<
>

Minha primeira técnica: como mães tiveram influência na carreira de estrelas como Zion Williamson

Mookie Betts é um dos melhores jogadores de todo o beisebol, mas a carreira do center field do Los Angeles Dodgers começou com uma simples operação "mãe e filho" em Nashville, no Tennessee.

A mãe de Betts, Diana Benedict, treinou o primeiro time organizado de beisebol de sua carreira. Vestindo uma luva e um suspensório de uma fantasia das Tartarugas Ninjas porque a equipe não tinha um uniforme pequeno o suficiente para ele, o pequeno Mookie se destacou e deixou sua mãe orgulhosa.

"Relembro de pegar a minha primeira bola alta", disse Betts. "Depois que peguei, olhei para minha mãe, levantei a bola e falei 'Mamãe! Mamãe! Eu peguei!'"

Betts, que venceu o prêmio de MVP da Liga Americana e uma World Series com o Boston Red Sox em 2018, é um dos diversos esportistas que se destacam atualmente cujas raízes atléticas voltam até a matriarca da família. Zion Williamson, primeira escolha do draft em 2019 na NBA, Lamar Jackson, atual MVP da NFL, e Quinn Hughes, favorito a vencer o prêmio de calouro do ano na NHL, também tem algo em comum com Betts além do atleticismo excepcional e uma vontade de vencer: seu primeiro - e normalmente o mais duro e mais influente - treinador foi a Mamãe.

Sharonda Sampson ensinou Zion a arremessar. Ellen Weinberg-Hughes ensinou Quinn (e seu irmão mais novo Jack Hughes, 1ª escolha do draft de 2019 da NHL) a patinar. A mãe de Jackson, Felicia Jones, colocou os uniformes e serviu como primeiro alvo dos tackles de Lamar.

Ellen, uma tri-atleta na Universidade de New Hampshire (futebol, lacrosse e hóquei) que foi jogar pela seleção americana na Copa do Mundo feminina de hóquei de 1992 antes de embarcar em uma carreira em transmissões esportivas, nota que seus três filhos - Luke, de 16 anos, é um alto prospecto para o draft de 2021 da NHL - são parte de uma onda de atletas iluminados da Geração Z.

"Meus garotos e seus pares são produtos da geração Title IX", disse Ellen. "Eles estão acostumados a verem e estarem ao redor de mulheres que são atléticas. Quando Quinn teve uma garota como companheira na sua equipe juvenil de hóquei, não foi nada demais para ele."

E eles estão acostumados a verem mulheres muito consagradas - especialmente suas mães - como figuras de autoridade, dentro e fora da quadra. Sampson, que foi corredora em Livigston College, treinou todas as primeiras equipes de Zion até ele chegar no high school.

"(Minha mãe é) a técnica mais dura que já tive até hoje", disse Williamson em entreivsta a Rachel Nichols da ESPN no ano passado. "Um jogo bom, nos padrões dela, é quase impossíve. Quando era mais novo, acreditava que tinha tido um bom jogo... Mas isso me fez crescer nunca satisfeito, sempre achando que podia melhorar. Peguei isso da minha mãe."

Os irmãos Hughes aprenderam hóquei tanto do pai quanto da mãe. O pai, Jim Hughes, jogou em Providence College e teve uma longa carreira como treinador que incluiu passagens pelo Boston Bruins e o Toronto Maple Leafs. Mas os três filhos creditam a mãe por ensiná-los a patinar, dando a fundação para a incrível habilidade que iria colocar dois (possivelmente três) deles como escolhas de primeiro round no draft.

"Eu tinha três filhos pequenos, e meu marido normalmente estava viajando", disse Ellen. "Então eu levava eles para patinar porque era algo que eu gostava. Sempre escolhi as atividades que eu gostava. Não era para forçá-los a nada, era apenas para nos divertimos juntos."

Conforme os meninos cresceram, patinações livres deram lugar a treinos estruturados e torneios. Mas mesmo enquanto ela levava seus filhos de uma pista - e estado - para outra, Ellen nunca pendurou completamente seus patins. Quando a família se juntou a Jim para o draft da NHL de 2013 em Newark, ela levou os meninos em um tour por Nova York.

"Nós três patinamos por todo o Central Park", disse Ellen. "Tivemos o melhor dos dias. Patinamos pelo zoológico, vimos os artistas de rua. Então tiramos nossos patins, colocamos em nossas mochilas e fomos ver o primeiro show da Broadway da vida deles (Annie). Patinar por Nova York foi um momento divertido que todos conseguimos experienciar juntos porque eu jogava hóquei também."


Ainda que Williamson e os irmãos Hughes tenham aprendido que a mãe normalmente sabe o melhor dentro da quadra, ou do gelo, mulheres treinadores ainda são relativamente raras em esportes juvenis. De acordo com um estudo do Instituto Aspen de 2019, apenas 27% dos mais de 6,5 milhões de adultos que treinam times de até 14 anos nos Estados Unidos são mulheres.

O pai de Betts, Willie, foi corredor e jogou basquete durante a adolescência. Mas Mookie aprendeu o beisebol de Benedict, uma tri-atleta que cresceu jogando beisebol no campo que seu avô havia construído na fazendo da família em Paducah, no Kentucky. Então era óbvio que ela treinaria seu filho, que ela batizou de Markus Lynn Betts porque gostou que as iniciais seriam uma homenagem ao seu esporte favorito.

Mas ela ainda teve que provar seus conhecimentos e talentos no esporte para treinadores adversários e parentes de seus jogadores, ao menos no começo.

"Quando tivemos nossa primeira reunião de equipe, alguns dos pais perguntaram 'quem vai ajudar você?'", comentou Benedict. "Mas depois que eu comecei a dar os treinos, perceberam que eu sabia sobre o que estava falando."

Talvez ela tenha ensinado seu filho bem até demais. Betts quase derrubou sua mãe com uma rebatida durante um treino. "Foi um foguete. Eu consegui abaixar e ela passou raspando", disse Benedict. "Mookie falou, 'Oh, Mamãe. Me desculpa! Não era para ir tão forte, Mamãe!"

Benedict então cumprimentou seu filho e fez uma ligação para o bullpen. "Eu continuo treinando o time, mas um dos outros técnicos fará os arremessos daqui pra frente", disse. "Não queria que Mookie mudasse seu swing só por estar com medo de me acertar."

Linda, mãe de Anthony Bass, reliever do Toronto Blue Jays, foi sua primeira técnica de arremesso em Trenton, Michigan. Ela era meio June Cleaver, meio Earl Weaver.

"Ele entra no campo pela primeira vez, e está pronto para destruir aquela bola", disse Linda. "Como uma mãe, você quer ir lá e abraçá-lo. Mas ele era tão profissional. Levava o beisebol tão a sério, mesmo com aquela idade. Eu tinha que ter certeza que conseguiria um strike nele."

A mãe, então, fez um arremesso reto no meio, e Anthony não perdoou.

"Eu estava tentando tirar sua cabeça do jogo", brincou Anthony. "Minha memória favorita dela treinando foi acertar um home run de um arremesso dela quando eu tinha 7 anos. Quando eu cruzei o home plate, ela estava sorrindo de orelha a orelha."


Alguns rituais feitos no dugout ou na beira do gramado daquela época seguem até hoje, mesmo com a mãe pendurando sua prancheta e se aposentando como técnica.

"Se Anthony ia bem quando eu o estava treinando, ele e seus colegas podiam ir ao Dairy Queen e colocar cobertura em seus sorvetes", comentou Linda Bass. "Até hoje, se Anthony tem uma boa noite, nós falamos, 'Querido, se estivessemos aí levaríamos você para o Dairy Queen e você ganhar a cobertura.'"

Atualmente, Benedict tenta uma aproximação menos direta com Betts, que tem 27 anos e já é pai "Quase nunca eu tento treinar Mooks agora", disse Benedict. "Eu normalmente tento prestar apoio. Mas às vezes vejo alguma coisa no gramado e não consigo me segurar."

Ellen Weinberg-Hughes também faz mais a função torcedora do que treinadora atualmente. No último mês de outubro, seus filhos se enfrentaram na NHL pela primeira vez quando o New Jersey Devils de Jack recebeu o Vancouver Canucks de Quinn. "Ofereço conselhos apenas quando eles pedem", disse. "Eles estão recebendo muitos treinamentos. Agora eles precisam que eu seja a mãe."

Mas a mãe ainda pode patinar. Com os três filhos de volta à casa por causa da pandemia, e se virando para o hóquei de rua para manter a forma, Ellen sentiu a coceira de se juntar aos garotos.

"Coloquei os patins outra vez essa semana", disse Ellen. "Mesmo tendo 51 anos e um quadril ruim, ainda posso me virar. Fui lá e me juntei a eles. Ter a mãe patinando com eles é normal para meus garotos. É o que eles estão acostumados."