<
>

NBA: Projetando os playoffs e as possíveis repescagens com a volta em Orlando

Nesta quinta-feira, os donos das franquias da NBA aprovaram, quase por unanimidade (29 a 1), a volta da liga em 31 de julho.

Agora que sabemos os detalhes do retorno com 22 equipes no complexo esportivo da Disney, em Orlando, na Flórida, o que eles significam? Isso levará a surpresas e zebras? Qual a chance de um torneio de repescagem pela oitava vaga, considerando que ele só irá acontecer entre o 8º e o 9º da conferência se a diferença for de quatro jogos? Vamos ver.

Interpretando os detalhes

Uma das grandes questões sobre a volta com 22 equipes ao invés de 20 - incluindo as quatro da Conferência Oeste que começam com a margem de quatro jogos necessária para a repescagem - é como a NBA chegou a esse número.

Parece claro que o objetivo da liga sempre foi levar o máximo de times para Orlando enquanto ainda lhes dava um caminho realista para os playoffs. Se não fosse por um torneio de repescagem que demoraria semanas para ser realizado, não existiria um caminho para times como o Golden State Warriors que está muito longe da corrida pelos playoffs (Os Warriors estavam 17 jogos atrás do Memphis Grizzlies, 8º do Oeste, quando a temporada foi adiada).

Em contraste, é no mínimo plausível para Phoenix Suns e Washington Wizards - os dois times adicionais entre os 22 - conseguirem uma improvável vaga. Washington, o único time que está fora da zona de classificação aos playoffs e foi convidado no Leste, está 5,5 jogos atrás do Orlando Magic e teria que ganhar no mínimo dois jogos a mais que tanto Orlando quanto o 7º colocado Brooklyn Nets para forçar a repescagem no Leste.

Ainda que a diferença de Phoenix para o 8º do Oeste seja apenas meio jogo maior que a do Washington no Leste, a missão dos Suns é muito mais difícil. Não só eles tem que tirar dois jogos de Memphis como também ter, no mínimo, três vitórias a mais do que os outros quatro times que brigam no Oeste: New Orleans Pelicans, Portland Trail Blazers, Sacramento Kings e San Antonio Spurs.

Implicações na Loteria

Nós ainda não sabemos como a NBA vai fazer com as probabilidades de cada time na Loteria do Draft.

Duas grandes questões permanecem aqui: Os jogos em Orlando irão contar igual aos jogos anteriores, e o que acontece se uma vaga nos playoffs muda de mão na repescagem?

Se a resposta da primeira for sim, os Wizards podem ativar o modo "tank total" se ficarem muito longe de conseguir forçar uma repescagem. Se o Washington tiver uma vitória e sete derrotas, terá campanha pior que o Charlotte Hornets, qeu não foi convidado para Orlando. Se terminarem 0-8, os Wizards poderiam tranquilamente ter mais chances na loteria do que Charlotte e Chicago Bulls enquanto os dois times ficam em casa.

Da mesma maneira, outros times, como Phoenix, podem ser eliminados cedo da repescagem. Eles descansariam seus titulares para mantê-los saudáveis e possivelmente ajudar sua posição na loteria? Se sim, isso poderia afetar a dificuldade para equipes que ainda tem algo por jogar, seja posição nos playoffs ou vaga na repescagem.

Chance de uma repescagem

Por mais inovador e experimental que uma repescagem entre 8º e 9º seja no papel, podemos acabar não a experimentando na prática em nenhuma das conferências se os Grizzlies tiverem uma ótima sequência nos oito jogos restantes da temporada regular.

Para avançar aos playoffs sem dar a chance de uma repescagem para o 9º, Memphis precisa vencer um jogo a mais do que o melhor dos quatro times diretamente abaixo dele na tabela.

Sem saber o calendário dos times em Orlando - como esses jogos serão determinados ainda é uma importante questão que a NBA precisa responder - é impossível dizer as chances reais de uma repescagem, e mesmo quando tivermos os jogos teremos que lidar com a incerteza de como os times jogarão após tamanha pausa e com times potencialmente mais saudáveis.

Por exemplo, Portland planeja jogar com Zach Collins e Jusuf Nurkic no garrafão, uma dupla que ainda não jogou junta na temporada porque Nurkic perdeu toda a temporada regular e Collins jogou apenas três jogos antes de passar por cirurgia no ombro.

Ainda assim, podemos usar a simulação para estimar as chances. De acordo com uma matéria de Vincent Goodwill, do Yahoo! Sports, as tabelas originais - menos os jogos contra aqueles que não estarão em Orlando - serão usadas como base.

Com isso, montei um possível calendário com três jogos extras - os Blazers jogando contra Los Angeles Lakers e Miami Heat, e os Lakers enfrentando o Magic - para chegar aos 8 para cada. Então usei os números do Basketball Power Index da ESPN para estimar as chances de vitória de cada equipe e simulei a temporada 500 vezes.

No Leste, isso raramente significou nos Wizards conseguindo forçar a repescagem: apenas 10%. No Oeste, uma repescagem é bem mais provável porque Memphis tem que vencer mais jogos que toda a sua competição e porque mais times estão na briga.

Como resultado, mais de 90% das simulações mostraram uma repescagem no Oeste, com o Memphis envolvido na maioria delas e mantendo a oitava colocação em 75% das vezes. Ainda que seja improvável o Suns conseguir chegar em 9º (conseguiram uma única vez em 500 simulações), os outro quatro times na briga apareceram na repescagem em ao menos 14% do tempo, com os Pelicans sendo os mais frequentes em 37% das simulações.

Como devem funcionar as repescagens

A repescagem que a NBA decidiu adotar para essa temporada - envolvendo apenas duas equipes - é diferente do que a que a liga chegou a considerar para a temporada 2021/2022, antes mesmo da paralisação, que incluía tanto o 7º e o 8º quanto múltiplos times que ficariam de fora normalmente.

Em parte, isso provavelmente mudou porque a liga não consegue oferecer mando de quadra para aqueles que se classificariam direto da maneira tradicional, necessitando de um formato aonde o 9º colocado precisaria vencer duas série contra o 8º, que só precisaria vencer uma - vantagem essa muito maior do que simplesmente jogar em casa.

Certamente, Grizzlies e Magic são "derrotados" neste recomeço se comparados as suas situações caso a NBA levasse apenas os 16 times classificados aos playoffs no momento da parada para Orlando, mas a liga também lhes deu uma grande vantagem na hora de competir pela 8ª vaga.

Como não sabemos que times estariam envolvidos, vamos assumir que todos são iguais em força entrando na potencial repescagem. Nesse caso, Memphis e Orlando, caso sejam os 8ºs, teriam 75% de chance de avançar aos playoffs.

Mas se existissem duas repescagens, as chances de uma zebra com uma - ou até as duas - 9ªs colocadas avançarem é de cerca de 44%. Não é exatamente um cara ou coroa, mas o suficiente para criar a emoção que os fãs da NBA anseiam em ter.