<
>

NBA - Power Ranking do futuro: prevendo as melhores e piores franquias

play
Último ato de Kobe em um All-Star da NBA foi voltar atrás para dar autógrafo a pequeno fã (0:14)

Lenda da NBA esteve em seu último Jogo das Estrelas em 2016, antes de se aposentar (0:14)

Como o seu time se sairá nas próximas três temporadas da NBA?

O Future Power Rankings é a projeção da ESPN sobre o sucesso em quadra esperado para cada equipe nas próximas três temporadas, incluindo a de 2019-20, se a NBA retornar.

Considere esta uma maneira conveniente de ver a direção em que seu time está indo.

Para determinar o Future Power Rankings, pedimos aos analistas da ESPN Kevin Pelton e Bobby Marks que classificassem as equipes em cinco categorias e em relação ao restante da liga. Cada equipe também recebeu uma classificação geral de 0 a 100, com base no desempenho esperado nas próximas três temporadas.

Aqui estão os nossos rankings.


1. LA Clippers

Os Clippers mantêm o primeiro lugar. A força da equipe permanece com um elenco centrado em torno de dois jogadores, Kawhi Leonard e Paul George. Apesar de apenas uma amostra de 30 jogos, os Clippers venceram 80% dos jogos quando os dois estavam no time nesta temporada.

As futuras preocupações com a lista de jogadores dependem dos agentes livres Montrezl Harrell e Marcus Morris Sr. Os Clippers têm a capacidade de manter os dois, mas precisarão decidir sobre um preço e se cada jogador é uma prioridade ou um luxo. As renovações de Harrell e Morris provavelmente coloca o time no imposto de luxo para 2020-21 e potencialmente além disso.

Um recurso que os Clippers não têm é a capacidade de negociar uma futura escolha da primeira rodada. Ao contrário de fevereiro, quando adquiriram Morris, a regra dos sete anos (2021 a 2027) e a incapacidade de negociar uma primeira escolha em temporadas consecutivas vai restringir isso. -- Marks

(Classificação anterior: No. 1)


2. Los Angeles Lakers

Os Lakers entram no top-2 pela primeira vez desde fevereiro de 2010.

A força do elenco dos Lakers gira em torno de ter dois dos 10 melhores jogadores da NBA em Anthony Davis e LeBron James. Apesar de Davis ter uma opção contratual para a temporada 2020-21 e James ter uma para o ano seguinte, a melhor campanha da liga elimina qualquer dúvida de que a dupla ficará em Los Angeles por pouco tempo.

Anteriormente um calcanhar de Aquiles para os Lakers, seu ranking de gerenciamento subiu oito posições, de 23º para 15º. Frank Vogel provou que sua contratação foi a decisão certa, assim como dar a Rob Pelinka total autonomia sobre as decisões do basquete. Vogel instaurou uma mentalidade trabalhadora a uma equipe repleta de estrelas, enquanto Pelinka e sua equipe montaram um elenco que pode ganhar agora, mas mantém a flexibilidade para adicionar um jogador com contrato máx. em 2021. - Marks

(Classificação anterior: No. 6)


3. Golden State Warriors

A pior campanha desta temporada não é suficiente para manter os Warriors fora do top-3. De fato, Golden State tem uma nota geral de 74,4, contra 70,8 em outubro.

As duas escolhas de loteria projetadas pela Golden State em 2020 e 2021 - suas próprias neste ano e as de Minnesota (top-3 protegida) em 2021 - são em grande parte responsáveis pelo ranking. Além de seus recursos para o draft, os Warriors têm contrato com Stephen Curry, Klay Thompson, Draymond Green e Andrew Wiggins pelo menos nas próximas três temporadas, o que os colocará no mesmo nível que as duas franquias de Los Angeles.

Apesar de ser uma equipe de impostos de luxo no futuro próximo, Golden State tem uma exceção comercial de 17,2 milhões de dólares para usar na contratação de jogadores. Como os Warriors saíram do imposto nesta temporada, a penalidade financeira em 2020-21 será atenuada se eles decidirem usar essa exceção. - Marks

(Classificação anterior: No. 3)


4. Milwaukee Bucks

play
0:36

NBA: Em live no Instagram, Giannis Antetokounmpo define quem é o jogador mais difícil de marcar

Ala grego dos Bucks respondeu a pergunta de uma pessoa enquanto estava ao vivo

Talvez nenhuma equipe tenha mais em jogo a longo prazo na possível retomada da temporada do que s Bucks, que estava com a melhor campanha da NBA quando a temporada for suspensa. Sempre que a offseason chegar, Milwaukee terá a oportunidade de oferecer a Giannis Antetokounmpo uma extensão supermax uma temporada antes de sua possível entrada na agência livre e sem restrições. Se Antetokounmpo disser sim, os Bucks subirão ainda mais em nossos rankings futuros.

Embora Giannis tenha feito o máximo para diminuir as especulações, a primeira ida às Finais da NBA desde 1974 certamente ajudaria as chances de Milwaukee de conseguir um compromisso com o atual MVP da liga. Desde que optou por trocar o agente livre restrito Malcolm Brogdon para o Indiana Pacers no último verão, os Bucks fizeram todo o possível para convencer Antetokounmpo de que ele pode ganhar em Milwaukee.

Mas se os Bucks terão uma chance de fazê-lo nesta temporada está fora de controle da equipe. - Pelton

(Classificação anterior: No. 9)


5. Boston Celtics

play
0:30

Banho 'pela metade', cuidado com a cabeça e mais: gigante dos Celtics mostra como é ter 2,25 na quarentena

Tacko Fall mostrou bom humor nas redes sociais

Os Celtics voltam ao top-5, subindo três posições, em grande parte devido às fortes atuações de Jayson Tatum em fevereiro e março. Embora ainda acreditássemos na administração e no sucesso a longo prazo, o talento de Boston era um ponto de interrogação após as saídas de Kyrie Irving e Al Horford na agência live. O desenvolvimento de Tatum em um jogador All-Star e All-NBA em uma idade tão jovem (ele completou 22 anos em março) diminuiu essas preocupações.

Embora não pareça que Boston receba uma escolha de loteria do Memphis Grizzlies por causa de sua inesperada disputa nos playoffs, os Celtics ainda estão bem posicionados para adicionar talento com três prováveis escolhas na primeira rodada neste ano. Boston terá que gerenciar seus impostos a partir da próxima temporada, quando a rica extensão de Jaylen Brown entrar em ação, mas os Celtics devem ser capazes de manter o núcleo intacto. - Pelton

(Classificação anterior: No. 8)


T-6. Dallas Mavericks

Após ficar seis anos fora, Dallas está de volta ao top-6. As atuações dignas de MVP de Luka Doncic, um saudável Kristaps Porzingis e um elenco com jogadores complementares devem colocar Dallas na disputa dos playoffs no futuro próximo. Como resultado, Dallas está agora classificado em 4º lugar no elenco, subindo oito posições.

A questão agora é como Dallas passará de uma equipe de playoff para uma que disputará um título. Com um elenco que tem 12 jogadores contratados para 2020-21, a resposta pode ter que esperar até o verão de 2021, quando se prevê que os Mavericks tenham uma faixa salarial máxima. Claro, Porzingis poderia voltar a jogar em um nível de All-Star e os Mavericks poderiam continuar construindo em torno de ambos os jogadores.

Caso contrário, o 6° lugar pode ser o teto dos Mavericks. - Marks

(Classificação anterior: No. 13)


T-6. Toronto Raptors

play
0:24

Acha que já viu de tudo na quarentena do coronavírus? Pois Ibaka acaba de fazer as mais patéticas embaixadinhas com papel higiênico

Atleta da NBA mais parecia Ronaldinho Gaúcho nos tempos áureos... Faltou só ser de verdade

Nenhuma equipe saltou mais nos últimos seis meses do que o atual campeão Toronto Raptors, que se virou depois da saída de Kawhi Leonard (e o titular Danny Green) em uma agência gratuita para garantir a terceira melhor campanha da liga até a paralisação. Embora o elenco de Toronto possa parecer dramaticamente diferente em dois anos, com quatro dos cinco titulares (todos menos Pascal Siakam) indo para uma agência livre sem restrições até então, o grupo de gerenciamento de mais alto nível deu todos os motivos para acreditar que os Raptors podem lidar com qualquer cenário adverso.

Toronto está em vias de ter espaço em 2021 para buscar uma estrela que se junte a Siakam e um núcleo que também inclui o armador Fred VanVleet (um agente livre irrestrito após esta temporada) e o ala OG Anunoby. Os Raptors também continuam a desenvolver talentos complementares, com o novato Terence Davis, sua última descoberta. - Pelton

(Classificação anterior: No. 18)


8. Miami Heat

Saindo de uma temporada de 2018-19 que terminou na loteria do draft, Miami está bem posicionado para competir agora e no futuro. O Heat estava em quarto lugar no Leste quando o jogo foi paralisado, depois de ver Bam Adebayo se transformar em um All-Star, enquanto Kendrick Nunn e Duncan Robinson se tornaram titulares sólidos em apoio a Jimmy Butler.

Ainda assim, com Miami (nosso 5º mercado) sendo um destino atrativo, o Heat está de olho nos agentes livres da offseason de 2021. Então, o Heat deve ter espaço máximo para adicionar outra estrela, mantendo Butler, Adebayo, Nunn, Robinson e o novato Tyler Herro como peças-chave. O presidente de Miami, Pat Riley, recrutou com sucesso as maiores estrelas da NBA antes, e ele tem a chance de construir outro time que pode disputar o título antes de considerar se aposentar. - Pelton

(Classificação anterior: No. 15)


9. Brooklyn Nets

play
0:10

Equilíbrio extremo e coordenação assustadora: o treino de Kyrie Irving, astro dos Nets na NBA

Armador compartilhou vídeo que mostra uma parte de seu treinamento | via @KyrieIrving

Em retrospecto, classificar os Nets em segundo lugar em setembro parece uma exuberância irracional. Sim, Brooklyn deve ser melhor quando Kevin Durant retornar de sua lesão no tendão de Aquiles e Kyrie Irving voltar da cirurgia no ombro, mas ainda não sabemos se Durant será o mesmo jogador após uma lesão devastadora ou se os Nets têm a combinação certa de talento de apoio em torno de suas estrelas em reabilitação.

Primeiro, Brooklyn deve decidir quem treinará esse grupo depois que Kenny Atkinson foi substituído temporariamente por Jacque Vaughn, pouco antes de a liga ser paralisada. (Os Nets jogaram apenas dois jogos após a mudança de treinador, incluindo uma vitória sobre os Lakers que talvez tenha sido a melhor da temporada.) A incerteza em relação à situação do treinador também levou Brooklyn a cair na categoria de gerenciamento. Os Nets ainda podem ser candidatos quando Durant e Irving voltarem à quadra. Isso não é mais algo certo. - Pelton

(Classificação anterior: No. 2)


10. Utah Jazz

play
0:36

Gobert admite que ficou sem falar com Donovan Mitchell e diz que relacionamento com colegas 'não é perfeito'

Pivô do Utah Jazz foi o primeiro jogador da NBA diagnosticado com coronavírus

O Jazz permaneceu consistente no nosso ranking, com isso marcando o nono ano consecutivo em que a franquia figura no top-10. Apesar da consistência, no entanto, a nota geral de Utah caiu de 66,7 para 61,7.

Os cinco jogadores titulares do Jazz estão todos sob contrato até 2020-21 e estavam prestes a ganhar 50 jogos em temporadas consecutivas, mas o time teve problemas nesta temporada com a contratação de Mike Conley. Donovan Mitchell e Rudy Gobert são elegíveis para extensão nesta offseason e provavelmente combinarão por um salário total 250 milhões de dólares.

Um ponto positivo para Utah é um grupo de gerenciamento que está entre os cinco primeiros. O Jazz tem uma diretoria proativa que atende às necessidades do elenco e uma equipe técnica liderada por Quin Snyder, que continua focada no desenvolvimento dos jogadores. - Marks

(Classificação anterior: No. 10)


11. Denver Nuggets

play
1:24

Preparador físico dos Nuggets diz que Jokic é o mais dedicado e revela que tem que 'puxar a orelha' de alguns

Felipe Eichenberger foi entrevistado pelo ESPN League desta segunda-feira

O fato de Denver ter ficado de fora do top-10 pela primeira vez desde setembro de 2016 não deve ser um sinal de que o elenco tenha atingido o pico ou que o futuro seja limitado. Os Nuggets ainda têm Nikola Jokic e Jamal Murray sob contrato até 2022-23 e um possível All-Star do futuro em Michael Porter Jr. De fato, o ranking número 11 pode ser temporário.

Como os Nuggets abordam o futuro é dividido em três perguntas:

• Qual é o custo dos agentes livres pendentes Torrey Craig, Mason Plumlee, Jerami Grant (opção de jogador) e Paul Millsap? • O ala Gary Harris pode voltar a ser o jogador que foi em 2017-18? • Porter pode substituir Millsap e Plumlee como uma opção de baixo custo?

As perguntas estão ligadas porque os Nuggets fizeram uma escolha financeira quando trocaram Malik Beasley, que seria o próximo agente livre no prazo comercial. Denver recuperou uma escolha de primeira rodada dos Rockets, mas que está projetada para ser entre as posições 20 e 30. – Marks

(Classificação anterior: No. 5)


12. Philadelphia 76ers

play
0:17

Sozinho em casa, calouro dos Sixers na NBA 'adota' robô aspirador e grava vídeo hilário

Matisse Thybulle compartilhou a brincadeira em seu TikTok

Os Sixers estiveram no nosso top 10 desde setembro de 2017, quando deveriam adicionar a primeira escolha do draft Ben Simmons a um time que vencera apenas 28 jogos na temporada anterior. Agora, com "The Process" sendo nada mais que uma memória, Philly enfrenta um novo conjunto de desafios - a saber, se esse núcleo é capaz de maximizar Simmons e Joel Embiid, o que não foi o caso durante um decepcionante 2019-20 temporada até o momento.

Com uma extensão máxima para Simmons, os 76ers começarão a próxima temporada no imposto de luxo antes de preencher seu elenco, e o limite de teto não chegará até 2022-23 (quando o salário de Al Horford estiver parcialmente garantido). Philadelphia também não terá uma escolha de rodada. Portanto, embora essa ainda seja uma lista dos 10 melhores em termos de talento atual, o futuro parece surpreendentemente nublado. - Pelton

(Classificação anterior: No. 7)


13. New Orleans Pelicans

play
0:33

New Orleans Pelicans diverte web com vídeo de pequenos torcedores fazendo cestas

As imagens contam ate com uma narração profissional | via @PelicansNBA

Há uma expectativa de que os Pelicans sejam um time top-10 um dia. Por enquanto, eles sobem uma posição e ficam em 13°

O pequeno aumento é resultado da estreia de Zion Williamson, do futuro de Jrue Holiday e do contrato expirando do treinador Alvin Gentry. Um saudável Williamson combinado com o All-Star Brandon Ingram dão aos Pelicans dois jogadores para o futuro – mais ou menos como acontece em Dallas.

Holiday será um estudo de caso interessante quando se trata da economia futura da NBA. Antes de a NBA ser paralisada, Holiday foi rotulado como um jogador que entra na temporada 2020-21 com um contrato expirando, apesar de ter uma opção de jogador 27,4 milhões de dólares em 2021-22. Agora, com a incerteza das futuras projeções de teto, não há garantia de que Holiday se torne um agente livre. – Marks

(Classificação anterior: No. 14)


14. Oklahoma City Thunder

play
0:20

Em todos os treinos, pivô do Thunder tenta centenas de vezes, acerta bola na prateleira e brinca: 'De primeira!'

Steven Adams se diverte ao lado da comissão técnica do Oklahoma City Tunder

Se o FPR fosse baseado em uma janela de sete anos em vez de três, o Thunder provavelmente estaria entre os 10 primeiros.

Apesar de ter 13 escolhas de primeira rodada projetadas nas próximas sete temporadas, os frutos da troca de Paul George com os Clippers não se concretizarão até depois de 2022, o último ano em que a FPR leva em consideração.

O lado positivo é que Oklahoma City está de volta entre no top-15, com um provável All-Star em ascensão em Shai Gilgeous-Alexander, um saudável Chris Paul e os contratos vencidos de Dennis Schroder e Steven Adams. - Marks

(Classificação anterior: No. 21)


15. Houston Rockets

Os Rockets estão caindo. Desde que o 4º lugar em outubro, principalmente como resultado da troca por Russell Westbrook, Houston caiu para o 15° lugar, seu pior ranking desde março de 2011. A queda de 11 posições tem a ver com preocupações com o elenco de suporte, falta de flexibilidade financeira, recursos de draft limitados para criar o elenco e o status do treinador Mike D'Antoni.

Enquanto Houston trocou Clint Capela por Robert Covington, P.J. Tucker deve entrar no último ano de seu contrato e Eric Gordon passou o ano atual mais no departamento médico do que no time.

Covington, Tucker, Gordon e Danuel House Jr. são os únicos ativos dos Rockets. Os Rockets seguem mal financeiramente (nº 29) por causa dos 113 milhões de dólares comprometidos em 2020-21 e 2021-22 para Westbrook, Harden, Covington e Gordon. - Marks

(Classificação anterior: No. 4)


16. Indiana Pacers

É certo que os Pacers podem ser um ponto cego para a fórmula do ranking. Eles não ficaram acima da 15ª posição nas últimas três edições, enquanto continuam a disputar o mando nos playoffs do Leste. Os 60% de aproveitamento nos jogos são 11ª melhor marca da liga, embora seu diferencial +1,9 pontos não seja tão forte.

Indiana tem uma questão fundamental no horizonte: a agência livre de Victor Oladipo na offseason de 2021, quando os Pacers provavelmente não teriam espaço no teto salarial para substituí-lo por um jogador do mesmo calibre. Zach Lowe, da ESPN, relatou que Indiana havia discutido uma extensão com Oladipo antes da temporada, mas decidiu adiar essas conversas até depois que Oladipo retornou na metade da temporada por conta de ruptura do tendão do quadríceps. De uma forma ou de outra, uma das dez principais equipes de gerenciamento deve ser capaz de lidar com a situação. - Pelton

(Classificação anterior: No. 16)


17. Portland Trail Blazers

play
0:50

Damian Lillard fala sobre proposta de calendário para a NBA e opina: 'Não sou um fã'

O jogador do Portland Trail Blazers defendeu o atual formato da competição e mostrou descontentamento com a possível mudança

Adicione os Trail Blazers à lista das equipes que ficaram fora dos 15 primeiros. A queda está centrada em três preocupações: forma física, restrições contínuas do elenco e o desenvolvimento de suas escolhas de draft.

Como vimos nesta temporada, apesar de ter um dos melhores backcourts da NBA em Damian Lillard e CJ McCollum, os Trail Blazers não tinham um plano B caso um deles se machucasse. As restrições dos impostos de luxo na última temporada limitaram a maneira como Portland pôde construir seu elenco.

Enquanto Hassan Whiteside substituiu Jusuf Nurkic, as lesões de Rodney Hood (Aquiles) e Zach Collins (ombro) fizeram com que Portland se parecesse mais com uma equipe de loteria e não com um que foi à Final do Oeste na temporada passada. A maneira como os Trail Blazers voltariam a ser um time de 50 vitórias será determinada pela saúde de Collins e Nurkic, juntamente com o desenvolvimento de Anfernee Simons, Gary Trent Jr., Nassir Little e uma escolha de loteria no draft deste ano. - Marks

(Classificação anterior: No. 11)


18. Memphis Grizzlies

Há um ano, os Grizzlies ficaram em 29º lugar no FPR. Agora, Memphis tem o provável novato do ano em Ja Morant, um grande jogador em Jaren Jackson Jr. e uma lista de jogadores complementares que mantêm os Grizzlies na última vaga de playoff do Oeste.

Enquanto o chefe das operações de basquete, Zach Kleiman foi criticado no prazo comercial quando sacrificou a flexibilidade de teto em 2020-21 para contratar Dion Waiters, ele o fez com uma ideia interessante. Os Grizzlies não seriam um destino dos agentes livres neste verão, apesar dos 30 milhões de dólares no espaço salaria, e Kleiman tratou Justise Winslow como uma grande contratação.

Os Grizzlies estão bem posicionados no futuro e terão opções sobre como continuar a construir o elenco. Apenas Josh Jackson e De'Anthony Melton serão agentes livres nesta offseason, e os Grizzlies poderiam ter mais de 40 milhões de dólares disponíveis para a offseason de 2021, enquanto Morant e Jaren Jackson ainda estão em seus contratos de estreante. - Marks

(Classificação anterior: 27)


19. Phoenix Suns

play
1:44

Sol, musculação, corrida com cachorro, cerveja e piscina: pivô dos Suns na NBA revoluciona treino em quarentena

Frank Kaminsky mostrou seu circuito de treinos em casa

Finalmente, há um senso de direção (e esperança) em Phoenix. Não apenas Phoenix venceu 26 jogos nesta temporada, melhor marca desde 2014-15, mas o carrossel de treinadores que desfilou desde 2015 finalmente parou com a contratação de Monty Williams.

Como os Suns usam o ímpeto a partir desta temporada e continuam a construir em torno do All-Star Devin Booker e de DeAndre Ayton será o resultado de decisões que a diretoria dos Suns faz nesta temporada. Os Suns têm 11 jogadores sob contrato, terão uma loteria e são um dos poucos times que projetam 20 milhões de dólares em espaço salarial nesta offseason. A direção que o gerenciamento seguirá será baseada na continuidade (renovar com Dario Saric e Aron Baynes), contratos de curto prazo ou exploração do mercado de agentes livres.

Uma abordagem conservadora daria aos Suns 45 milhões de dólares em 2021, mas quão frustrado ficaria Booker nesse ponto se ele ainda não tivesse participado dos playoffs desde que foi draftado em 2015? - Marks

(Classificação anterior: No. 24)


20. San Antonio Spurs

play
0:15

Ginobili se solta em vídeo no TikTok e mostra que é bom de rebolado; veja!

Descontraído, o ex-astro do San Antonio Spurs deu um show de rebolado de causar inveja com seu bambolê | Via Twitter @ManyOrono

Desde que o FPR foi introduzido em 2009, San Antonio tem sido o padrão de ouro, saindo do top-10 apenas duas vezes. Agora, os Spurs estão no 20º lugar, a ponto de perder os playoffs pela primeira vez desde 1996-97.

Os jogadores veteranos - DeMar DeRozan, Patty Mills, Rudy Gay e LaMarcus Aldridge - devem entrar no último ano de seus contratos. DeRozan tem uma opção de jogador de 27,7 milhões, mas não é garantido que se torne um agente livre com a incerteza do cenário financeiro da NBA. Os Spurs poderiam estender o contrato de DeRozan ou fazê-lo optar por seu contrato e tentar trocá-lo, como quando Chris Paul foi negociado dos Clippers para os Rockets.

Se há um lado positivo, é que o elenco não é fraco. Os Spurs renovaram com Dejounte Murray e têm quatro jogadores em contratos de estreante. Eles também terão uma escolha de loteria, a primeira desde que Tim Duncan foi draftado em 1997. - Marks

(Classificação anterior: No. 12)


21. Orlando Magic

Embora Orlando estivesse indo para uma segunda aparição consecutiva nos playoffs quando a liga parou, o Magic está com uma campanha de 30-35.

No lado positivo, Markelle Fultz emergiu aos 21 anos. O desenvolvimento de Fultz e de Jonathan Isaac, que dominava defensivamente antes de sofrer uma grave lesão no joelho no dia da virada de 2019 para 2020, segue como a melhor esperança de Orlando para subir no ranking.

Ao mesmo tempo, o Magic tem relativamente pouca flexibilidade para uma equipe tão jovem. Eles teriam apenas um espaço salarial modesto se Evan Fournier optar por uma agência livre após o melhor ano de sua carreira, e novos contratos para Fournier e Isaac (elegíveis para uma prorrogação após a temporada) complicariam as coisas para Orlando no futuro próximo. – Pelton

(Classificação anterior: No. 20)


22. Atlanta Hawks

play
0:15

Trae Young treina com cachorro, o deixa totalmente perdido e completa vídeo com cesta

Armador dos Hawks segue em casa na quarentena, mas sem perder a forma - Instagram @traeyoung

Como a gerência de Atlanta, estávamos otimistas com o futuro dos Hawks após um forte fim de temporada em 2018-19, liderado pelo novato Trae Young e por John Collins. Apesar do desenvolvimento de Young em um All-Star, Atlanta deu um passo atrás, levando a perguntas sobre o caminho a seguir.

Os Hawks estão enfrentando uma decisão importante sobre Collins, que perdeu 25 jogos no início da temporada depois de testar positivo para uma substância proibido. Collins jogou bem depois de seu retorno, mas seu futuro é incerto depois que Atlanta adquiriu Clint Capela por troca.

Além disso, os Hawks devem decidir o que fazer um grupo de jovens (Kevin Huerter, De'Andre Hunter e Cam Reddish) que foram superexpostos nesta temporada. E a impaciência de Atlanta em vencer pode significar problemas para o técnico Lloyd Pierce, que ainda está aprendendo no trabalho - como seus jogadores. – Pelton

(Classificação anterior: No. 17)


23. Chicago Bulls

play
1:12

Ídolo dos Celtics, Paul Pierce perde de 'lavada' para Zach LaVine, dos Bulls, no torneio 'Horse' da NBA

Astro da franquia de Chicago derrotou o ex-jogador e avançou às semifinais

O retorno aos playoffs pareceu uma realidade para os Bulls depois que eles contrataram Otto Porter Jr. no prazo comercial de 2019 e os veteranos Tomas Satoransky e Thaddeus Young em agência livre. As lesões, principalmente a que afastou Porter por quase quatro meses, ajudaram a frustrar esses planos.

Como os Bulls não projetam ter espaço salarial até o offseason de 2021, a ajuda externa não está a caminho. Em vez disso, Chicago conta com melhor saúde e desenvolvimento contínuo de jovens jogadores. Coby White brilhou como novato, enquanto Zach LaVine se solidificou como um dos melhores jogadores ofensivos da liga. Mas os Bulls terão que decidir se vão prorrogar o contrato de Lauri Markkanen – que não vinha jogando bem. Além disso, o time agora está procurando um novo executivo para liderar a franquia. - Pelton

(Classificação anterior: No. 22)


24. Washington Wizards

play
0:13

Michael Jordan x arbitragem: o dia em que a lenda do basquete 'ganhou' o juiz na lábia

Jogando pelos Wizards, ala protagonizou cena inusitada: 'Não vi, mas acredito em você'

Depois de cair para o 28º lugar no último ranking, os Wizards nos deram motivos para acreditar que sua ‘mini-reconstrução’ pode ser mais rápida do que o esperado. Isso começou com uma extensão do ala Bradley Beal, mantendo-o sob contrato até 2021-22 (com uma opção de jogador para 2022-23).

A nova diretoria de Washington, liderada por Tommy Sheppard, também mostrou a capacidade de trabalhar efetivamente. Davis Bertans, adquirido por praticamente nada do San Antonio Spurs, surgiu como um pivô que os Wizards aparentemente pretendem manter no time nesta offseason.

Washington ainda melhorar a sua defesa para competir, e o retorno de John Wall após uma lesão no tendão de Aquiles continua sendo um ponto de interrogação, mas há razões para se ter esperança na capital. - Pelton

(Classificação anterior: No. 28)


25. Sacramento Kings

Uma temporada inconsistente e o alto custo potencial de manter o elenco fizeram com que os Kings voltassem a território familiar: fora do top-20.

Enquanto os Kings assinaram com Buddy Hield por quatro anos no valor de 94 milhões de dólares em outubro do ano passado, duas decisões financeiras se aproximam: a agência livre restrita de Bogdan Bogdanovic e a extensão de De'Aaron Fox. A boa notícia é que Sacramento limpou suas finanças futuras quando Trevor Ariza e Dewayne Dedmon foram negociados durante a temporada. A movimentação do permite que os Kings assinem com Bogdanovic e ainda fiquem sob o imposto de luxo para 2020-21.

Fora das finanças, há uma preocupação quando se trata de Marvin Bagley III, escolha número 2 de draft. Desde que foi selecionado em 2018, Bagley jogou em apenas 75 jogos, perdendo os 29 anteriores nesta temporada por causa de uma lesão no pé esquerdo. – Marks

(Classificação anterior: No. 19)


26. Minnesota Timberwolves

play
2:04

Karl-Anthony Towns faz relato emocionante sobre situação de sua mãe em coma com COVID-19

Astro dos Timberwolves ficou muito abalado depois de ver sua mãe em coma induzido

Minnesota é um bom exemplo de quão fluidos esses rankings são. Depois de alcançar o top-5 em setembro de 2017, os Timberwolves estão agora entre os quatro últimos. O ponto positivo é que o novo presidente das operações de basquete, Gersson Rosas, mostrou no prazo comercial o plano inicial de como o elenco será construído.

Os Timberwolves não apenas adquiriram o All-Star D'Angelo Russell para formar dupla com Karl-Anthony Towns, mas também adicionaram uma primeira escolha dos Nets neste ano e profundidade necessária, principalmente com Malik Beasley.

Russell, Towns, Beasley (se assinado como agente livre), Josh Okogie, Jarrett Culver e duas escolhas de primeira rodada no top-16 dão a Minnesota uma base sólida para trabalhar. - Marks

(Classificação anterior: No. 25)


27. New York Knicks

play
0:08

RJ Barrett chama cachorro para o 'x1' e treina em casa durante quarentena

Jogador dos Knicks publicou o vídeo nas redes sociais - Instagram @RjBarrett6

A era Leon Rose no Madison Square Garden amanhece com grandes esperanças, assim como as épocas de Steve Mills, Phil Jackson, Glen Grunwald, Donnie Walsh e Isiah Thomas. O denominador comum nas duas décadas desde a última vez em que a equipe do maior mercado da liga chegou à final da conferência continua sendo o presidente executivo: Jim Dolan.

Os Knicks conseguiram salvar uma escolha de primeira rodada por Marcus Morris Sr., dando a eles quatro nos próximos dois anos. Garantias parciais para a maioria das contratações da última offseason também significam que Nova York pode ter um espaço salarial interessante nas próximas duas temporadas. Mesmo assim, até que os Knicks desenvolvam com sucesso um jogador jovem, é improvável que eles se saiam melhor na agência livre do que em 2019. E até que Rose se prove um executivo e decida um treinador permanente, é difícil classificar Nova York em qualquer lugar que não seja o pior time da NBA em gerenciamento. – Pelton

(Classificação anterior: No. 26)


28. Charlotte Hornets

play
0:17

Ala dos Hornets ensina como passar tempo em casa depois de suas semanas sem NBA: fazendo cestas malucas

Dwayne Bacon se divertiu em casa, e time compartilhou a brincadeira

Pela primeira vez desde setembro de 2017, os Hornets saíram da última posição. O estresse pós-traumático causado pela saída de Kemba Walker não foi tão severo quanto o esperado, em grande parte por causa da boa sorte de Charlotte em jogos disputados. Enquanto a campanha de 23-42 dos Hornets ocupa o 23º lugar na liga, seu diferencial de -6,7 pontos está em 27º.

Quando o acordo de Nicolas Batum expirar em 2021, os Hornets terão apenas um jogador (Terry Rozier) sob contrato por mais de 5 milhões de dólares. Como Charlotte não é um destino atraente para agentes livres, eles terão que procurar pechinchas ou usar essa flexibilidade através de trocas para construir em torno de um núcleo jovem liderado por Devonte’ Graham. - Pelton

(Classificação anterior: No. 30)


29. Detroit Pistons

Finalmente, os Pistons parecem ter aceitado a inevitabilidade de uma reconstrução depois que Blake Griffin foi submetido a uma cirurgia no joelho em janeiro. Eles negociaram Andre Drummond com Cleveland, em uma operação que em grande parte rendeu apenas flexibilidade do cap salarial. Após a troca, Detroit venceu um jogo e perdeu 12, apesar das boas atuações do substituto de Drummond, Chris Wood.

Entre Wood (um agente livre irrestrito após a temporada), o ala Luke Kennard e o jovem Sekou Doumbouya, os Pistons têm um punhado de peças interessantes para iniciar o processo de reconstrução. Mas, a menos que Griffin possa voltar à sua forma nos dois anos restantes e restando 76 milhões de dólares em seu contrato, Detroit não tem uma peça central, e encontrar uma na loteria será o principal objetivo. – Pelton

(Classificação anterior: No. 23)

30. Cleveland Cavaliers

Menos de dois anos (e quatro treinadores) desde que LeBron James assinou com os Lakers, os Cavaliers permanecem no início de seu processo de reconstrução, apesar de uma campanha de 5-6 sob o comando do novo treinador J.B. Bickerstaff após o intervalo do All-Star oferecer alguns sinais de esperança.

O período de John Beilein como treinador, que durou menos de quatro meses, foi o pior possível. Beilein não conseguiu se conectar com veteranos e não fez o suficiente para desenvolver os jovens. Desde o intervalo, Collin Sexton tem sido o melhor jogador, enquanto o armador novato Darius Garland também mostrou progresso.

Os Cavaliers ainda precisam descobrir o que fazer com o veterano Kevin Love, que está na primeira temporada daquela que foi uma extensão de quatro anos. E o recém-contratado Andre Drummond poderia engolir o espaço salarial dos Cavaliers nesta temporada se ele optar por seguir no contrato, recebendo 28,8 milhões de dólares. – Pelton

(Classificação anterior: No. 29)