<
>

Ala do Boston Celtics já planeja deixar 'bolha' da NBA, mas por bom motivo: nascimento do filho

play
No mês de retorno da NBA, Zion volta aos treinos com os Pelicans para buscar vaga nos playoffs (0:29)

Retomada da temporada da NBA está marcada para 30 de julho (0:29)

Gordon Hayward, jogador do Boston Celtics, diz que deixará a bolha da NBA no Walt Disney World para acompanhar de perto o nascimento de seu quarto filho mesmo se os Celtics ainda estiverem jogando.

"Haverá um tempo e, se ela tiver o bebê enquanto estivermos lá, com certeza vou estar com ela", disse Hayward sobre sua esposa Robyn. "Teremos que atravessar a ponte quando chegarmos lá."

Robyn Hayward deve dar à luz em setembro - o que significa que, com as semifinais da Conferência Leste agendadas para começar em 30 de agosto, e as finais da Conferência Leste agendadas para começar em 15 de setembro, Hayward precisaria passar no mínimo alguns dias longe de seus companheiros durante os playoffs.

Mas Hayward disse que a decisão de ficar com sua esposa pelo nascimento do filho não foi difícil.

"É uma decisão muito fácil para mim", disse Hayward. "Eu estive no nascimento de todos os meus filhos e acho que há coisas mais importantes na vida. Então, atravessaremos a ponte quando chegarmos lá."

"Eu sei que a NBA tem um protocolo para esse tipo de coisa e espero que eu possa fazer a quarentena e testar a quantidade adequada de tempo e depois voltar com os garotos".

Hayward está certo, pois a NBA construiu protocolos para ausências aprovadas como essa, que exigem que um jogador ou membro da equipe saia da bolha. Nessas circunstâncias, se um jogador sair por menos de sete dias e testar negativo a cada dia que não estiver dentro da bolha, ele terá que ficar em quarentena por quatro dias ao retornar à bolha.

Qualquer jogador que sair da bolha sem aprovação estará sujeito a uma quarentena mínima de 10 dias.

play
0:13

O dia em que baixinho entrou empolgado na marcação e deixou Zion sem entender absolutamente nada

Hoje estrela dos Pelicans na NBA, Zion encarou marcador animado no ensino médio

A perspectiva de ficar longe de amigos e familiares pelas próximas semanas é algo que pesa na mente de todos que devem entrar na bolha, processo que começa oficialmente na segunda-feira.

Enquanto os jogadores terão a capacidade de ter amigos ou familiares fazendo visitas após a primeira rodada dos playoffs (se o time ainda estiver jogando), os membros da equipe não poderão ter família lá a qualquer momento - algo que o técnico dos Celtics, Brad Stevens, tem falado sobre tentar mudar.

Hayward disse que a ideia de deixar sua esposa e três filhas para trás é algo difícil de digerir.

"Penso que, para muitas pessoas na NBA, uma decisão difícil deixar a família, especialmente se você tem filhos pequenos", disse ele. "Esta é uma experiência única que está prestes a acontecer, porque, embora estejamos viajando muito durante o ano, você tem tempo para voltar para casa. Talvez no máximo oito, nove, dez dias antes de voltar para casa. E então, ficar fora por muito mais tempo certamente será difícil, não há dúvida sobre isso.

"Acho que deixar as meninas será realmente difícil e com certeza será um dia triste para mim. Acho que elas têm idade suficiente para entender o que está acontecendo e tentamos explicar a elas que vai demorar só um pouco. Eu acho que a oportunidade de competir por um título é algo que muitos de nós jogadores da NBA queremos fazer." Ele também elogiou sua esposa, que ele disse que viajaria de volta para Indianápolis com suas filhas para estar com suas famílias, por como ela está lidando com o que é uma situação estressante para todos.

"Ela está triste, com certeza", disse Hayward. "Minha esposa tem sido inacreditável com essa coisa toda. Ela está cuidando das meninas, cuidando de mim, porque eu estive em casa mais. Tudo enquanto estava grávida.

"Ela é incrível ... Ela está se estressando um pouco com isso e não posso culpá-la. Tem sido um momento estressante para nós, definitivamente. Mas acho que ela ficará feliz se eu for lá e jogar bem, e os Celtics jogarem bem. Eu sei que ela vai ficar. Eu acho que somos todos abençoados agora, pois estamos conversando por Zoom agora, e eu vou poder fazer isso com ela todos os dias para conversarmos. Não é a mesma coisa que sentar ao lado da cama e contar histórias para as minhas filhas, mas posso fazer isso remotamente".

Nas quadras, Hayward já parece muito mais o jogador que era antes da lesão devastadora que sofreu em seu primeiro jogo pelo Boston Celtics contra o Cleveland Cavaliers em 2018. Mas ele admitiu sexta-feira que ainda às vezes sente dor no pé esquerdo e, embora espere que seja por causa dessa lesão, ele não tem certeza do que está causando isso.

"Eu gostaria de ter uma resposta de por que ainda dói um pouco", disse Hayward, que perdeu algumas partidas em dezembro por causa do mesmo problema. "Acho que muito disso tem a ver apenas com a lesão que sofri. Treinei bastante esse tempo todo. Obviamente, não estou totalmente em forma, já que não tenho uma quadra o tempo todo, mas tenho tentado ficar em forma, estou descansando, mas ao mesmo não muito, é um tipo de manutenção.

"Tudo está definitivamente muito melhor, não há dúvida sobre isso. Com certeza, estou me sentindo ótimo. Só o pé que ainda dói um pouco. As coisas são assim. “