offseason da NBA de 2019, quando Russell Westbrook foi trocado por Chris Paul. Isso não vai durar muito tempo.

Para prever o que está por vir, e onde está o poder real da transação, aqui está nossa lista dos jogadores que tomarão as maiores decisões nesta offseason, todas as suas opções e as consequências.

Giannis Antetokounmpo: o MVP que todos querem

Opção 1: assinar uma extensão 'supermax'

Não há decisão mais impactante nesta offseason do que a de Giannis Antetokounmpo. Os Bucks vão lhe oferecer um contrato supermax no início do período de agência livre e o atual duas vezes MVP da liga tem o poder de decidir o seu futuro. Se ele resolver ficar em Milwaukee, isso consolidaria os Bucks como candidatos ao título até o fim da década de 2020.

Mas também alteraria os planos das equipes que esperam atrair Antetokounmpo. O Toronto Raptors não vai ficar tão assustado com uma oferto armador Fred VanVleet, que pode danificar seu elenco. E o Miami Heat e o Dallas Mavericks poderiam reforçar seus times agora contratos de longo prazo que, há algum tempo, estavam fora de cogitação.

Não espere uma onda de gastos se Antetokounmpo voltar para Milwaukee - a classe de 2021 ainda terá bons nomes, e a liga está navegando cuidadosamente mediante aos impactos financeiros causados pela pandemia - mas sua disponibilidade potencial manterá alguns times esperando até que ele assine o seu próximo contrato.

Opção 2: adiar a decisão até a agência livre de 2021

Diversas fontes disseram enfaticamente que Milwaukee não vai trocar Antetokounmpo caso ele decida não assinar a extensão. Em vez disso, os Bucks vão tentar melhorar seu elenco para mostrar a Antetokounmpo por que ele deve ficar.

A espera daria a Antetokounmpo poder de barganha sobre Milwaukee nos próximos 12 meses. Se os Bucks estiverem dispostos a aumentar sua folha salarial para melhorar a equipe - algo que Adrian Wojnarowski da ESPN já disse que estão - Milwaukee poderia ir atrás de trocas para melhorar o seu time (apesar de não ter muitos ativos).


Victor Oladipo e a diretoria dos Pacers: o acordo prestes a expirar

Opção 1: ir atrás de uma extensão

Com mais um ano de contrato, Victor Oladipo parece um possível candidato a extensão. Mas encontrar um número que faça sentido para os dois lados não será fácil.

O Indiana Pacers pode oferecer uma extensão a partir de 120% do salário de Oladipo para a temporada 2020-21 - um negócio que começaria em torno de US $ 26 milhões, alguns milhões por ano a menos do que ele poderia assinar em um contrato 'max' no próximo período de offseason como agente livre irrestrito. Oladipo, que sofreu uma ruptura no tendão do quadríceps em janeiro de 2019 e depois teve dificuldades para voltar este ano, pode querer voltar na próxima temporada e tentar provar que ainda é o jogador que foi em 2018.

Opção 2: considerar opções de troca

Há uma razão pela qual o nome de Oladipo é mencionado há meses como um possível alvo de trocas. Ter apenas mais um ano para finalizar o acordo coloca os Pacers em posição de potencialmente perdê-lo por nada - algo que uma equipe de pequeno mercado sempre prefere evitar. E o panorama financeiro da liga como um todo e dos Pacers especificamente (com dinheiro de longo prazo já usado em Malcolm Brogdon, Myles Turner e Domantas Sabonis) faz com que times rivais se perguntem se os Pacers estarão dispostos a gastar para manter o Oladipo.

Mas qualquer negociação aqui será complicada. Oladipo teve atuações irregulares depois de voltar de lesão este ano e, dada a sua história, essas preocupações seriam transferidas para uma eventual nova equipe.

Opção 3: esperar para ver

Mesmo que isso leve Oladipo a esperar por um ano, pode ser o caminho que faz mais sentido para os dois lados. Os Pacers provavelmente não trocarão Oladipo por um pacote de baixo valor apenas para se livrar dele. Esperar daria a Indiana a chance de ver como é esse núcleo com força total antes de reavaliar tudo no prazo de trocas de 2021, e daria a Oladipo a chance de mostrar que está de volta a quem era antes da lesão.

Fred VanVleet: o melhor agente livre disponível

Opção 1: renovar com Toronto

O Toronto Raptors tem dois objetivos principais nesta offseason: renovar com o armador Fred VanVleet e fazer isso sem comprometer o futuro financeiro do time.

De acordo com Bobby Marks, da ESPN, qualquer negócio com VanVleet por volta de quatro anos e US $ 80 milhões deve manter Toronto na corrida para contratar um jogador de alto calibre na próxima offseason. Mas as coisas ficam arriscadas se os Raptors começarem a competir com ofertas maiores por um de seus jogadores mais importantes.

Opção 2: ir para um time em reconstrução

Dois anos atrás, VanVleet apostou em si mesmo na agência livre, assinando um acordo de dois anos e US $ 18 milhões que ele superou em termos de valor na quadra. Agora ele entra na agência livre como possivelmente o melhor agente livre irrestrito com chance de trocar de time. Equipes como Detroit Pistons, New York Knicks e Atlanta Hawks não foram para os playoffs, então VanVleet poderia escolher entre jogar em um time com chances de título e ganhar um pouco menos ou assinar por um valor maior com um time que não vai brigar pelo troféu Larry O'Brien.

Tanto em Detroit quanto em Nova York, ele poderia fazer parte da criação de uma cultura vencedora. Atlanta tem planos de dar um grande passo na próxima temporada, e ter um parceiro para Trae Young faz muito sentido.


Travis Schlenk: o GM com dinheiro para gastar

Opção 1: se comprometer a longo prazo

As equipes rivais esperam que Atlanta melhores bastante nesta offseason. Se os Hawks puderem adicionar profundidade em torno de seu núcleo jovem formado por Trae Young, John Collins, Kevin Huerter, De'Andre Hunter, Cam Reddish e Clint Capela, eles podem entrar na discussão de playoffs no Leste.

Com US $ 42 milhões para gastar, o gerente geral Travis Schlenk pode fazer ofertas que maioria das equipes não conseguirá superar. Os Hawks não encontrarão uma estrela estabelecida nesta classe, mas existem bons jogadores - incluindo VanVleet, Davis Bertans, Danilo Gallinari e Joe Harris - que podem acrescentar muito ao time.

Opção 2: estudar melhorias de curto prazo

A rota alternativa aqui é contornar uma extensão para Collins (esperando contratá-lo novamente até que ele se torne um agente livre restrito após esta temporada) e obter os melhores jogadores possíveis agora em negócios de um ano. Isso permitiria aos Hawks entrar na agência livre do próximo ano com um salário max disponível e tentar recrutar uma estrela depois do que eles esperam ser uma temporada de melhora.

Clippers e 76ers: decepção e muita pressão

Opção 1: novos técnicos, novos resultados

O Los Angeles Clippers era o favorito para ganhar o título da NBA na maior parte da temporada antes de ser eliminado na segunda rodada dos playoffs de maneira vexatória. O Philadelphia 76ers quase nunca viu sua equipe titular ideal na quadra.

Isso pode fazer com que ambas as equipes digam que a única mudança que precisam fazer é no banco - onde Tyronn Lue substituiu Doc Rivers em LA e Rivers substituiu Brett Brown em Philly.

Opção 2: grandes mudanças

Ambas as equipes estão sob intensa pressão para vencer, o que as torna candidatas a buscar mudanças no elenco antes do início da temporada, embora revisões dramáticas sejam sempre complicadas.

Em Los Angeles, Paul George e Kawhi Leonard quase certamente não irão a lugar nenhum. E depois da troca por George na temporada passada, os Clippers não têm muitos ativos para usar. Eles poderiam tentar combinar jogadores como Patrick Beverley, Lou Williams e Ivica Zubac em trocas, mas é difícil trocar jogadores veteranos por talentos de impacto. Eles também podem tentar fazer acordos de 'sign and trade' para Marcus Morris e Montrezl Harrell, mas a matemática é complicada.

No Leste, os Sixers podem encontrar um time para Al Horford e equilibrar seu elenco? Será que eles vão pensar em se livrar de Josh Richardson, que ainda tem mais um ano de contrato? Será que Ben Simmons vai jogar como armador, como fez a maior parte de sua carreira, ou como ala, como fez na bolha da Disney antes de sofrer uma lesão no joelho no final da temporada? E se Simmons jogar na posição quatro, quem vai jogar de armador? As respostas a qualquer uma dessas perguntas podem levar a mudanças drásticas nos Sixers.


Bob Myers e Sean Marks: o fascínio de mais poder estelar

Opção 1: decisões imediatas

Como meu colega Brian Windhorst gosta de dizer: "Ganhar um título significa nunca ter que pedir desculpas". Vimos times apostarem em suas estrelas nas duas últimas temporadas e saírem com o anel. O Golden State Warriors e o Brooklyn Nets podem ter oportunidades semelhantes nesta offseason.

Para Bob Myers, presidente de operações de basquete dos Warriors, isso significaria tentar usar a escolha nº2 no draft deste ano e a escolha de primeira rodada do Minnesota Timberwolves (junto com o contrato de Andrew Wiggins) para adicionar outro jogador de alto nível em um elenco que já conta com Stephen Curry, Klay Thompson e Draymond Green. Para Sean Marks, gerente geral do Brooklyn, isso significa potencialmente abrir mão de um pacote que inclui Caris LeVert, Spencer Dinwiddie e Jarrett Allen para adicionar uma terceira estrela para jogar ao lado de Kevin Durant e Kyrie Irving.

Opção 2: construir para o futuro

Na NBA, sempre existe a possibilidade de algum jogador fazer algo que ninguém esperava, mas no momento não há um alvo de troca óbvio para nenhum dos times.

Isso é especialmente verdadeiro para Golden State, que dificilmente trocará um ativo como a segunda escolha do draft por um upgrade moderado. Se não houver um acordo óbvio agora, a melhor aposta para os Warriors pode ser simplesmente seguir com a sua escolha, esperar o momento certo e ver as oportunidades que surgem.

Brooklyn, por outro lado, já tem muitas peças complementares interessantes para Durant e Irving - uma fórmula que acabamos de ver funcionar para o campeão Los Angeles Lakers. Com Durant e Irving garantidos por vários anos, os Nets têm tempo para analisar seus jovens jogadores antes de puxar o gatilho.


Sam Presti e David Griffin: os times de playoffs da bolha

Opção 1: abraçar a reconstrução

Na última offseason, Sam Presti (o gerente geral do Oklahoma City Thunder) e David Griffin (o vice-presidente executivo do New Orleans Pelicans) viram seus melhores jogadores solicitando trocas para se mudar para Los Angeles. Ambos transformaram essas situações em muitos jogadores de talento.

Eles poderiam tentar fazer o mesmo este ano, embora os retornos não devam ser tão grandes. Depois de trocar por Chris Paul e Danilo Gallinari, Presti pode tentar extrair mais valor lançando-os nesta offseason. O contrato inchado de Paul (cerca de US $ 85 milhões ao longo das duas temporadas seguintes, incluindo uma opção de jogador de US $ 44 milhões em 2021-22) pode tornar difícil trocá-lo mas também deve reduzir o preço pedido por OKC. Gallinari é um agente livre irrestrito, mas, devido à falta de espaço salarial em várias equipes, ele pode ser candidato a um acordo de sign and trade.

Griffin tem uma decisão a tomar sobre Jrue Holiday. Um dos melhores alas defensivos da liga, Holiday tem um ano restante em seu contrato e, em uma offseason, quando não há muitas estrelas disponíveis, ele pode trazer um bom retorno para os Pelicans, permitindo que eles se comprometam totalmente com a construção em torno de Zion Williamson e Brandon Ingram.

Opção 2: se manter como candidato aos playoffs

Se Paul e Holiday ficarem onde estão, ambas as equipes esperam continuar na disputa pelos playoffs. Oklahoma City pode ter dificuldade em fazer isso se o time não renovar com Gallinari, mas dada a falta de pretendentes claros para ele nesta offseason, o Thunder pode ser capaz de renovar com ele e tentar se livrar mais para frente.

Enquanto isso, New Orleans era o favorito para ser o oitavo classificado antes que as coisas dessem errado na bolha - e os Pelicans estão confiantes de que podem disputar uma vaga nos playoffs na próxima temporada se W

Anthony Davis: a questão do contrato

Opção 1: assinar por vários anos

Depois de se juntar a LeBron James para ganhar um título em sua primeira temporada em Los Angeles, é difícil imaginar Davis indo a qualquer lugar quando se tornar um agente livre irrestrito nesta offseason. Supondo que ele assine novamente com os Lakers, Davis terá uma escolha a fazer: assinar um contrato de curto prazo - uma ou duas temporadas - ou um contrato de quatro ou cinco anos.

Se Davis escolher o caminho do longo prazo, os Lakers podem planejar com mais facilidade seus compromissos salariais futuros, já que buscam trazer mais estrelas para complementar o elenoc da próxima temporada.

Opção 2: escolher a rota do curto prazo

Um acordo de menos tempo muda a dinâmica das negociações em prol de AD. Se ele assinar um contrato de dois anos, isso permitiria que ele assinasse um contrato max pela maior quantia - 35% do teto salarial - em 2022. Um contrato de um ano permitiria que ele se alinhasse com James, que pode também se tornar um agente livre após a próxima temporada.