<
>

Isiah Thomas diz que 'Jordan não era rival' para ele nos anos 80: 'Números não mentem'

No documentário The Last Dance, produzido pela ESPN e que conta a história da dinastia do Chicago Bulls nos anos 90, Michael Jordan fala diversas vezes sobre a rivalidade e o ódio que sentia pelos "Bad Boys" do Detroit Pistons.

Armador e estrela daquela equipe, Isiah Thomas é o principal alvo das provocações e reclamações, mas "Big Zeke" parece discordar de Michael na questão da rivalidade, ao menos nos anos 80, década em que os Pistons tiveram seu auge.

"Quando éramos jovens e estávamos saudáveis, entre 1984 e 1990, os números não mentem. Ele (Jordan) não era realmente um rival para mim, meus rivais eram os Lakers e os Celtics. Chicago e Jordan, naqueles anos e antes de eu operar o pulso, não estavam a nossa altura", disse Isiah ao programa Speak for Yourself, da Fox Sports americana.

"Quando Boston estava no auge, travamos uma guerra, mas eles eram melhores que nós. Quando começaram a ficar mais velhos e com menos energia, os vencemos. Fomos capazes de aprender com eles neste processo. Foram como mentores para nós. Sempre que nos ver falando dos nossos títulos, nos verá falando deles porque foram como professores... aprendemos com Lakers e Celtics", prosseguiu.

"Eu era como um estudante tomando notas, mas não só como jogar e também como transformar uma organização inteira em campeã da NBA. Foi isso que viramos e naquela época fomos bastante dominantes."

Os "Bad Boys" conquistaram a NBA em duas oportunidades (1989 e 1990) e em ambas eliminaram o Chicago Bulls de Jordan nas Finais da Conferência Leste. Em 1988, temporada em que Jordan foi MVP (jogador mais valioso) e melhor defensor da temporada regular, os Pistons derrubaram Chicago na segunda rodada dos playoffs.