<
>

NBA: O que sabemos, e o que não sabemos, sobre o Draft, free agency e começo da temporada 20-21

play
Fã dos Lakers, Snoop Dogg comemora título da NBA com nova tatuagem e homenagem a Kobe (0:17)

Rapper mostrou desenho novo feito no braço após conquista do time de Los Angeles (0:17)

A temporada mais longa da história da NBA está finalmente terminada. Mais de um ano após as equipes se reportarem ao training camp, o Los Angeles Lakers foi coroado campeão, recebendo o Troféu Larry O'Brien na noite de domingo dentro do campus no Walt Disney World em Orlando, Flórida. A bolha da NBA foi um sucesso, permitindo que a temporada fosse completada com segurança durante uma pandemia, mas agora o foco muda para uma off season atípica, que definirá o cenário para a temporada regular de 2020-21. Incontáveis perguntas surgem, começando pela grande.

Quando a temporada 2020-21 da NBA vai começar?

Ainda não está claro. Quando a liga definiu o calendário de retomada para a temporada 2019-20, uma data de início em 1° de dezembro para 2020-21 foi sugerida. Dado que a liga anunciou que daria oito semanas de antecedência de uma temporada para a outra, 1° de dezembro está fora de questão e 25 de dezembro parece cada vez mais improvável. O comissário da NBA, Adam Silver, disse à CNN no mês passado que seu "melhor palpite" era que a temporada não começaria antes de 2021. Janeiro é uma possibilidade, mas o início da próxima temporada ainda pode ser muito mais tarde, talvez em março. A realidade é que existem apenas projeções - nada é concreto.

O que vai acontecer com o draft?

O draft da NBA para 2020 quase certamente ocorrerá em 18 de novembro, data em que a liga chegou quando adiou o draft no mês passado, a partir da data previamente anunciada de 16 de outubro. É muito cedo para saber quando o draft de 2021 ocorrerá, embora o início tardio da temporada signifique que quase certamente haverá um atraso em relação ao período normal de junho.

E a Summer League?

O reinício da NBA na bolha começou durante o que normalmente seria o período da off season da Las Vegas Summer League, o que significava que a versão 2020 foi cancelada. Atualmente não há planos de realizar uma versão de inverno do evento antes da próxima temporada. É muito cedo para dizer o que pode acontecer com a edição de 2021.

O que precisa acontecer para uma nova temporada começar?

play
0:17

Fã dos Lakers, Snoop Dogg comemora título da NBA com nova tatuagem e homenagem a Kobe

Rapper mostrou desenho novo feito no braço após conquista do time de Los Angeles

Primeiro, o sindicato dos jogadores e a liga devem chegar a um acordo sobre como administrar a queda esperada nas receitas com a pandemia. Em grande parte, isso se concentrará no teto salarial, talvez nas próximas duas temporadas.

O resultado mais provável agora é um acordo que mantém o teto salarial artificialmente inflado, provavelmente no mesmo nível que estava durante a temporada 2019-20 (US $ 109 milhões por equipe). Isso atenuaria um mercado em baixa na agência livre e evitaria que as equipes enfrentassem enormes e inesperados pagamentos de impostos de luxo que viriam com uma queda acentuada do limite do teto salarial.

Para garantir que proprietários e jogadores mantenham a divisão de receita de aproximadamente 50-50 conforme seu acordo atual exige, os jogadores provavelmente terão que concordar em abrir mão de uma porcentagem de seus salários ao longo da temporada para ajudar a equilibrar essas contas. O tamanho do corte e como administrar essa divisão será uma parte central das negociações.

As equipes também devem concordar em como dividir dinheiro entre si. A divisão da receita foi virada de cabeça para baixo com os regulamentos em diferentes estados, potencialmente alterando o curso normal dos negócios.

Por exemplo, o estado da Flórida suspendeu todas as restrições relacionadas à COVID-19. Isso significa que times como Orlando Magic e Miami Heat - duas equipes normalmente menores na escala de geração de receita - poderiam ter torcedores em suas arenas, enquanto equipes normalmente de alto rendimento, como Golden State Warriors e Los Angeles Lakers, podem não ser autorizadas a ter torcedores acompanhando suas partidas, dadas as diretrizes do estado da Califórnia.

Torcedores poderão ver os jogos nas arenas?

Silver disse várias vezes, inclusive durante as Finais, que a liga quer ter uma temporada de 82 jogos com torcedores nas arenas. Pode não ser com sua capacidade total em muitos lugares e é possível que não seja nem em todas as 28 cidades da NBA no início.

A receita com base nas arenas representa 40% da receita total da liga. Qualquer jogo que a maioria dos times joga sem torcedores, mesmo com a receita da televisão local e nacional, pode resultar em perda de dinheiro.

Alguns planos foram discutidos - como reformar uma bolha ou várias, fontes disseram - mas essa não é a primeira opção no momento.

A liga não está planejando esperar por uma vacina COVID-19. Em vez disso, para garantir a segurança dos torcedores, espera-se que o teste rápido tenha confiabilidade e disponibilidade suficientes - ao mesmo tempo que é econômico. Vários proprietários da NBA, bem como a própria liga, fizeram investimentos em empresas que desenvolvem esses tipos de testes.

Os playoffs da NBA serão disputados novamente em agosto, setembro e outubro?

Se a temporada começar em janeiro, como a NBA espera, e a liga se comprometer a jogar uma os 82 jogos (como Silver disse que é o plano), a resposta para agosto e setembro é sim, mas improvável em outubro. Como Silver disse no início deste mês, isso provavelmente tiraria os jogadores da NBA das Olimpíadas de Tóquio.

Uma temporada normal de 82 jogos dura 177 dias (cerca de seis meses), com os playoffs levando mais 10 semanas.

Se a liga começar no dia de Martin Luther King Jr. (18 de janeiro), a temporada pode terminar em 14 de julho, com os playoffs começando em 17 de julho. Isso levaria em conta provavelmente eliminar o All-Star Weekend em Indianápolis e substituí-lo por jogos de temporada regular. Provavelmente também veríamos mais jogos em dias consecutivos para encaixar os 82 jogos em uma janela de 152 dias.

Não há solução rápida para o retorno da liga aos playoffs em maio e junho, a menos que a NBA queira uma temporada mais curta de 60 jogos - semelhante ao que ocorreu em 2011-12, quando um locaute forçou a liga a ter uma temporada de 66 jogos.

Uma temporada de 2020-21 encurtada veria 60 jogos disputados em um período de 103 dias, resultando em mais jogos consecutivos (Dallas jogou 21 desses em 2011-12) e possivelmente times jogando em três noites consecutivas. Foram 42 ocasiões em 2011-12 onde times tiveram que jogar em três noites consecutivas.

play
0:26

Filha de LeBron transforma casa que ganhou de presente em 'mansão mal-assombrada' para Halloween

Zhuri se divertiu com o pai, que mostrou decoração nas redes sociais

Embora houvesse discussão antes mesmo da pandemia sobre a possibilidade de mudar o calendário da temporada regular da NBA, parece que a NBA fará um esforço para voltar a algo mais próximo do tradicional início em outubro e final em junho, possivelmente para 2021-22.

"Acho que estamos aprendendo um pouco mais sobre o nosso público de televisão à medida que vamos experimentando", disse Silver no mês passado, "e parte disso é que menos pessoas estão assistindo televisão no verão, especialmente quando você tem que competir com NFL, futebol americano universitário e tudo mais. Então, isso está sendo considerado, também”.

Haverá um locaute?

Ambos os lados não acreditam nisso, mas há algumas duras realidades que precisam ser encaradas. Considere um jogador que ganha US $ 10 milhões por ano e que joga na Califórnia. Ele poderia ter que pagar quase 50% em imposto de renda federal e estadual, potencialmente ter 25% ou talvez até mais de seu salário retido por causa da incerteza de receita (a liga detém 10% em anos normais de qualquer maneira), mais as taxas de agentes, que vão até 4%.

Na última década, à medida que o país se recuperava da Grande Recessão, a NBA passou por um período tremendo de crescimento de receitas e salários. Agora, a maioria dos jogadores está enfrentando cortes de salários que pensavam estar garantidos. Tentar resolver isso pode dificultar as conversas que precisam acontecer.

No entanto, ninguém quer lidar com os efeitos negativos que um locaute traria, incluindo críticas de torcedores com o calendário esportivo atual e várias ligas e conferências universitárias lidando com esses problemas. O sindicato e a liga atualmente têm um bom relacionamento e a esperança é que eles possam trabalhar juntos para criar um plano provisório de curto prazo que permita que a liga continue.

De quanto estamos falando?

Ninguém sabe com precisão. Bilhões sem dúvidas.

Além da parte econômica do acordo coletivo, o que mais tem que ser negociado entre os dois lados?

Assim que essas questões forem acordadas, a liga e a associação de jogadores voltarão suas atenções para definir o calendário para a temporada 2020-21, começando com a abertura do período de agência livre.

A data de início do ano da NBA (originalmente 1° de julho, depois adiada para 19 de outubro, agora ainda a ser determinada) é um componente crítico, pois permite que a NBA preencha as lacunas para o resto da temporada 2020-21, e afeta os contratos de vários jogadores.

Anthony Davis, do Los Angeles Lakers, pode optar por seu contrato de $ 28,8 milhões para a temporada 2020-21. Originalmente, a data para fazer isso era 23 de junho, que foi adiada para 14 de outubro. Essa data (que foi ontem, quarta-feira) foi invalidada pelo atraso no início do ano da NBA, e a nova data para Davis tomar sua decisão coincidirá com o calendário revisado.

Uma hipotética data de início da agência livre em 1° de dezembro, por exemplo, colocaria a data da decisão de Davis em algum momento da última semana de novembro.

Como a temporada provavelmente vai passar de 29 de junho, jogadores como Kawhi Leonard e Paul George, do LA Clippers, terão as datas de suas opções de contrato alteradas. Ambos tinham que dar a resposta em 29 de junho para a temporada de 2021-22.

A exceção de troca de US $ 17,2 milhões do Golden State Warriors no acordo que enviou Andre Iguodala a Memphis em julho de 2019 estava originalmente programada para expirar há algumas semanas. Isso foi adiado até 24 de outubro e agora será transferido para sete dias após o início da agência livre.

A data de início da temporada regular também terá consequências enormes.

Um dia antes do primeiro jogo da temporada regular é o prazo para quando Giannis Antetokounmpo pode assinar uma extensão supermax.

As equipes podem fazer trocas agora que a temporada acabou?

A resposta é não (por enquanto).

Atualmente, as equipes não estão autorizadas a contratar jogadores para uma extensão, dispensar jogadores sob contrato e, o mais importante, conduzir negociações de troca com outra equipe (ou equipes). Espere que a janela de transação seja aberta assim que houver um acordo sobre o acordo coletivo mencionado acima com os jogadores.

Uma coisa a notar é que, de quando a temporada regular termina até antes do draft, raramente há trocas. Na última off season, a primeira troca ocorreu em 15 de junho, quando os Pelicans concordaram verbalmente em enviar Anthony Davis para os Lakers.

Meu time / jogador favorito vai se envolver em alguma troca?

Não vimos muitas trocas com base financeira nos últimos anos, mas pode haver algumas nesta temporada. Algumas equipes que enfrentam problemas profundos podem ter que priorizar o corte de salários em vez de decisões envolvendo o time. Além disso, as equipes não conseguem fechar negócios há oito meses. Com um draft chegando, tenha certeza de que algumas coisas vão acontecer.

A moratória das trocas será suspensa antes do draft?

Há muita coisa desconhecida nesta off season, mas uma coisa que os executivos da equipe confirmaram à ESPN é que a moratória das trocas será suspensa antes do draft.

Com tanta receita sendo perdida, como isso afetará a agência gratuita?

Com o teto salarial provavelmente em US $ 109,1 milhões, há apenas quatro times (Atlanta, Charlotte, Detroit e New York) projetados para ter poder de compra acima da exceção de nível médio de US $ 9,3 milhões.

Isso significa que veremos um bando de jogadores optando por seus contratos antes do início da agência livre. Embora seja quase certo que Anthony Davis e Jerami Grant vão preferir dar o ‘opt-out’ (sair de seus contratos), há 29 outros jogadores que têm uma opção de jogador em seu contrato. Grandes nomes como DeMar DeRozan, Gordon Hayward, Andre Drummond e Mike Conley provavelmente não se tornarão agentes livres.

Fique de olho também em como as equipes priorizam o uso de espaço salarial e também sua exceção de nível médio.

As equipes estão enfrentando uma crise econômica como resultado da falta de receita e estão enfrentando o desconhecido do que a temporada 2020-21 apresentará quando se trata do público.

Com uma classe de jogadores abaixo da média, a agência livre pode acabar sendo um devagar, com equipes adotando uma abordagem conservadora sobre quanto dinheiro gastam e também o número de anos que estão dispostas a se comprometer.

Por causa disso, espere que as transações sejam dominadas por trocas.

Eu sei que estamos falando da off season de 2020, mas como está a classe de agentes livres de 2021?

Ainda temos que atravessar a temporada 2020-21, mas a próxima off season já está repleta de grandes histórias, sem mencionar uma classe de agentes livres.

Se Giannis Antetokounmpo não assinar uma extensão supermax antes da temporada, ele não será apenas o enredo principal em 2020-21, mas também o agente livre mais desejado em 2021. Ele pode entrar em uma classe com Leonard, George, Hayward, Drummond, DeRozan, Victor Oladipo, Jrue Holiday, Kyle Lowry, Spencer Dinwiddie, Kelly Oubre Jr., Rudy Gobert, LaMarcus Aldridge e o recentemente coroado quatro vezes MVP das Finais, LeBron James.

Depois, temos os potenciais agentes livres restritos do draft de 2017, incluindo Jayson Tatum, Donovan Mitchell e Bam Adebayo - todos os quais serão elegíveis para assinar extensões de contrato com suas equipes atuais nesta off season.

A forma como a liga define o teto salarial para 2021-22 terá um papel fundamental nas decisões dos agentes livres.

Se o limite permanecer em US $ 109,1 milhões (o mesmo que 2019-20 e possivelmente 2020-21), times como o Dallas Mavericks e os Lakers não terão um espaço para salário max disponível. Ainda assim, até 10 equipes podem estar na conversa para o máximo de agentes livres daqui a um ano, dependendo do que acontecer nesta off season.

Bobby Marks contribuiu para esta reportagem.