<
>

Lakers, Bucks, Warriors e mais: quem ganha e quem perde com possível volta da NBA

play
Final histórica? Bulgarelli e Giovannoni analisam como seria decisão da NBA entre Lakers e Celtics (2:51)

Simulações feitas junto ao fã de esporte na #EuDecidoNBAnaESPN foram o assunto do ESPN League Digital (2:51)

Nos últimos dias, as informações dão conta que a NBA planeja retomar a temporada, interrompida pela pandemia de coronavírus, em julho no complexo esportivo da ESPN na Disney, em Orlando.

Nem todos os times, porém, seriam afetados da mesma maneira caso os jogos retornassem. Uma possível volta da temporada seria benéfica para o Los Angeles Lakers, por exemplo, mas não para o Golden State Warriors.

O Los Angeles Clippers é outro time que se beneficiaria da decisão, enquanto o Philadelphia 76ers, muito provavelmente, gostaria que a temporada fosse encerrada. Vamos aos casos.

Quem quer que volte

Los Angeles Lakers

Não há a menor dúvida que os Lakers gostariam que a temporada fosse retomada. Antes da parada, LeBron James e companhia tinham 8 vitórias e apenas 2 derrotas após a parada para o All-Star, melhor marca da liga. Na campanha geral, eram 49 vitórias e 14 derrotas, segunda melhor campanha da liga, atrás apenas do Milwaukee Bucks. É a sexta vez que os Lakers começam com 49 ou mais vitórias nos primeiros 63 jogos da temporada. O que aconteceu nos outros cinco? Título para a franquia.

Além disso, os Lakers são um time montado para vencer nesta temporada e não para o futuro. LeBron James está em sua 17ª temporada e fará 36 anos em 30 de dezembro, mas ainda sim mostra muita lenha para queimar. O camisa 23 lidera a liga com 10,6 assistências por jogo, maior marca de sua carreira, e está em ritmo para ser apenas o 6º jogador da história a fazer mais que 25 pontos e 10 assistências por jogo em uma temporada - LeBron seria o mais velho da lista com uma vantagem de cinco anos para o segundo. Um retorno da temporada apresentaria uma ótima oportunidade para James vencer a NBA pela 3ª franquia diferente.

Somado a isso, Anthony Davis será agente livre em uma agência livre relativamente fraca. É esperado que o ala-pivô renove com os Lakers, mas nunca se sabe. Além do camisa 3, Kentavious Caldwell-Pope, Avery Bradley, JaVale McGee, Rajon Rondo, Markieff Morris, Dwight Howard e Jared Dudley podem todos se transformar em agentes livres ao final da temporada. Com isso, 53% dos pontos dos Lakers na temporada iriam embora.

Milwaukee Bucks

Os Bucks estavam no meio de uma temporada historicamente dominante. Vencendo seus adversários por uma vantagem de 11,3 pontos por jogo, a 5ª maior margem de uma equipe na história da NBA - os quatro times melhores venceram o título. Giannis estava caminhando para o segundo MVP, melhorando suas médias de pontos e rebotes. O Basketball Power Index (BPI), estatística criada pela ESPN para medir a força de uma equipe da NBA na temporada, dava 76% de chance para os Bucks chegarem nas Finais e 59% de chance de título.

Giannis tem apenas mais um ano de contrato e é elegível para uma extensão "super-máxima", o maior contrato possível para um jogador. Sua decisão de ficar ou não, porém, pode depender dos resultados da equipe e um título seria garantir a permanência do grego por muito mais tempo.

Los Angeles Clippers

Os Clippers investiram pesado para a temporada, sacrificando bons e jovens jogadores como Shai Gilgeous-Alexander e diversas escolhas de draft para trazer Kawhi Leonard e Paul George. A movimentação de Steve Ballmer foi claramente feita para vencer logo e um cancelamento da temporada tiraria um ano de contrato dos dois jogadores.

Ambos entrariam na agência livre após 2020/2021 e já demonstraram não ter problemas para trocarem de equipe. Ainda por cima, os Clippers estavam começando a finalmente entender sua força com a equipe completa.

Sem ninguém na lista de lesionados, os Clippers tem uma campanha de 10 vitórias e apenas uma derrota, para os Lakers em 8 de março. Ao final do ano, Montrezl Harrell será agente livre e deve receber ofertas gigantescas por ser um dos favoritos a vencer o prêmio de sexto homem da temporada.

Os Clippers apostaram tudo para esse e o próximo ano. Perder um deles poderia ser um desastre para a franquia.

Houston Rockets

O experimento de jogar sem um pivô estava apenas começando. Desde a troca de Clint Capela, os Rockets tinham 8 vitórias e 6 derrotas, sofrendo muito contra Orlando Magic e Phoenix Suns, mas vencendo por dois dígitos Lakers e Celtics. Era, no mínimo, imprevisível o que viria pela frente.

Os Rockets, no entanto, gostariam de saber aonde conseguiriam chegar. O BPI dava apenas 0,9% de chances de título para Houston, mas D'Antoni, James Harden e Russell Westbrook gostariam de ver aonde o experimento os levaria. A franquia é ciente da baixa probabilidade de ser campeão, tanto que decidiu dar all-in. No mínimo, eles gostariam de se divertir até o final.

Quem não quer a volta

Golden State Warriors

Os Warriors tem 15 vitórias e 50 derrotas, pior campanha da NBA e único time eliminado matematicamente dos playoffs. Em 28 de abril, Steve Kerr admitiu que seus comandados estavam "no puro modo intertemporada". O cancelamento colocaria fim a um ano em que os Warriors não tem mais o que disputar.

Stephen Curry perdeu 60 jogos por lesão, Klay Thompson estava fora da temporada de qualquer maneira com um ligamento cruzado rompido. E, neste momento, os Warriors teriam 14% de chance de vencer a loteria e pegar a 1ª escolha do draft de 2020. Em San Francisco, ninguém torce pelo retorno da temporada.

Brooklyn Nets

Os Nets entraram na temporada com expectativas baixas, apesar de terem assinado com Kyrie Irving e Kevin Durant. Já se sabia que Durant estava fora da temporada com uma lesão no tendão de Aquiles e, segundo Adrian Wojnarowski, nem mesmo um retorno da NBA em julho faria os Nets acelerarem o processo de recuperação.

Kyrie também sofreu bastante com lesões e participou de apenas 20 partidas. Sem os dois, os Nets tinham uma campanha de idênticas 22 vitórias e 22 derrotas (30 e 34 no total). Mais tempo de descanso para os dois significaria um Nets ainda mais forte na próxima temporada.

Philadelphia 76ers

Olhando de primeira, chamar a temporada do 76ers de decepção pode parecer um pouco de exagero. Se comparadas às expectativas da pré temporada, porém, esse cenário muda. Philadelphia era um dos grandes favoritos ao título e se mostrou um time de duas faces.

Em casa, a campanha é de 29 vitórias e 2 derrotas, um aproveitamento de 93,3%. Como visitante, porém, esse aproveitamento cai para 29,4% com apenas 10 vitórias e 24 derrotas. A diferença de 64,1% nos aproveitamentos é a maior da história da NBA desde que 82 jogos passaram a ser disputados na temporada regular.

Além disso, Embiid e Horford parecem não ter achado o melhor encaixe e Ben Simmons perdeu as últimas partidas antes do cancelamento por lesão. Um recomeço seria o ideal para Philadelphia.

San Antonio Spurs

Os Spurs foram aos playoffs nas últimas 22 temporadas, empatando a maior marca da história da liga. O BPI dá uma chance de apenas 12% para que a sequência continue.

Um cancelamento, porém, garantiria a manutenção da sequência e a possibilidade de quebrar o recorde, dependendo de como a NBA vai contar a temporada cancelada.