<
>

NBA discute 'segunda bolha' em Chicago com os oito times que não jogarão playoffs na Disney

A NBA está perto de fechar uma segunda "bolha" em Chicago, de acordo com fontes ouvidas pela ESPN nesta terça-feira. Nela, estariam presentes os oito times que, por não terem mais chance de jogar os playoffs, não participarão do retorno da temporada em Orlando, no complexo da Disney, a partir de 30 de julho.

Os detalhes ainda estão em discussão entre a liga e representantes dos clubes, mas a ideia é oferecer uma alternativa às franquias, para que os jogadores não fiquem tanto tempo sem atuar. Quem lidera as conversas com os clubes é Michele Roberts, com apoio do comissário da NBA, Adam Silver.

Roberts insiste que a "bolha" em Chicago respeitaria as mesmas regras de Orlando, já que não seria justo mudar o tratamento. O tema foi discutido nesta quinta, em uma videoconferência com presença de dirigentes de sete das oito equipes convidadas.

Membros de Atlanta Hawks, Charlotte Hornets, Chicago Bulls, Cleveland Cavaliers, Detroit Pistons, Golden State Warriors e Minnesota Timberwolves participaram do encontro. Apenas o New York Knicks não enviou representantes, fontes disseram à ESPN.

A maior discordância é relacionada às regras para este retorno. Em enquete informal com os técnicos das franquias ausentes em Orlando, Dwane Casey, dos Pistons, disse que as equipes preferem comandar as próprias concentrações e não deixar o protocolo nas mãos da NBA.

"Queremos esses treinos para unir o time, ter um momento de camaradagem entre os jogadores, para melhorar o relacionamento e aproveitar um pouco da competição. Penso que conseguimos fazer isso com segurança. Não podemos deixá-los sem jogar de março a dezembro. Isso arruinaria suas carreiras", disse Casey, à ESPN.

A definição se haverá ou não uma nova bolha em Chicago deve demorar alguns dias, já que alguns clubes querem primeiro ver como serão os primeiros dias do retorno em Orlando, com relação ao aumento ou não de infectados por COVID-19. Isso pode mudar o rumo das negociações.

Presente nas últimas cinco finais e campeão em três oportunidades, os Warriors não garantem que jogarão em Chicago.

"Nossa posição é 'vamos ver o que é possível'. Até sabermos com certeza, é difícil dizer (se existe a chance de jogar). Se conseguirmos que a maioria dos nossos jogadores vá, e de uma forma que nos beneficie, então vamos. Caso contrário, temos que reavaliar", disse o diretor geral Bob Myers.

O custo para a criação de uma segunda bolha será dividido entre todos os 30 times participantes da liga, fontes confirmaram à ESPN. A ideia é que as equipes tenham duas semanas para treino e depois façam quatro partidas cada.