<
>

Onde os times da NBA discordam nos planos de retorno

play
Nada de conferências e direto para os playoffs: o inovador plano que pode garantir volta da NBA (0:58)

Por conta do coronavírus, Adam Silver deve propor alterações no formato atual da pós-temporada da NBA (0:58)

A batalha final das 30 equipes para retomar a temporada da NBA está sendo travada nestes últimos dias. Adam Silver está se dedicando a envolver proprietários e executivos de alto nível que defendem que a liga seja retomada já nos playoffs, assim como aqueles que desejam que toda a liga vá para Orlando, na Flórida.

Alguns querem um playoff “aberto”, uma rodada eliminatória para dar aos piores times uma maneira de entrar na competição pela oitava vaga. Alguns querem que todos os mercados - incluindo Nova York e Chicago - sejam convidados por conta das torcidas. E outros têm medo de entregar a desvantagem competitiva de uma pausa de nove meses antes da temporada 2020-21 para franquias que estão se reconstruindo.

De todos os ângulos, há apelos para Silver. A ideia de 30 equipes fazendo parte da retomada da temporada em Orlando perdeu força, mas ainda tem um lobby significativo.

A NBA e a Associação Nacional de Jogadores de Basquete discutiram um modelo de 30 equipes retornando para atingir um número de 72 jogos da temporada regular, fontes disseram para a ESPN. Os Hawks, que tiveram 10 jogadores participando de treinos voluntários no Memorial Day, já disputaram 67 partidas nesta temporada.

"Nosso pessoal está empolgado com a oportunidade de voltar aos negócios", disse Travis Schlenk, presidente de operações de basquete e gerente geral dos Hawks, à ESPN. "Isso é importante para nós. Somos uma equipe jovem e, por causa de lesões e outras coisas nesta temporada, não conseguimos vê-los todos juntos.

"Clint [Capela] diz que está se sentindo melhor, e existe a possibilidade de que ele consiga jogar. Treinar e fazer cinco jogos seria valioso para nós".

Cleveland também está ansioso para jogar. Outro elenco de jovens, outra franquia que precisa mostrar evolução de seu time. Detroit quer voltar a treinar e jogar também. New Orleans. Portland. Charlotte. Washington. Levando em consideração os times que não estão se classificando para os playoffs, há entusiasmo para jogar.

Como todos esperavam, é claro, não há unanimidade nessas questões. Enquanto a NBA e a NBPA analisam as equipes na parte inferior da classificação, elas também estão ouvindo ambivalências. Nenhum proprietário ou GM está explicitamente dizendo a alguém que não quer jogar nesta temporada. Mesmo assim, há jogadores suficientes em equipes suficientes que compartilharam a ideia de que não vale a pena treinar por semanas para jogar apenas oito partidas de temporada regular sem chances de playoffs.

Algumas equipes de loteria também deixaram claro para a liga que se seus jogadores estiverem divididos sobre o retorno, não vai acontecer. Traduzido: se você precisar nos manter de fora, teremos o prazer de manter nossa posição favorável na loteria do draft. Até a próxima temporada.

No particular, Silver tem considerado a ideia de que existem muitas razões sensatas para reduzir a lista de equipes em Orlando. Primeiro, segurança. Menos equipes, menos pessoas para espalhar o coronavírus - e menos basquete ruim. Até as melhores equipes podem começar mal depois do retorno, então imagine as ruins...

play
0:58

Nada de conferências e direto para os playoffs: o inovador plano que pode garantir volta da NBA

Por conta do coronavírus, Adam Silver deve propor alterações no formato atual da pós-temporada da NBA

Teremos muito mais Damion Lee e Alen Smailagic do que Stephen Curry e Draymond Green. Em um ano normal, ninguém se importaria com o Golden State Warriors jogando a última sequência de jogos da temporada com jovens jogadores. Desta vez? Representaria o retorno da NBA e seria precisamente o que a NBA não quer: jogos ruins na televisão.

Se alguém lhe disser que a NBA sabe exatamente o que vai fazer, provavelmente estão enganados. Essa ainda é uma discussão que está em aberto, e haverá mais debate na videoconferência entre os GMs na quinta-feira e entre os proprietários na sexta-feira. É possível que a liga já tenha uma recomendação para os proprietários na sexta-feira, mas isso ainda é incerto. A NBA acredita que tem tempo para deliberar e discutir o assunto. De fato, existe a possibilidade de que os primeiros jogos sejam disputados em Orlando no mês de agosto, e não em julho, segundo fontes.

No final, a NBA vai chegar até a NBPA com alguns cenários detalhados, recomendando um. Eles farão isso depois de centenas de horas de conversas com autoridades do sindicato e jogadores.

A pesquisa dos GMs com a liga incluiu uma opção que contava algum número entre os 16 times de playoff e as 30 equipes da NBA, disseram fontes. As equipes seriam divididas em um certo número de grupos e enfrentariam cada membro do mesmo grupo pela mesma quantidade de vezes. (O número total dessas partidas ainda não foi especificado.) Esses jogos seriam, provavelmente, considerados playoffs.

Com base na classificação final dentro de cada grupo, oito equipes avançariam dessa estrutura provisória e disputariam os playoffs como são jogados normalmente, fontes disseram para Zach Lowe. Várias equipes que jogariam os playoffs hoje não estavam inicialmente entusiasmadas com essa proposta, fontes disseram para Lowe. Uma sequência ruim nas partidas de grupo pode resultar em uma equipe que se classificaria hoje para os playoffs ficando de fora da busca pelo título. O outro cenário: um time que está em posição na loteria pode ter uma boa sequência e chegar nos oito principais de sua conferência.

Ninguém quer um produto que envergonhe a NBA. Apelar aos jogadores apenas com um senso de dever para o bem da liga não vai funcionar. A agência livre já está cheia de perigos este ano - e provavelmente terá mais.

Alguns agentes estão sugerindo aos GMs: clientes (jogadores) que tiveram boas temporadas a caminho da agência livre não querem arriscar esse sucesso voltando agora. Os candidatos terão dificuldades em explicar por que não estão jogando - e praticamente todos são competitivos e comprometidos demais para ficar de fora.

Em equipes médias e ruins? Bem, você teria alguns jogadores se esquivando de um retorno - especialmente se estivermos falando de seis a oito jogos. Isso tem que ser uma parte significativa da consideração para Silver.

Há muito o que examinar e muitos fatores que podem deixar as equipes se sentindo tratadas de maneira onjusta. O oitavo time do Oeste, Memphis, ainda iria disputar a sua sequência mais difícil nesta temporada. Portland, New Orleans e Sacramento estão a 3,5 jogos de Memphis na classificação. Portland - com Jusuf Nurkic e Zach Collins possivelmente retornando - e New Orleans - com um Zion Williamson bem fisicamente – podem ser times perigosos no cenário de um “minitorneio”.

Outro fator na possível chamada de jogadores de times que não estão na zona de playoffs: "Não é como se os caras fossem correndo para Vegas ou para a Europa de férias se não jogarmos", disse um GM da Conferência Leste. Há um nível de tédio que deixa os caras mais dispostos a jogar agora também.

Ainda há várias ideias em discussão, incluindo esta: trazer de volta as quatro equipes que estão na bolha de classificação da Conferência Oeste, mas nenhuma da Conferência Leste, disseram fontes.

"Ao longo do fim de semana, deu para sentir que a liga está começando a perceber que menos é mais", disse um executivo importante de um time da Conferência Leste à ESPN.

Quando a NBA temia perder a temporada por completo em março, era mais fácil para os proprietários, executivos e jogadores ouvir Silver preparando todos para as decisões que seriam tomadas – e que deixariam muitas pessoas frustradas. Enquanto tudo indica que haverá um retorno, fica mais claro que será o caso.

"Se não aparecermos, perderemos mais dinheiro", disse um jogador titular de um time que não está na zona dos playoffs para a ESPN. "Já estamos no buraco. E que mensagem está sendo enviada ao público, às equipes, aos jogadores, que estamos satisfeitos com 10 a 14 equipes não jogando? Já temos um problema competitivo na liga."

"Meu negócio é: 30 equipes jogando o máximo que der pelo dinheiro ou ir direto para os playoffs.

Adam Silver ouve todos eles. E qualquer que seja e decisão, qualquer que seja o modelo que ele vai sugerir aos proprietários e ao sindicato que faça mais sentido para todos, o comissário sempre suspeitou como isso terminaria: decisões difíceis deixando pessoas frustradas. Essa é uma pequena parte do preço da pandemia para a NBA.